ANIVERSÁRIO DO BLOG & Resultado do sorteio

Oi!
Cá estou eu, emocionadíssima ao ver meu projeto tão querido completando seu primeiro aniversário. Antes do resultado do sorteio, algumas palavrinhas dos dois autores desse blog!

Arte de Clarice Dellape
https://www.facebook.com/Cla666

» Jéssica
anniversaryHá um ano atrás, exatamente às 15h04, eu criava esse blog. Eu nunca havia conseguido manter um blog antes, sempre desanimava no caminho. Até que decidi criar o Batman Guide. Eu quis criar o blog depois de observar que muitas pessoas desistem de ler quadrinhos por não conseguirem dar o primeiro passo. Não são todas as pessoas que tem contato desde a infância com os quadrinhos, e muitas vezes é impossível ou inacessível, numa rotina tão corrida como a nossa, parar para achar a lógica necessária à leitura e compreensão quadrinhos. Quis tornar isso mais acessível, mais próximo das pessoas. Eu acho que sempre é tempo de aprender sobre qualquer assunto. Só que nem sempre sabemos como fazer isso, e uma ajudinha sempre cai bem, né?
Batman pra mim é uma inspiração. Desde o começo deixei claro que não sou expert no assunto, e certamente alguns leitores tem uma coleção de HQs maior que a minha. Mas eu me dispus a dividir meu conhecimento com vocês porque considero que o personagem de Batman é algo que merece chegar ao maior número de pessoas possível. Esse é o meu trabalho aqui, e ele é feito com tanto carinho e dedicação, e a recepção de vocês é tão calorosa, que eu tenho o pressentimento bom de que o Batman Guide ainda vai durar muito tempo.
Não fiz essa caminhada sozinha, e preciso dispensar meus carinhos e agradecimentos à quem me deu as mãos pra chegar até aqui.
Ao Augusto, meu sidekick tão querido, que entrou no meio do projeto mas já é a locomotiva dele. Obrigada por ter me influenciado desde quando eu era uma menina sem noção nenhuma das coisas, obrigada por dividir seus conhecimentos comigo, por me ajudar com a organização, por ajustar meus erros, obrigada pela sua pontualidade e dedicação ímpares. Obrigada, amigo e mestre.
Ao meu namorado Ricardo, meu muito obrigada por desde o começo ter acreditado em mim, por ter paciência quando estou produzindo os textos, por sempre se interessar pelo blog e me ajudar a divulgar, pelas inúmeras vezes em que cedeu recursos eletrônicos para que eu montasse o blog, pelas revisões, por me ajudar nas traduções, por me dar força nesse projeto.
Ao Jair, por ter impulsionado a divulgação do blog, por me ajudar tantas vezes, pela paciência de não me mandar pro inferno toda vez que vou atrás dele procurando uma HQ obscura e difícil de achar rs. Obrigada por ter acreditado nesse projeto quando ele ainda tinha um futuro incógnito, por ter relacionado um blog tão famoso e consagrado como o CoringaFiles ao Batman Guide.
Obrigada a todos que me ajudaram tirando dúvidas pontuais para algum post ou comentário. Obrigada pelo suporte!
Aos meus parceiros, que me ajudam na divulgação do blog: Nihil Fuck, Gibiscuits, Entre Cafés e Cigarros, Lucas Mota e Drunkwookie. Obrigada, amigos!
Aos meus fiéis comentaristas aqui do blog, o Leandro Ernani Freitag, Leandro Brito e Erus Levi, que deixam suas impressões em praticamente todas as HQs que posto aqui. Obrigada pelo carinho, seus lindos!
E a parte principal: agradeço a vocês, queridos leitores, aqueles que comentam, os que não comentam, os que leem meus textos, que baixam as HQs, que se interessam por Batman, aqueles que curtem a página do blog no Facebook, que seguem no Twitter, curtem as fotos que posto, a todos que me acompanham: meu muito obrigada por toda essa força que vocês me deram. Prometo que esse próximo terá muitos posts interessantes, especiais, sorteios, novidades… E espero contar com a presença de vocês no próximo ano. De coração, meu MUITO OBRIGADA.

