#54 – Batman: Terra de Ninguém

“… Depois que o solo partiu e os edifícios tombaram, a nação abandonou Gotham City. A partir de então, apenas os valentes, os saqueadores e os insanos permaneceram no lugar que passou a ser chamado de Terra de Ninguém.”

(Imaginem isso na voz do Cid Moreira, terminando com um “E agora, paladino mascarado?”, estilo Mister M.)
Senhoras e senhores, meninos e meninas, religiosos e comunidade GLS (e mais algumas letras caso eu já esteja antiquado), preparem-se para a maior zona que Gotham já viu. Quase mais absurdo do que um embate entre o Capitão Codorna e o Naruto, esta saga é a “Terra de Ninguém”.
Você verá Batman, Asa Noturna, Coringa, Arlequina, Crocodilo, Caçadora, Scarface, Duas-Caras, Barbara Gordon, Bane, Mulher-Gato, Azrael, uma nova Batgirl.
Nome auto-explicativo, como boa parte das vezes. Sequência direta do “Terremoto”. Uma saga muito, mas MUITO longa, dividida em MUITOS titulos do morcego. Gotham foi aos frangalhos, uma ruína gigante. Batman lutava pela cidade, e agora a cidade não existe, mas o Morcego não desistiu, lutou pelo que restou e lutou para reconstruir.
Você acompanha agora as partes importantes desse arco que mudou o rumo de todas histórias até o último reboot da DC recentemente.
Proteja o que é seu, pois daqui pra frente não há leis. Terra de Ninguém.

Nota da Jéssica:
Preciso, antes de tudo, agradecer demais ao Augusto por ter escrito esse texto, que consumiu tanto tempo dele. Não posso expressar minha gratidão por essa contribuição, e por todas os outros magníficos textos que você fez para o Batman Guide. Esse blog não seria o mesmo sem você. Obrigada!
Para a leitura dessa HQ, recomenda-se fortemente que você tenha lido, ou pelo menos conheça em linhas gerais, as seguintes sagas:

LINE001
001Roteiristas: Bob Gale, Dennis O’Neil, Devin Grayson, Greg Rucka, Ian Edginton, Chuck Dixon, Scott Beatty, Lisa Klink, Kelley Puckett, Mark Wayd, John Ostrander, Larry Hama, Janet Harvey, Paul Dini, Bronwyn Carlton e Steven Barnes.
Desenhistas: Alex Maleev, Roger Robinson, Dale Eaglesham, Jason Pearson, D’Israeli, Frank Teran, Andy Kuhn, Will Rosado, Guy Davis, Jon Bogdanove, Phil Winslade, Pascal Alixe, Mike Deodato, Staz Johnsson, Damion Scott, Mark Pajarino, Dan Jurgens, Jim Balent, Rick Burchett, Jason Minor, Tom Morgan, Sérgio Cariello, Scott McDaniel, Paul Gulacy, Yvel Guichet, Gordon Purcell, Paul Ryan, Mat Broome, Rafael Kayanan, Greg Land, Steven Harris e Pablo Raimondi.
002(Uma massagem do Bane pra quem conferir se eu pus algum presidente americano no meio dessa bagunça).
Temos desenhistas muito bons e muitos ruins nessa equipe, e roteiristas que, querendo ou não, não podiam fugir da ideia principal da saga. Então podemos dizer que os roteiros são equivalentes. Alguns tem diálogos e falas mais articuladas e naturais, coisa menos manjada e clichê, mas no geral, bom. A temática então nem se fala. Foi extrema.
003As primeiras cenas relatam bem o que está havendo. A cidade parece Racoon City (Resident Evil), tá lá, aos pedaços, mas está. Não tem uma doença, mas a cidade parece estar em quarentena, ninguém entra, ninguém sai, ninguém pode sobrevoar… Virou uma terra proibida. Vemos a tentativa de um padre e de um outro camarada tentando jogar comida pra dento da cidade de qualquer jeito e sendo impedidos, por terra e por céu.
Bárbara continua em suas “funções de Oráculo”. Ela está em um prédio à prova de terremotos e com painéis solares, gerando energia normalmente. Sorte? Não, é um prédio Wayne.
Bárbara explica como a cidade ficou, com gangues pra todo canto marcando seus territórios, tornando-se reis da “terra de ninguem”. Isso em boa parte foi graças ao Jeremiah Arkham, que soltou todos os detentos do Asilo Arkham (relembre aqui.)
Quem acompanha a história há algum tempo e já teve oportunidade de ler histórias a frente dessa já deve ter percebido que o Jeremiah Arkham é um desgraçado de marca maior. Eu sinceramente não entendo porque os heróis da familia morcego tem tanta tolerância com as merdas que esse cara faz. Mas deixando ele de lado (por enquanto…).
004A cidade foi dividida entre os “grandes” do submundo. A revista proporcionou um mapa muito interessante de Gotham, não me recordo de terem apresentado um mapa político de Gotham antes. Duas-Caras com seu território, Hera Venenosa com o seu, Crocodilo com o seu, assim como Mr. Freeze, Scarface, Zsasz, Pinguim, Espantalho, Máscara Negra, Caçadora e também a polícia.
O Coringa desapareceu, e isso deveria assustar muita gente. Já ouviram o ditado “amigos perto, inimigos mais perto ainda”? Então.
Quem estava se dando melhor na confusão foi o Pinguim que estava se aproveitando da situação graças a algum meio de importar coisas de fora da cidade. E o Batman? Pois é, sumiu. Segundo relatos, Bruce Wayne após ter obtido falha em sua tentativa de resolver os problemas de Gotham no congresso, simplesmente desapareceu, e isso já fazia 3 meses. Ainda deu ordens a seus morcegos menores para ficarem fora de lá.
Sumiço por sumiço, Gordon desiste do Batsinal, acha que Batman abandonou a cidade como todos os demais, disse que ele só vai pelos caminhos fáceis… É.