» Augusto
Eu não estive presente no início de tudo, não vi começar. Fui convidado a escrever já numa altura grande do campeonato. Achei a proposta excelente, era tudo que eu queria algum dia ter feito mas sempre tive preguiça.
Eu infelizmente não sei pôr uma “máquina” dessas pra funcionar, minha paciência é um pouco curta pra certas coisas, então deu mais do que certo essa função de apenas escrever. Nos primeiros dias eu poderia até dizer que era só diversão ou qualquer coisa assim, mas com o passar de algumas semanas a coisa já não podia ser descrita dessa forma.
Quando me flagrei pensando “tenho que aprontar logo tal texto” notei que eu estava levando isso acima de simples “diversão”. Até porque, Batman pra mim não é só diversão e passatempo. Não falo “Batman” apenas o personagem, falo a série e tudo que ela engloba.
Tem gente que se enfurna dentro dos livros e filmes do 007, outros do Sherlock Holmes, alguns mudam a realidade pra dentro de seriados como CSI e Supernatural, alguns viram moradores definitivos de Hogwarts ou da Terra Média… E eu, assim como alguns de vocês, faço parte de Gotham City.
Acho que as pessoas buscam passar adiante seus conhecimentos, descobertas, opiniões e observações sobre um assunto que gostam. Comigo não foi diferente. Fiquei feliz pelo convite de escrever sobre essa série que tanto gosto e há tantos anos coleciono. Não sabia se eu renderia fazendo isso, até hoje não sei se deu certo, mas ainda estou aqui. Já tive alguns marcos bacanas, tipo o post nº 50, o espaço quase que exclusivo para falar dos filmes do morcego, e a oportunidade de falar sobre grandes histórias.
Apesar dos links disponibilizando as histórias em .cbr, organizando tudo de maneira simples (coisa que a DC deixa a desejar às vezes), sempre que puderem, comprem as HQs. E se possívelm comprem HQs (ou mangás se também gostam) em lojas especializadas nisso.
Bancas de jornal não vivem apenas disso, já as lojas especializadas sim, e essas quando crescem podem disponibilizar material exclusivo que não sai em bancas, fora que também podem fazer encomendas mais específicas, e dependendo do progresso das vendas, até investir em outros elementos como camisas, miniaturas, acesórios e diversas outras coisas. Todo mundo mundo ganha.
Esse foi nosso “Year One”. Vamos seguindo até onde houver histórias escritas, e como vocês sabem, a coisa está funcionado a pleno vapor desde 1938~1939. Continuem acompanhando o blog, estamos fazendo o possível para manter tudo organizado e bem explicado. Até o “Year Two”.

Bom, agora vamos ao resultado do sorteio 😛

cake1

Continuar lendo

Anúncios

Arkham Origins: Preview, Galeria de Imagens e Vídeos

UPDATE 25/05/2013

Trailer novo do jogo Arkham Origins:

E análise do trailer pelo canal BatmanArkhamVideos, mostrando elementos que passariam despercebidos, como as vozes dos bandidos serem as mesmas dos posteriores presos em Arkham City, relações com a animação, referências a outros personagens, roteiristas, trilha sonora, análise dos artefatos usados na luta, etc.

Oi!
Post excepcional nessa tarde de segunda para falar do novo jogo do Morcego que foi anunciado esse ano. “Batman – Arkham Origins” será lançado em 25 de outubro para Wii U, PlayStation 3, Xbox 360 e PCs. Diferente dos outros dois jogos da série, não é a Rocksteady quem está produzindo os jogos, mas a Warner Bros de Montreal.
Tentei reunir o máximo de informações possíveis para vocês, espero que gostem do texto! No fim da página tem uma galeria das imagens e vídeos já disponíveis do jogo. Conforme forem aparecendo eu disponibilizo aqui no Batman Guide!

Origins

Esse novo jogo se passa antes dos dois outros lançados (Arkham Asylum e Arkham City). Conheceremos um Batman jovem, ainda no começo da carreira em Gotham City – e consequentemente cometendo uma série de erros e despertando a raiva em criminosos da cidade.
O principal inimigo do jogo Arkham Origins será Máscara Negra, um poderoso chefão mafioso em Gotham. Ele coloca um preço pela cabeça de Batman, e começa a corrida de oito chefões assassinos e mercenários para matá-lo e receber o dinheiro. E como era de se esperar, a polícia de Gotham está contra ele (ponto positivo por terem observado esse elemnto nas HQs), e além de proteger sua vida, Batman precisará provar para a polícia que não é criminoso.
O jogo se passa na época de Natal (o que explica a ausência de civis nas ruas). Aparecem alguns personagens novos como o Exterminador, e outros que já apareceram na saga também marcarão lugar em Origins num momento anterior aos apresentados nos outros dois jogos – veremos, por exemplo, as brigas iniciais entre Batman e Pinguim. O produtor sênior da Warner Bros Montreal, Bem Mattes, exemplificou dizendo que “O Batman de Arkham City é o Batman 5.0… O nosso Batman é a versão 0.9″. Como exemplo, ele diz que o Batman de Arkham City sabe exatamente quantos dentes quebrou do inimigo com um soco, enquanto que o de Arkham Origins não. A batalha contra o Sr. Frio em Arkham City foi o modelo utilizado para as lutas dos chefes em Arkham Origins (e agora é a hora em que a autora desse texto fica deprimida, porque pra mim o Freeze foi o vilão mais difícil de Arkham City).
Ele conta com um arsenal diferenciado, não necessariamente o mesmo dos outros jogos. O lançador de gancho terá funções similares às do jogo Just Cause 2. Com o Exterminador ele conseguirá um equipamento que permite prender dois pontos diferentes com uma corda – e ele poderá, por exemplo, jogar elementos do cenário na cara dos bandidos.
Teremos uma nova área chamada New Gotham, mais moderna e arrojada, que contrastarão com a Old Gotham. A ponte entre a velha e a nova Gotham é uma área totalmente possível de explorar. Além disso, o mapa de Origins terá o dobro do tamanho do mapa de Arkham City (que não era nem um pouco pequeno).
Batman já é um grande detetive em Origins, apesar de ainda não ser o maior detetive do mundo. Com o visor presente em seu capuz, ele será capaz de projetar hologramas para recriar as cenas em questão; poderá, então, controlar a exibição desses hologramas, retrocedendo, avançando ou pausando as cenas, girando ao redor para visualizar outros ângulos e procurando maiores detalhes para suas investigações. Por vezes essas investigações exigirão que ele faça uma visita em outra área da cidade para prosseguir nas buscas.
Segundo informações do site Kotaku, Arkham Origins terá modo multiplayer online – algo inédito na série. Segundo as fontes do site, o usuário poderá jogar como membro da gangue de Coringa ou de Bane, para aniquilar Batman e Robin.
Uma boa notícia para quem gostava dos Desafios e Missões Paralelas: os produtores estão propensos a integrar os Challenges à narrativa linear do jogo. Se antes elas eram totalmente opcionais, agora elas poderão estar integradas à aventura e render pontos de experiência àqueles que as jogarem.
A versão portátil do jogo se chamará Arkham Origins Blackgate, disponível para as plataformas Nintendo 3DS e OS Vita. Está sendo produzido pelo Armature Studio, que é composto por ex-desenvolvedores da trilogia Metroid Prime, e tem previsão de lançamento também para 25 de outubro.
O jogo se se situará após os eventos de Origins, e o cenário será a penitenciária Blackgate, durante uma rebelião de detentos. Mas além do roteiro principal também será possível enfrentar os chefes em diferentes ordens.
Arkham Origins Blackgate apresentará recursos dos jogos anteriores, com as devidas alterações para se adequar à plataforma 2D com progressão lateral e gráficos tridimensionais. O jogador poderá encontrar itens no cenário para utilizar durante as lutas – além de dispor também de todos os equipamentos já conhecidos do cinto de utilidades de Batman. Os combates prometem fluir bem como nas edições anteriores. O “modo detetive” será aprimorado, permitindo que o campo de visão dos inimigos seja observado.

Line

28

01

02

31

03

Continuar lendo

#60 – A Maldição de Scarface

“Esse boneco vai amaldiçoar qualquer pessoa que tocar nele!”

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

O vilão de hoje já apareceu em algumas HQs, quase sempre relacionado ao Pinguim. Na verdade, não se trata de apenas um, mas de dois vilões. Ventríloquo e Scarface. O primeiro é Arnold Wesker, um homem que nunca foi notável em nada, mas com a habilidade de projetar sua voz – a arte da ventriloquia. E o outro é um boneco de madeira… Com vida própria. A explicação dos psicólogos é que Wesker projeta toda a raiva que acumula dentro de si no boneco, como um sintoma da fragmentação múltipla de sua personalidade. Mas na HQ de hoje veremos que a história pode não ser asim tão racional…
Cuidado com “A Maldição de Scarface” (Batman/Scarface: A Psychodrama, roteiro de Alan Grant e arte de Charlie Adlard, 2001)!

Line02

000Antes de começar, gostaria de propor uma reflexão sobre o título dessa HQ em inglês: “Batman/Scarface: A Psychodrama”. A Sociedade de Psicodrama de São Paulo nos diz que o psicodrama foi criado por Jacob L. Moreno, que o definiu como “a ciência que explora a verdade por métodos dramáticos”.