Gordon001

A relação do Batman com o Gordon tem horas que é incrível, ver a confiança mesmo o Batman sendo um mascarado sem garantia alguma de que vai fazer o que faz, porém não e a primeira vez que o Gordon joga tudo pro alto na hora do nervosismo. Sempre que a merda aperta e ele não consegue garantir pra si mesmo que o Batman ainda tá na boa intenção o velho alopra. Não é como o Dick Grayson ou o Alfred. Tudo bem que ambos sabem a identidade secreta do homem, mas vamos lá, o Gordon tá careca de saber que o Batman tá do lado do bem, só que age por caminhos “diferentes”.
Lembram o que falei do Coringa? Então, ele está montando a“Coringaville”, os território dele. Competindo diretamente com a Batgirl pixando por aí em nome do morcego.
007Não demorou muito e Batman voltou a ação. Por onde andava ninguém sabe, mas Alfred ficou na pior e ele apareceu. Deu um parecer que precisa reaprender a andar pela cidade, uma vez que está tudo destruido e tudo o retarda. Não demora muito e ele encontra a Batgirl. Ele elogia o uniforme e manda a mulher sumir, explica que já mandou todos demais morcegos não se envolverem pois a chapa tá quente em Gotham (ou no que sobrou dela). A mulher diz que a cidade precisa de um morcego, ele concorda, e ele então simplesmente deixa a mulher continuar fazendo o que estava fazendo. Não aprova, mas como ele mesmo disse, “não desaprovo”.
Batman decide adotar a “pixação do morcego” que a Batgirl estava fazendo por Gotham, e como primeira atitude toma o bando do Scarface, dá as ordens como se fosse um líder de gangue e deixa todo mundo avisado de proteger o território recém-tomado SEM armas, e pra continuarem pegando o tributo. Força os “ladrões de território”a pixar o Morcego por cima do próprio simbolo da gangue deles… O sujeito tá gangsta malvadão. Podemos chegar a um acordo… Agora é “GTA: Gotham City”.

“Você começa a salvar o mundo salvando um homem por vez, todo resto é romantismo ou política”. (Charles Bukowski.)

008Caçadora, Batgirl e Azrael meio que são forçadamente necessários pro Batman. O Morcego aciona o Azrael para caçar um dito cujo que pode jogar pra trás o maior investimento já feito por Bruce Wayne. O Morcego pretende aplicar todo seu dinheiro na cidade. Deu-lhe um novo uniforme, pois o outro estava associado a figura de um Azrael criminoso acusado de assassinato. Agora Jean Paul Valley virou uma boneca cibernética, um Robocop Gay. Brincadeira. Mas a roupa é lata pura, de longe até lembra o atual Batwing.
Caçadora ganha mais uns pontos de confiança com o Batman pelo trabalho incansável, entra um período de muita conversa com o Espantalho, espionagem de um ex-Máscara Negra…

006

A história por muito tempo é isso, jogadas políticas não-oficiais e decisões sem tempo de pensar. Batman está tendo que aceitar diversas coisas que muito provavelmente em outras ocasiões não aceitaria. Batgirl (que ainda não é Batgirl oficialmente nessa altura), como eu disse antes, foi “não-reprovada” e ficou na ativa na Terra de Ninguém.
Batman ainda encontra a Dra. Leslie e tem mais uma daquelas conversas ótimas que tanto gosto, ela sempre faz o temível Batman ser um eterno garoto.
Os mapas são um plus dentro dessa saga tão complexa e longa. Você vai vendo os avanços das “gangues”, e nesse caso, também estou pondo a polícia de Gotham e os “morcegos” como gangues. (Clique nas imagens para ampliar)

O título o tempo inteiro faz jus a história. Terra de Ninguém. Guerras e tomadas de território ocorrem de hora em hora. Em um trecho, Barbara narra 3 conflitos ao mesmo tempo, enquanto a polícia de Gotham invade territórios do Pinguim, o Pinguim em si quebra o trato que tem com o Batman e invade as terras do Morcego, e Duas-Caras avança rumo a algum lugar, e possui mais homens do que os demais pensavam.

005

Duas-Caras foi ao encontro do Pinguim, que estava tendo uma “barreira” do território dos morcegos, a Batgirl. Lá Pinguim foi traído pelo Duas-Caras da mesma forma que traiu o Batman. Ele iria dobrar seus territórios, e acabou perdendo metade do que possuia. E o Batman… Perdeu também. Batgirl abriu mão da luta pois estava sozinha. Batman foi preso por uma russa que foi cobaia de um implante cerebral para ler mentes, a mulher foi ao Batman a mando do Duas-Caras, mas de alguma forma ela não ficou como “inimiga” do Batman, apesar de ter lido a mente dele e descoberto todos os segredos. Pena talvez.