“Inspirado no teatro, o Psicodrama propõe o desempenho de papéis pela dramatização como método de desenvolvimento de papéis. Drama significa ação ou realização. O Psicodrama possibilita o desempenho livre de papéis e seus vínculos ampliando a espontaneidade e a criatividade.”

001

Em toda a HQ, passaremos por um exame psicológico do personagem de Arnold e do próprio Scarface. Atente-se a isso no roteiro.
A história começa com o boneco Scarface sendo queimado por Arnold, sob orientação e supervisão do Dr. Jeremiah Arkham. E a partir dessa deixa, somos levados a conehcer a história da criação desse inofensivo boneco – ou nem tão inofensivo assim…
O local é a prisão Blackgate, há muito tempo atrás. Um preso está sendo enforcado, enquanto um padre reza por sua alma. O diretor do presídio, que acompanhava a execução, o adverte:

“Padre, trezentos e treze homens foram executados no Trono dos Enforcados de Blackgate… E aposto que Deus não guardou nenhuma dessas almas repugnantes!”

Nesse momento, como uma espécie de “resposta divina”, um trovão quebra a forca no meio, inutilizando-a. Um tempo depois, um preso chamado Donnegan está reutilizando os pedaços de madeira que sobraram da forca para construir um bonequinho, que lhe fará companhia durante sua sentença de prisão perpétua. O nome do boneco é Tronquinho. O guarda que supervisiona Donnegan nos conta o que será a chave para entender essa HQ:

“Dizem que as almas de cada um daqueles enforcados estão presas até hoje nesse tronco. Confia em mim, Donnegan… Esse boneco vai amaldiçoar qualquer pessoa que tocar nele!”

00xO preso não ouve o que o guarda diz, e leva Tronquinho para todos os cantos. Donnegan divide a cela de Blackgate com Arnold, e certa noite o flagra admirando Tronquinho; enciumado, quebra a cara de Wesker e o manda ficar longe do seu boneco. Mas naquela noite, durante o sono de seu dono, Tronquinho fala com Arnold – e diz que nessa noite eles fugirão, não importam o que tenham que fazer. Nessa noite, dois presos são mortos brutalmente e Arnold foge com Tronquinho – que, agora, não é mais Tronquinho, e sim Scarface. O nome Scarface é uma referência ao mafioso Alphonsus Gabriel Capone – ou simplesmente Al Capone, conhecido por suas intensas atividades criminosas nos Estados Unidos nas décadas de 20 e 30.

002

Assim começam os trabalhos de Ventríloquo e Scarface. Apesar de Arnold protestar contra as atitudes criminosas do boneco, afinal ele só quer ser um artista e não um criminoso, Scarface parece exercer um estranho controle sobre sua mente.
De volta ao Asilo Arkham dos dias atuais, Scarface foi queimado e agora Arnold poderá se regenerar e voltar a se integrar na sociedade, certo? Bem… Talvez não. O boneco não queimou totalmente. Dois pescadores encontram o boneco; quando um deles pega o boneco, e diz as amáveis palavras “Credo! Que coisinha mais horrorosa!”, coincidentemente escorrega numa pedra e bate a cabeça no chão.
003Scarface é encontrado alguns dias depois por um Marvin, menininho com alguns problemas na escola. Ele não tem amigos, seu rendimento escolar é sofrível, ele tem atraso para aprender, é maltratado pelos colegas… (Lembre-se dessa referência, ela será útil no fim do texto.) Decide adotar o boneco como seu amigo especial. Isso não evita que ele sofra bullying na escola, ainda mais depois de levar o boneco de madeira podre e roupas esfarrapadas para a escola.
Ele o leva para a aula, para uma apresentação, e decide apresentar aos colegas o dom que adquiriu de projetar sua voz para o boneco. Contudo, Scarface tem alguns problemas de dicção – não consegue pronunciar bem o M, o B e o P – o que vira motivo de chacota para os alunos da classe. O boneco ameaça a vida dos alunos, e Marvin é expulso da sala – ainda sobre protestos de que não fora ele quem fizera aquelas ameaças, e sim Scarface. Nada feito. Ao tentar jogar o boneco longe, Marvin o acerta no alarme de incêndio; as crianças saem correndo desesperadas, e o menino que batera em Marvin pela manhã é pisoteado e esmagado pelas crianças. É. Sinistro.