009Batman se solta e volta ao seu território, dando de cara com uma cena típica de guerra de gangues, vários de seus homens mortos.
David Cain também se mete na confusão, tenta matar o Comissário, Cassandra (sua filha) salva o velho Gordon e ganha uma gratidão especial de Bárbara, que decide lhe passar o cargo de Batgirl, que há tempos estava aposentado. O primeiro encontro de Batman com a “menina Cassandra” (sem estar vestida de morcego) foi recheada de flashbacks, dele treinando com David Cain, os exatos movimentos que David treinou sua filha Cassandra.
Duas-Caras levou um couro da jovem garota, Batman deu um aviso a ele e se mandou. David Cain ia levar um sarrafo do Batman, mas Cassandra impediu a coisa de continuar e ficar feia.
Como podem ver, essa saga foi a estreia, cheia de espaço para nova Batgirl. Nascida em meio a assassinos, lutadores e mercenários, e tornando-se Batgirl em meio ao caos completo em Gotham. É uma guerreira merecedora de todos créditos.
014Talvez tenha ocorrido alguma confusão na cabeça de vocês. Se a Cassandra era a nova Batgirl e e já havia uma Batgirl circulando, quem era ela? Pois é. Batman marca uma reunião com sua equipe. Asa Noturna, Robin, Azrael, Oráculo e Cassandra. Todos juntos, e o Batman repete uma cena que tanto vemos tanto no passado quando em histórias mais recentes, chama o Asa Noturna separado dos demais.
A relação Batman x Asa Noturna é uma coisa fantástica. Pelo Morcego ser um personagem tão… Fechado, independente e cheio de segredos, é curioso vê-lo “buscar contato” ou ser receptivo a personagem x ou y. Exemplos temos vários, e ao mesmo tempo poucos.
Batman tem uma amizade interessante com o Gordon, cheia de altos e baixos,e o Gordon se dá a liberdade de questionar, dar esporro, e inclusive como se pode ver nessa saga, meter um soco na cara do Batman. Gordon adota a amizade de Batman sem abandonar suas responsabilidades como Comissário, em momento algum você sente Gordon vacilar sua autoridade como policial diante do Batman. Constantemente em diversas sagas, Gordon diz que se o Batman mijar fora do penico ele vai caçar o Batman pra prendê-lo. É uma amizade ditada por regras e leis, uma amizade que TEM que correr corretamente pra ambos lados.
010Há também a amizade com a Dra. Leslie, que como eu disse antes, é como se fosse uma mãe ou avó pro Bruce. Ela além de saber a identidade secreta dele, também é conhecida de todos os demais membros. Dá esporro no Bruce quando necessário, e vive tratando o Morcego como se ele ainda fosse um garoto. Não mandando ele por um casaquinho porque tá frio em Gotham, mas dizendo coisas de sua infância, coisas de seus pais, lhe dando lições que seriam impossíveis de dar sem saber quem era ele.
A relação com Alfred, que é praticamente o pai de Bruce. Ele confia cegamente no Alfred, até porque o Alfred não deixa de cumprir nada que o Bruce pede. Inclusive pedidos que vão ter efeitos colaterais ruins para o próprio Bruce, Alfred não se detém, ele cumpre, como um bom soldado. Talvez por essa falta de indagação e lealdade ele seja o único dentro da Bat-familia com acesso total ao sistema de segurança da caverna, coisa que nenhum dos Robins ou Batgirls nunca tiveram.
E tem a relação dele com Dick Grayson, seu filho mais velho e soldado mais antigo lutando ao seu lado. Antes de qualquer Batgirl, antes de qualquer Azrael, antes que todos os demais Robins (óbvio)… Quando era só o Batman e a cidade, foi esse Robin, o Grayson, que estava lá. Eles tiveram suas diferenças sim, ficaram um bom tempo afastados, mas o Bruce ainda é o homem que o Grayson admira e respeita, assim como o Grayson é o único dos seus “prodígios” que ele admitiu ser bom demais pra viver na sombra dele. É o filho que ele disse pra si mesmo: “Ele cresceu e pode ser tão eficiente quanto eu”. Ele é sempre o segundo em comando, Batman normalmente compartilha os problemas primeiro com ele separadamente dos demais, isso quando os demais chegam a saber. Quando o problema é mais sério, a conversa pára no Grayson mesmo.

Nightwing_001

011Voltando a história. Ele chama o Asa Noturna, e ambos cercam a misteriosa Batgirl, que revela ser a Caçadora. Batman dá um mega esporro do jeitinho que ele curte e meio que “demitiu” ela de ser Batgirl. Exigiu que, se ela não seguisse suas ordens, deveria abandonar a luta em Gotham; ela obviamente recusou, mas agora passaria a agir apenas como Caçadora, não mais como Batgirl.
Batman e Asa Noturna retornam ao local da reunião. Começa então talvez a melhor parte da saga. A equipe inteira junta, recebendo as ordens diretas do Morcego. Ele revela quem é a menina (que até então não se chama Cassandra). Ele diz que ela é filha de David Cain, o assassino que todos conhecem, diz que ela está a altura, que é excelente lutadora, que nunca mataria e que nunca se renderia numa luta, Robin faz uma pergunta simples que deve ter passado na cabeça dos demais, e Batman revela que Cain foi um dos homens que o treinou. Drake leva um susto. Eu também levaria. Se o BATMAN me diz “aquele ali foi meu mestre” eu me julgaria com alguns anos de vida a menos só de ter olhado pro cara.
Nightwing_002Mas então… As ordens foram claras, e uma delas incrível. Bárbara ficou encarregada de continuar com a parte de informações. Azrael e a Cassandra (que ainda não é Cassandra) iriam atrás do Scratch, o tal sujeito responsável pelo evento “Terra de Ninguém”. Robin ficaria em um projeto especial que não foi revelado ali e o Asa Noturna… Nada demais, palavras do Batman: “Em 24 horas ele estará dentro de Blackgate. Em 48 horas Blackgate estará sob controle dele”. Em 24 horas eu não consigo nem arrumar minha casa. Mas ele é o Asa Noturna, e obviamente o Batman não confiaria uma tarefa dessas a qualquer um.
Finalmente (Cassandra) Cain é feita Batgirl oficialmente. No mapa de Gotham nesse ponto da história já podemos ver que o Batman é o maior detentor de territórios. Achei interesante um cara como o Zsasz que nem tem nada demais ter tanto espaço, mas beleza.
Batman resolve fazer uma visitinha ao Pinguim. Uma das melhores páginas. Lá está o Pinguim em sua sala luxuosa, com uma loira ao lado… De repente começa uma barulheira do lado de fora, barulheira que ele pelo visto conhece de outros verões, logo aparece um de seus homens dizendo “Sr. Cobblepot, o Batman…”, e o Pinguim diz “Eu ouvi. Deixe ele entrar, seu idiota”. Como se tivesse opção, né? E lá vem a silhueta obscura curvada igual uma fera pronta pra atacar.

019Ele foi atrás de informações sobre a Hera Venenosa, e acabou recebendo do Cara de Barro. Melhor que nada. Batman foi com Robin para o Parque Central, onde é dito que Hera estava, e sim, realmente estava, vegetação viva e tal, só podia ser ela. Ela deixou a Dupla Dinâmica entrar. Batman então dá uma mini-aula contando sobre Calígula, e revela a Robin um túnel que ele mandou construir enquanto esteve fora. Eles vão seguindo por esse novo caminho, e encontram a Hera presa dentro de sua batcarverna improvisada.
Ela explica a situação com o Cara de Barro, Batman como um gentleman diz que vai sujar as botas de lama. Arma um plano com a Hera e com o Robin e tudo se resolve praqueles cantos. Cara de Barro vira adubo pras plantas da Hera, o verão chega a Gotham e Batman acerta um acordo com ela. Ela pode ficar com o parque pra ela, mas não pode deixar ninguém invadir o território, vai plantar apenas o necessário e em dias certos vai fornecer provisões para a cidade. Ela concordou.
Catwoman001No meio do caos, Batman virou um negociante de mão cheia. De quebra ainda arrumou um beijo da Mulher-Gato. É quase um por saga.
Os próximos encontros do Batman foram com gente menos bonita que a Selina, primeiro com o Mr. Freeze e depois com o Crocodilo. O Morcego tombou os dois, mostrando que está indo atrás de um por vez, tomando seus territórios como em um imenso jogo de xadrez.
Como se não bastasse toda confusão que Gotham já enfrenta, adivinhem quem resolveu fazer uma visita a cidade e entra lá a força? Bane. Ele entrou lá tranquilamente igual um boina-verde louco. Só louco mesmo pra entrar em Gotham naquele estado. Logo Batman o recebe, começa uma luta que se estende para um velho depósito. Bane lembra ao Batman que já o derrotou uma vez e Batman diz que dará cabo dele ali mesmo.
Detalhe para a arte dessa história. Boa? Em parte, QUE DIABO DE ORELHAS o Mike Deodato pôs no Batman? Aquilo não é mais comunicador com a Oráculo, aquilo é comunicador com o Ajax em Marte, deve pegar sinal de satélite aquele lance. Mas deixando esses chifres de demônio de lado (como se Morcegos tivessem chifre…)
Asa Noturna invade Blackgate, Azrael arruma encrenca “punk” em seu destino, Robin continua suas investidas, Batman como um “general móvel” tenta coordenar todos os cantos ao mesmo tempo… E a Terra de Ninguém está ganhando controle. Já em cerca do “dia 200”. 2/3 de um ano.