004Enquanto isso, Arnold foi liberado do Asilo Arkham. Agora ele está reabilitado, pronto para começar um caminho novo como artista, promover a alegria e a diversão… Com uma nova boneca de madeira. Lola é o seu nome. E é uma dama bastante desbocada, diga-se de passagem. Passa o show inteiro provocando Pinguim. E sabemos que Pinguim não tolera que ninguém o exponha ao ridículo – lembre-se que na HQ “Dor & Preconceito” ele destrói a vida de um cozinheiro que apenas esboçou um sorriso ao olhar para seu nariz. Ele precisa se vingar agora.
Enquanto isso, Scarface aparece no sonho de Arnold (ou será que não era sonho?), muito irritado por ser sido traído pelo seu antigo parceiro, dizendo que deveria matá-lo por tal traição. Arnold implora por sua vida e Scarface aceita que voltem a ser sócios, com uma condição: que ele mate a boneca Lola. O Ventríloquo se irrita, e Scarface incorpora o espírito de todos os 313 enforcados, assassinos e maníacos que estavam enclausurados em seu tronco.

Scarfae

Instantes antes da boneca ser morta, o ajudante de Arnold o interrompe. Mas a história dos dois ainda não acabou.

Continuar lendo

#59 – Charada: Perguntas Multiplicam o Mistério

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

Finalmente eu trouxe a HQ que estava traduzindo há um bom tempo, sobre o Charada.

Alguém pode me perguntar por que eu traduzo as HQs, ao invés de escolher outra sobre o personagem que já esteja em português. Certamente existem outras boas histórias por aí, e que também valem a leitura. Mas eu escolhi essa em específico, mesmo em inglês, porque meu objetivo aqui no Batman Guide é sempre trazer a melhor história do personagem – mesmo que dê mais trabalho para alguém que não tem quase nenhuma experiência em tradução.

A verdade é que apanhei bastante para traduzir essa HQ, que tem 55 páginas, não só por não ter experiência em tradução e diagramação, mas também pelo fato de que estamos falando do Charada. Ele, o rei dos enigmas. A cada enigma que aparecia na história, eu precisava parar e pesquisar no Google, entender o sentido em inglês/espanhol (me baseei nas HQs dos dois idiomas para traduzir pro português), e tentar passá-las para o português ou ao menos fazer uma Nota da Tradução nas próprias páginas. E a HQ é cheia de referências interessantes! Deu trabalho, mas foi extremamente enriquecedor pra mim.

E agora, eu orgulhosamente apresento o resultado desse esforço para vocês 🙂

Decifre agora a HQ “Charada: Perguntas Multiplicam o Mistério” (Questions Multiply the Mystery, roteiro de Chuck Dixon e arte de Kieron Dwyer, 1995)

Line

001Charada está sendo interrogado por alguém que quer saber sua história. A história de sua genialidade, seus crimes e aventuras. Então ele remonta a seus tempos de infância, quando era apenas Edward, um menino que gostava de perguntar. Mas os adultos de sua vida não tinham paciência para explica suas perguntas tão específicas – como boa parte dos adultos não tem. Então, Edward Nigma decide que é tempo de descobrir sozinho o funcionamento das coisas que o intrigavam. Como ele mesmo diz:

“Os adultos não tinham a resposta. Ou talvez eles a tenham esquecido. Estava decido a ser alguém com todas as respostas… Mesmo que tivesse que inventar as perguntas.”

002Seu primeiro desafio chegou na sexta-série, com um quebra-cabeças proposto pela professora, que valeria um prêmio para quem resolvesse mais rápido. E além do prêmio, imagine o reconhecimento… A glória… Os amigos… Mas os pais o detestavam. No colégio, ele era um aluno invisível, medíocre, que passava despercebido até pelos bulliers, sem nenhum dom intelectual notável. A professora não quis contar para Eddie a temática do quebra-cabeças. Não tinha chance nenhuma de resolver esse quebra-cabeças. A não ser que…

“Havia um único jeito de ser melhor que os outros. E foi aí que descobri minha verdadeira vocação… Trapacear.”

003Invade a escola à noite e treina múltiplas vezes a resolução do quebra-cabeça, até conseguir montá-lo em cinco minutos. Até resolvê-lo 6 vezes seguidas em menos de um minuto. Obviamente, ele venceu. E aí sua vida mudou radicalmente porque ele se tornou a nova celebridade do colégio, certo? Errado. A glória durou uma semana, e depois disso tudo voltou a ser o que era antes. Com uma pequena diferença: ele passou a ser notado pelos valentões.
Mas nem tudo estava perdido para Charada. Como presente por ter desvendado o quebra-cabeças primeiro que todo mundo, ele ganhou um livro sobre Enigmas e Truques em geral. E esse livro abriu uma janela para ele, uma janela para um mundo novo, onde ele realmente se encontrou: o mundo dos truques, das charadas, das mágicas de Houdini. Ele se empenhou nisso muito mais do que jamais tinha se empenhado na escola.

008

Mas a escola acabou, e o brilhante Edward Nigma teve que se render ao triste mundo do trabalho comum, sem atrativos. Virar um escravo do trabalho. O verdadeiro inferno. Um trabalho puramente burocrático. Um dia, vê uma pessoa de seu emprego abrindo um cofre cheio de dinheiro, e à noite decide roubá-lo; mas… Qual a emoção nisso? Apenas roubar, lucrar, sem nenhum respeito às antigas artes dos enigmas e trapaças? Não. Era necessário criar um estilo próprio…

005Envia uma carta enigmática para a polícia, mas ninguém se importa com suas charadas. Segundo ele, sua genialidade não fora apreciada. Então, envia uma bomba para a Sessão de Roubos do Departamento de Polícia com as pistas para o próximo roubo. Ou seja, Gordon terá problemas. Os policias conseguem desvendar as pistas, mas não chegam a tempo. Porque são meros humanos. Mas Batman entra em ação – e Charada deixa suas impressões sobre o Cavaleiro das Trevas.

“Eu tinha lido sobre ele nos jornais. Achei que era uma lenda urbana, uma história para assustar crianças. Como os jacarés no esgoto ou a loira do banheiro. Mas ele era real… Muito real.”

006Apesar de apanhar como um condenado de Batman, Charada consegue escapar dessa vez. Mas ele nem sente as dores físicas. Está emocionado por ter encontrado um inimigo à sua altura, um adversário valoroso, alguém contra quem dá gosto tramar grandes enigmas. Contudo, é seria muito difícil capturar Batman sozinho; ele começa a procurar parceiros para suas empreitadas. Mas para Charada, os pseudo-farsantes e ladrõezinhos comuns não conseguem entender que um crime é uma obra de arte, e merecem ser tratados como tal. Elementos criminosos eram incapazes, intelectual e artisticamente.
007Sem conseguir um companheiro para seus crimes, ele continua praticando roubos comuns, vulgares, sem nenhuma emoção. Até que um dia é… Assaltado. Por duas moças selvagens, mas eficazes. E as convence a trabalharem com ele. Interrogação e Dúvida são os codinomes das moças.
E agora que ele tem uma ajuda real, é hora de bolar um plano definitivo contra Batman, seu adversário derradeiro.

Continuar lendo

ESPECIAL: Injustiça – Deuses Entre Nós

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

Essa semana foi lançado o esperado jogo “Injustice: Gods Among Us”. Foi lançado pela Netherrealm para as plataformas PS3, Xbox 360 e Wii. O cenário em que o jogo se desenvolve é peculiar: Superman instaurou um regime totalitário no planeta, e Batman lidera uma revolução para combater esse governo ditatorial. A HQ nos mostrará como os eventos se sucederam até chegar nesse ponto tão extremo. Ela ainda está sendo lançada, então essa resenha se baseará nos 12 primeiros volumes. Boa leitura!
Injustiça: Deuses Entre Nós (“Injustice: Gods Among Us”, janeiro de 2013 – abril de 2013)

LINE000

Antes de falar da HQ, deixo alguns gameplays dos personagens do universo de Batman que aparecem no jogo “Injustice: Gods Among Us:




000A HQ começa com um panorama do presente de Gotham, dado pelo Cavaleiro das Trevas. Ele pondera sobre a paz que agora reina sobre a cidade. Na teoria, seria o cenário que ele sempre esperou, mas essa paz para a cidade teve um preço caro demais. E o preço é o governo ditatorial comandado pelo Superman. É a história que conheceremos a seguir, contada principalmente pelo Cavaleiro das Trevas.

0015 anos antes. Superman acaba de descobrir que sua namorada Lois está grávida. Ela recebe um chamado para verificar uma ocorrência de propina de um vereador local, e se dirige ao local para dar o flagrante. Enquanto isso, Superman se encontra com Batman para dar a notícia de que será pai, mas Batman, como o excepcional detetive que é, descobre o fato antes de Superman lhe dar a notícia – através das evidências físicas. Batman é convidado para ser padrinho. Ele não expressada nada, mas se sente emocionado – Superman escuta os batimentos cardíacos dele. Que jeito mais sem emoção de se dar uma notícia, não é? Mas o que esperar de homens cujos apelidos são “Homem de Aço” e “Cavaleiro das Trevas”?