“O herói é uma peça que fica a margem. O herói não faz mais parte do corpo da humanidade. O herói anda no fio da navalha, entre o céu e o inferno, porque não se importa com sentimentalismos ou fantasias da opinião publica”. (Batman falando com Lince)

024Bane começa preparativos pra alguma festinha de 15 anos… Explosivos para algo grande. Bane sempre entra pra tocar fogo na zona.
Agora temos um caso diferente. Arlequina improvisou um Batsinal para chamar o Batman, reclama que o Coringa tentou matá-la e diz ao Morcego que quer levá-lo até o palhaço. As coisas correm dessa forma e acontece uma fala engraçada. Arlequina perde o controle e quer bater no Coringa sozinha, querendo impedir o Batman de encostar nele. O Coringa vê a cena e diz “Arlequina viva! E trocando murros com o Batman? Isso está surreal demais para mim, vou embora!”. Pro Coringa achar algo surrreal, caramba…
Arlequina por fim desculpa o Coringa, detona uma bomba que machuca bastante o Batman e ambos fogem. Situação meio comum.
Incomum em Gotham, fora ela ter se tornado uma Terra de Ninguém, foi ver que a Dra. Leslie virou uma “aliada” até pros vilões. Ela conversou normalmente com o Crocodilo, que estava preocupado com um amigo ferido pelo Zsasz, que por sua vez também estava sob os cuidados da doutora. Leslie em seus pensamentos disse que seu monstro não é o Zsasz, nem o Crocodilo, mas sim o Batman, pois ele é o que mais a assusta, por ser quem mais a comove.

012O Morcego descobre que o sangue que ele teve tanta dificuldade de trazer, era pra uma transfusão no… Zsasz. O homem ficou na revolta dentro das bat-cuecas e disse pra doutora que ela não faria isso. Ela disse que sim, a não ser que ele a impedisse fisicamente, e que não sabia que a Terra de Ninguém o transformou em um assassino. O Morcego calou e tudo terminou com mais um esporro da Leslie, dizendo que o Bruce é teimoso e infantil em sua cólera. Batman dá as costas e se manda, mas dá uma ordem clara pra Batgirl. Proteger a clínica e a doutora com a própria vida.
Claro que ia dar problema. Zsasz acordou, a doutora tentou contê-lo sem violência, ele hesitou por alguns segundos e ia tentar matá-la, foi então que o Crocodilo (que já estava doido pra pegar o Zsasz) o acertou e começou uma briga, que terminou com a chegada do Morcego.
Onde estava Batgirl? Saindo no tapa com a Caçadora.
Onde está Bane? Seguindo com os planos de alguém que o pagou. Armamento pesado, armadilhas, tudo guardado em um tipo de base secreta ou subsolo. Ele tinha um cronograma muito sério. Elepegou uma moça para “ajudá-lo”, ela disse que se os amigos dela soubessem das armas teriam feito um inferno. Bane diz “Carnificina sem sentido”, ela pergunta “E você, vai fazer o que?”, ele responde tranquilo como um grilo “Carnificina com sentido”. Boa, Bane.Bane001
016Ela pergunta “Você vai roubar esse lugar?”, ele responde “Vou DESTRUIR esse lugar. Não vai sobrar pedra sobre pedra” Boa, Bane. [2]
O sujeito descarrega trocentas balas, mata todos capangas do Duas-Caras, larga o sujeito indefeso pra ser enforcado pelos rivais, invade o centro de Gotham onde estão registradas todas as transações da cidade, e tira de sua mochilinha um monte de mini bombas nucleares que ele fez em casa. A menina pergunta “Você sabe o que está fazendo?”, ele responde “Eu leio muito”, ela pergunta “Sobre bombas?”, ele “E história também”. Bane é um cara muito culto. Boa, Bane [3].

021Azrael tem um encontro maroto com o São Dumas. Sim, o criado da Ordem que ele faz parte. São Dumas é um sujeito simpático com aparência de demônio, uma caveira gigante em chamas com roupa de templário segurando uma espada. Tão simpático que fez questão de lembrar que sua ordem é que treinou todos os descendentes homens de Jean Paul Valley nos últimos 6 séculos, e também quem matou todas as mulheres da família dele, pois, “eram só mulheres” (palavras do São Dumas).
Ele julga ser uma alucinação, mas a alucinação deu umas dicas que Azrael não tinha como saber… Vai entender. Ele arranjou um barco no fundo do rio Gotham, um lugar sem vigilância, barco esse que podia ser usado para ir embora de lá. Azrael passou a “viagem” para Dra. Leslie e uma outra moça que vocês vão conhecer lendo as histórias dele.
Lembram a missão do Asa Noturna? Sim, a mais fácil, tomar Blackgate sozinho. O cara cumpriu. Blackgate passou a ser território do Morcego. Asa Noturna voltou à torre do relógio para o encontro de Bárbara, um tanto abatido, pois em Blackgate a coisa fedeu demais pro lado dele, mas mesmo assim ele resolveu.
Batman recebe uma visita do Superman. Quem já leu alguns de meus textos aqui sabe que dou um espaço especial pra dualidade desses dois. Superman foi na Terra de Ninguém como Clark Kent, não como o queridinho de Krypton. Disse ao Batman que tentou se vestir normalmente pra não chamar atenção, perguntou como estava. Batman disse que ninguém ali cheirava a desodorante há pelo menos 5 meses, e que a camisa dele estava sem marcas de suor. Superman pode ter visão raio-x, mas o Batman tem visão de detetive, fazer o que.

Superman001
027Foi engraçado ver o Batman dizendo que ele (Superman) tinha sorte dele ter perdido a Kryptonita no terremoto.
Dentro das quase 100 revistas que totalizam a obra “Terra de Ninguém”, tem uma revista chamada “Terra de Ninguém” (Ah, vá. Acharam que se chamava “Contágio”, né?). Então… A revista, pelo que sei, saiu “separado” do resto da saga. Ela na verdade é a “número 0”, que mostra onde o Bruce tava metido antes de entrar em ação pra valer como Batman na “Terra de Ninguém” e mostra também a Caçadora usando a primeira versão de seu uniforme de Batgirl, com a boca descoberta.
Na parte do Bruce, ele encontra Talia Al Ghul em casa após se deixar levar uma surra na rua pra não levantar suspeitas em cima da imagem de Bruce Wayne, o playboy que não deveria saber se defender sozinho.
026Talia teve aquele comportamento clássico, mete um tabefe na cara dele e depois quer abraçar seu amado. Ela lança uma “descrição” interessante do Morcego: “Batman, o discípulo do mestre Kirigi… estudante das 12 disciplinas, mestre da ‘mão suspirante’… Amante da filha do demônio…”. Essas mãos suspirantes ficaram meio suspeitas na posição em que se encontravam, mas ok, ok, não to aqui pra segurar vela pros dois. Não quero assistir a produção do Damian. Se não sabem quem é Damian, finjam que não leram nada.
Também mostra ele “treinando”, com luvas de boxe em um saco de areia, como se o Batman fosse o Acelino Popó, um lance RIDÍCULO. Eu não sei o que passa na cabeça desse povo pra sempre que quer fazer um sujeito treinando, por o cara lutando boxe. Cacilda mano, até eu em meus tempos de muay thai treinava mais pesado que aquilo, e eu sou peso-pena-de-filhote-de-canário.
Enfim, a tal revista então mostra o episódio que levou Helena a “fechar a boca” da máscara de Batgirl. Um pixador meteu spray vermelho no queixo dela. Facilitaria ser reconhecida.
De volta a trama principal… Temos Asa Noturna sob os cuidados de Bárbara na Torre do Relógio. Lembrando que ele tinha acabado de voltar da última missão que Batman lhe deu, retomar o controle de Blackgate. Claro que ele não saiu ileso de lá, e na torre do relógio recebeu os cuidados necessários de Bárbara.

020

Rola talvez a primeira cena mais “romance” de toda a saga, um papinho torto entre Asa Noturna e Barbara, ela se lamenta por suas pernas, Grayson dá uma investida, fala que se acostumaria a comer sopa conversando com ela, só eles, coisa e tal e pimba, tasca-lhe um beijo. Grayson é um dos farpinhas mais bem sucedidos dos quadrinhos, como vocês devem saber e podem ver. Durante todo esse trecho de Asa Noturna x Bárbara desde que ele voltou de Blackgate, ele fica insistindo que ainda gosta dela, que isso, que aquilo, que pra ele não acabou… Mas nem tudo são flores, ocorre uma invasão, e a Caçadora se mete na cena.
A história pula parauma noticia incomum de jornal na TV… Timothy Drake desaparecido, e o pai do dito cujo movendo as buscas.

018

Outro salto pra longe desse caso, Batman vai para o quintal de Gordon e o encontra. Acontece então uma das boas conversas entre essa dupla tão famosa. Mas não como estamos acostumados. Essa conversa ultrapassou um pouco o adjetivo “ótimo”, foi meio “over nine thousand!”.
Gordon questiona onde Batman esteve, questiona a amizade do Morcego. Batman diz que é amigo, Gordon diz que não é, Batman diz que são parceiros, Gordon diz que não são. Gordon afirma que se fossem isso tudo, um saberia dos planos do outro, coisa que não ocorre, e que um não desapareceria enquanto o outro está terminando uma frase (coisa que o Batman faz com quase todo mundo).

Gordon002Entre razões, erros e verdades, Gordon diz que ele é grato sim ao Batman, por ele ter salvo tanto sua esposa quanto ter defendido o povo por tanto tempo (na história foi dito por 10 anos). Gordon disse que quando foi declarada a Terra de Ninguém, ele quis desistir, tentou encontrar emprego, mesmo que não fosse de Comissário, mas detetive que fosse em outras cidades, e ninguém o aceitou. E isso em razão dele precisar de uma “lenda urbana” para fazer seu serviço. Todos riam dele, pelas costas e pela frente tambem. Uma cena que se você imaginar chega a ser perturbadora. Se colocando no lugar do Gordon você quase chega a entender a razão pela qual ele deu um soco na cara do Batman.
Sim, ele bateu no homem, eu achei que ele ia quebrar a mão, mas o Batman deve ter movido o rosto, assim como o Superman fez quando o Batman tentou lhe dar um soco na cara após a morte do Jason Todd.
Por fim, Batman não vê outra forma de mostrar que confia no Gordon, e tira o capuz. Gordon se vira de costas e manda ele colocar novamente a máscara. Foi interessante ver a cena, inicialmente eu pensei “Caramba, não esperava”. Mas depois pensei bem e notei que sendo o Gordon, alguém que nunca correu atrás de saber a identidade do Batman, talvez ele fosse fazer isso mesmo.