Clark1

002Lois Lane e seu parceiro Jimmy estão esperando para fazer o flagrante do senador. Mas algo sai terrivelmente errado. Eles encontram alguém que sempre traz a desgraça por onde passa, alguém que nunca é sinal de boa notícia… Coringa. Ele mata Jimmy e leva Lois com ele.
No dia seguinte, Superman está preocupado e se dirige ao local em que Lois e Jimmy estavam. Encontra o fotógrafo morto e uma carta de baralho característica do Coringa. Os laboratórios Star foram roubados na mesma noite, e fragmentos de kryptonita foram levados (vale lembrar que Super-Homem não pode entrar em contato com a kryptonita verde, sob o risco de se tornar instantaneamente fraco e, em caso de exposição prolongada, até mesmo morrer).

003Clark Kent pede ajuda a Batman para localizar Lois; o Morcego entra em contato com a Liga da Justiça (membros ativos e reservas) para que vasculhem Metrópolis e encontrem a mulher desaparecida. Flash vasculha um laboratório abandonado e encontra Jonathan Crane, o Espantalho, desacordado; Mulher-Maravilha prende um suspeito que informa que o Coringa e sua ajudante palhaça roubaram um submarino e fugiram de Metrópolis. Superman consegue encontrar o submarino e o invade. Coringa e Arlequina estão fazendo um experimento com Lois. E o pior de tudo ainda está por vir: Superman precisa enfrentar o vilão Apocalypse. Enquanto faz isso, os membros da Liga da Justiça conseguem deter Coringa e Arlequina antes que fujam.

004Ao investigar o Submarino, Batman e Flash percebem a estranha relação entre o personagem do Espantalho e o desaparecimento de Lois Lane. Na verdade, o interior do submarino estava impregnado com o gás do medo do Espantalho, que tem a característica de trazer à tona os piores medos e receios de uma pessoa. E Superman inalou uma quantidade considerável desse gás. Então, quando na verdade ele visualiza o corpo do inimigo e acredita estar destruindo Apocalypse, ele está matando… Lois Lane. Como se não fosse trágico o suficiente, Coringa ainda preparou uma armadilha para que, quando o coração de Lois Lane parasse… Uma ogiva nuclear explodisse em Metrópolis.

0xx

005Enquanto os últimos sobreviventes de Metrópolis são resgatados, Superman ainda está inconsolável, se culpando por ter matado sua mulher e seu filho que ainda não nascera. A Mulher-Maravilha faz entendê-lo que aquela tragédia havia sido orquestrada por Coringa, e o Homem de Aço vai atrás do Palhaço, para obter sua vingança.
Entretanto, não é assim que as coisas funcionam entre os heróis da Liga da Justiça. Batman já havia se encarregado de surrar e prender Coringa no Arkham, e Lanterna Verde tenta evitar que o furioso Super-Homem vá atrás do Coringa. Super-Homem ridiculariza os poderes do anel de Lanterna. Não só isso: ele ainda o confisca, para evitar que Hal Jordan se coloque em seu caminho, e também destrói o ponto com o qual ele poderia se comunicar com Batman. Nada poderá deter sua vingança.
Ele mata Coringa com o próprio punho.

Joker

Continuar lendo

#58 – Quadra de Lama (Cara-de-Barro)

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

Hoje no Batman Guide teremos mais um dos vilões que apareceram no jogo “Batman- Arkham City”. Assim como boa parte dos personagens, ele tem várias identidades ao longo da cronologia do Morcego – “várias” mesmo, pois ele assume 8 identidades diferentes. Mas fique tranquilo, vou explicar certinho pra ninguém se perder com esse monte de barro 😉
Cuidado para não ser pego pela “Quadra de Lama” (The Mud Pack, roteiro de Alan Grant e arte de Norm Breyfogle e Steve Mitchell, 1989)!

LineClay

A HQ de hoje foi a melhor que encontrei para explicar o Cara-de-Barro para vocês, pois como o título sugere ela traz os quatro primeiros “Cara-de-Barros” reunidos em uma história só. Antes de começarmos a falar do roteiro dela, veremos uma pequena biografia de cada um dos personagens (e depois do fim do roteiro, uma rápida passagem pelas outras 4 pessoas que assumiram o papel do vilão).