Gordon003Agora que os “Azulões” tem mais contato com os “Morcegos”, os territórios começam a valer praticamente como um. Cada vez menos sobra terra pros vilões. Agora o campeão de terras é o Batman, logo a seguir a polícia, depois os “Brutamontes” e por fim o Coringa. Fora esses, agora tem um novo pedaço de terra, o território do Lex.
023Batman, Batgirl e Azrael encontram-se com Gordon, que chegou com um novo mapa que talvez fosse ajudar. Durante esse papo, é revelado que o dinheiro a ser investido na Terra de Ninguém já está em andamento, que o lance será revogado e Gotham receberá investimentos para ser consertada.
Os próximos quadros mostram a chegada de… Lex Luthor. Descobre-se que ELE é o contratante do Bane, e que ele quer reconstruir Gotham City do próprio bolso. Batman vai fazer uma visita ao careca. Uma visita meio idiota, Batman curte dar esses avisos no meio da noite, dando um susto nas pessoas, mas tecnicamente, nada mudou. Lex Luthor não é idiota, e se tinha acesso a contratar o BANE, com certeza sabia que toparia com o Batman em Gotham.
E falando em Bane, o gigante foi junto a “guarda-costas” do Lex atrás do Coringa. Bane dá umas boas porradas no palhaço e bota todo mundo pra correr. Bane retorna pro trailer onde aparentemente está alojado, quase certo que no território de Lex Luthor em Gotham. Lá, Bane sem sua máscara, recebe uma visita do Batman.
Chega a ser bizarro lembrar da saga “Queda do Morcego” e ver os dois trancados num lugar tão apertado conversando. Batman cumpre seu papel de detetive e deduz que Luthor garantiu ao Bane como pagamento de seus serviços a sua terra natal, “Santa Prisca”. Bane confirma. Batman então põe as cartas na mesa, disse que vai tombar o Luthor e que muito provavelmente ele não vai cumprir o que combinou com Bane, e enfim deixa a questão no ar: “Você prefere me enfrentar ou ter seu próprio país?”, e Bane topa sair de Gotham no fim de semana.
015Pinguim também tenta dar um papo, ameaça Lex Luthor dizendo que se não ganhar uma parte do bolo, vai dedurar na mídia as negociações que foram feitas entre eles. Os capangas do Luthor detonam os capangas do Pinguim e o largam sozinho.
Já se passa um ano desde que Gotham tornou-se Terra de Ninguém, e não mais que merecido, os esforços chegaram a algum lugar. Lucius Fox anuncia que as Empresas Wayne estão entrando em Gotham no dia 1º de Janeiro com suprimentos, engenheiros do exército e tecnologia para começar a reconstrução.
Já na revista do Asa Noturna… Os homens do projeto de general que a Caçadora havia se aliado estavam atrás dela, e ela correu pra Torre do Relógio. Asa Noturna puxou Bárbara para o topo do elevador, do lado de fora da “caixa” onde normalmente nós andariamos em um elevador. A Caçadora cai vinda de cima (vinda de baixo ia ser cult demais) no meio dos dois, corta os cabos e eles descem em alta velocidade (caindo pra baixo, como manda a gravidade) fugindo dos tiros.
Eles são rendidos no térreo, Bárbara ativa seu sistema de segurança por voz (sistema esse que dispara de jeito muito inteligente, deixarei pra vocês verem) e eles ficam salvos por hora.
028A Caçadora totalmente desavisada, chama o Grayson de “amor” e ainda lhe tasca um beijo, na frente da Bárbara. A ruiva fechou a cara, o Grayson ficou totalmente sem jeito, e a Caçadora ainda lançou um “a gente se vê”. Cortou as asas do Menino-Prodígio com a Bárbara.
Quando o natal chega, o Coringa apronta. Caçadora tenta conter a confusão praticamente sozinha, fica em estado grave e só não morre pro palhaço graças à chegada de Batman e Asa Noturna. É descoberto então que o Coringa sequestoru bebês por toda Terra de Ninguém. Oráculo dá alerta máximo aos Morcegos.
Eles perseguem o Coringa e descobrem que na verdade era a Arlequina, e ela entrega que o Coringa está com todos os bebês na delegacia, onde ninguém iria procurar. Lá vão eles, e lá estão os bebês, quem chega primeiro foi Sarah, a noiva de Gordon. Coringa ameaça a criança com a arma, depois dá a criança para Sarah, e então lhe dá um tiro na cabeça.

SarahQuase de imediato os reforços chegam, junto aos morcegos e azulões, porém já é tarde. Coringa sai de lá e se entrega no mesmo momento sem ao menos lhe dirigirem a palavra.
Montoya sai de dentro da delegacia chorando e dá a noticia. Gordon puxa sua arma em um dos momentos mais tristes de toda a saga, aponta para o Coringa, que ao seu natural não parou de sorrir. Gordon queria matá-lo, Batman disse que não impediria, mas que não deveria ser dessa forma. O Comissário então dispara no joelho do Coringa, ele cai dizendo que talvez não poderia mais andar, e então ri dizendo “Ah, entendi, como sua filha. Boa, comissário!”.

Joker001
029Enterro de Sarah foi no dia 31 de Dezembro. A noite, festa de véspera de Ano Novo e reinauguração de Gotham. Lucius Fox levou ao Lex uma papelada que prova irregularidades nos investimentos da Lex Corp em Gotham, mostrando que a coisa não foi filantrópica. Ele deixou os documentos na mesa do Lex, e disse que não precisava daqueles, pois tinha cópias. Lucius mal deixou a sala e Lex mandou sua guarda-costas matá-lo. Batman entra pela porta, detona a segurança, agarra Lex pela gravata e manda ele sair da cidade.
Asa Noturna na véspera de ano novo, ao invés de ir até Bárbara… Foi até a Caçadora. Que feio, Grayson. E o Batman… Passou a véspera sobre o túmulo de seus pais.
Esse foi o desfecho de Terra de Ninguém. Um ano inteiro de caos, guerras por território, investimentos, jogadas políticas, lutas, mortes, planos, acordos, muitos vilões… e o Morcego saiu por cima mais uma vez. Quer dizer… Em um episódio como esse não tem como sair por cima. Mas Gotham resusscitou, e o Batman vai seguir sua missão junto de seus aliados.

LINEDOWN

Notas da Jéssica:
Algumas observações sobre a saga.

Dentro da enorme história que é “Terra de Ninguém”, estão duas HQs que já postei aqui no Batman Guide. Basta clicar no título para acessar o post correspondente.

  • A primeira é “Batman – Equilíbrio”, (Batman: Legends of the Dark Knight Vol 1 #118 – “Balance”, junho de 1999, roteiro de Greg Rucka e arte de Jason Pearson), que nos conta um pouco da relação entre Alfred Pennyworth e Batman.
  • A segunda é “Arlequina” (Batman: Harley Quinn, roteiro de Paul Dini e arte de Yvel Guichet, outubro de 1999), e, como o nome sugere, conta a história da ex-psicóloga Harleen Quinzel, que trabalhava no Asilo Arkham até… se apaixonar pelo Coringa.

No link que coloquei para baixar, após o fim da história temos dois extras. Primeiro, uma Galeria de Imagens com MUITAS ilustrações em excelente qualidade envolvendo os personagens e cenários da história. E tem também uma edição chamada “Arquivos Secretos e Origens”, com informações variadas sobre a saga “Terra de Ninguém”: descrição da Batcaverna, informações do “Esquadrão do Batman” (como você pode ver abaixo, clique na imagem para ampliar), informações sobre os parceiros e inimigos do Batman, descrição das gangues que dominaram Gotham durante a “Terra de Ninguém” e também uma linha do tempo da cidade durante esse período!

SecretFiles001

Sobre os arquivos para download: eu fiquei umas 4h juntando e renomeando os arquivos, e consegui montar um único arquivo para download com “Terra de Ninguém” completo! Só que o arquivo ficou um pouco pesado. Como eu estou em casa durante essa semana por recesso da faculdade, não conseguirei upar o aquivo com a conexão daqui. Vocês podem baixar essa mega-saga em 7 partes, é só clicar nos links abaixo!

PARTE_07

Download no MEGA – Batman: Terra de Ninguém – Parte 01 de 07
PARTE_06Download no MEGA – Batman: Terra de Ninguém – Parte 02 de 07

PARTE_05

Download no MEGA – Batman: Terra de Ninguém – Parte 03 de 07 

PARTE_04

Download no MEGA – Batman: Terra de Ninguém – Parte 04 de 07 

PARTE_03Download no MEGA  – Batman: Terra de Ninguém – Parte 05 de 07
PARTE_02Download no MEGA  – Batman: Terra de Ninguém – Parte 06 de 07
PARTE_01Download no MEGA – Batman: Terra de Ninguém – Parte 07 de 07

Anúncios

  1. Olá. Eu além de possuir mais de 1000 revistas do Batman e ler tudo que sai do Batman, acho que faltou escrever sobre os motivos que levaram Gotham à Terra de Ninguém. Boa parte deles podem ser encontrados no arco Road to No Man’s Land que eu digitalizei uns anos atrás.

  2. Pingback: #55 – Batgirl: Corrida Silenciosa (Cassandra Cain) | Batman Guide

  3. Pingback: #64 – Batman: Jogos de Guerra | Batman Guide

  4. Pingback: ENTENDENDO: Crise Infinita | Batman Guide

  5. Pingback: #67 – Batman: Cara a Cara | Batman Guide

  6. Pingback: #79 – Batalha pelo Manto: Especiais | Batman Guide

  7. Pingback: #80 – Batwoman: Elegia (“Batman: Renascido” – 1ª Parte) | Batman Guide

  8. Pingback: #82 – A Ascensão de Batgirl (Stephanie Brown) (“Batman: Renascido” – 2ª Parte) | Batman Guide

  9. Pingback: #82 – A Ascensão de Batgirl (Stephanie Brown) (“Batman: Renascido” – 3ª Parte) | Batman Guide

  10. Pingback: #86: Batman: Escuridão Profunda (“Batman: Renascido” – 7ª Parte) | Batman Guide

  11. Pingback: Feliz 2014! | Batman Guide

  12. Pingback: #91 – Bruce Wayne: Estrada Para Casa | Batman Guide

  13. Pingback: #100 – Richard “Dick” Grayson | Batman Guide

  14. Pingback: RESULTADO do Aniversário de 3 anos do Batman Guide – Sorteios e Quizz de Batman! | Batman Guide

  15. Pingback: #101 – Superman: Liga da Justiça Elite | Batman Guide

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s