ClayI
FClayIBasil Karlo é um ex-ator de cinema de filmes de terror. Ao descobrir que não seria mais o ator principal do filme “O Horror”, ele enlouquece – e mata todo o elenco do filme usando a máscara do vilão “Cara-de-Barro”. Enviado para o Asilo Arkham, ele nunca abandona sua paranóia a respeito de filmes de terror. Ele foi quem protagonizou o Cara-de-Barro na série “Asilo do Coringa“, e também é ele quem aparece no jogo Batman – Arkham City. É chamado de Cara-de-Barro “original”.

ClayII
FClayIIMatt Hagen era um caçador de tesouros que encontrou uma piscina radioativa de protoplasma (o líquido contido nas células vegetais ou animais) e achou que seria divertido dar um mergulho nela. Mas ao invés de ficar molhado, sua composição genética alterou-se para uma forma flexível e maleável à base de barro, que podia transmutar-se para qualquer forma que quisesse. Entretanto, essa transformação iria necessitar que ele fosse periodicamente à piscina de protoplasma para que conseguisse manter seus poderes (lembra um pouco o Poço de Lázaro do Ra’s Al Ghul), então ele copia a fórmula da piscina para se regenerar (embora ela não funcione tão bem quando a piscina original de protoplasma).

ClayiII
FClayiIIO mais interessante – e amedrontador – dos Cara-de-Barro. Alan Moore escreveu uma história sobre ele chamada “Barro Mortal” que consegue transmitir o verdadeiro desespero da história de Payne (Clique aqui para baixá-la). Preston Payne nasceu com acromegalia ou “gigantismo”, que é uma síndrome causada pelo excesso de produção do hormônio do crescimento (GH). Ela causa, entre outros sintomas, o crescimento do esqueleto e dos tecidos moles, além de outras alterações metabólicas. Quando cresceu, tornou-se um cientista, para tentar curar seu problema. Em seus estudos, visita Matt Hagen na prisão e recolhe uma amostra de seu sangue, e isola uma enzima que é responsável pela maleabilidade do corpo do Cara-de-Barro II. E decide que seria interessante injetá-la em si mesmo. Ao encontrar-se com sua namorada, faz com que ela vire um poço de protoplasma – e começa a acontecer o mesmo com todos em que encosta. Por isso, constrói uma espécie de traje para que não derreta mais pessoas. Mas ele sente dor quando não derrete ninguém, por isso eventualmente precisa destruir algumas pessoas periodicamente – o que o levou a ser inernado no Arkham. E para completar o pacote de bizarrices, ele encontrou Helena, uma alma-gêmea imune ao seu poder. Seria lindo, se não fosse o fato de que ela é uma manequim de cera dessas de loja de departamento.

1ClayIV
FClayIVFinalmente, uma dama feita de barro. Ela foi criada pelo criminoso Kobra, de quem era agente, e o uso de alta tecnologia permite que ela se transforme ilimitadamente. Ao contrário de Matt Hagen, não precisa de um repositório de protoplasma: seus poderes são duradouros.

Ela pode se manipular para se transformar em qualquer objeto ou pessoa próxima, independente da constituição física da pessoa. Ela também pode adquirir provisoriamente os poderes de quem ela está se transformando.

001

Feitas essas considerações, vamos para o roteiro de “Quadra de Lama”:
Começamos com Preston Payne rompendo seu “relacionamento” com Helena, porque ela é muito… gelada com ele. Num acesso de fúria, ele destrói o manequim – que era a única coisa que o mantia controlado dentro do Asilo Arkham. Ele não consegue ser contido pelos policiais do sanatório, e foge enlouquecido. Batman é convocado para dar conta do recado.
Enquanto isso, Basil Karlo está analisando as produções cinematográficas de terror atuais. E está realmente indignado.

“Motoserras, zumbis e vísceras… Isso não é horror! É náusea… Enjôo… Exploração barata! Essa gente só pensa em dinheiro, enquanto a arte se afoga! No meu tempo, não era assim! Nós entendíamos sobre horror, horror verdadeiro! Eu já deixei milhões fascinados com uma única balançada de minha capa! As mulheres ficavam aterrorizadas quando eu levantava uma sobrancelha! […] Os monstros não são mais seres das sombras que habitam os recônditos obscuros da mente! Hoje, eles não passam de efeitos especiais que saem das telas como arco-íris!”

002Ele está se dirigindo a um teatro vazio, onde é perseguido por dois assaltantes – pobres infelizes que vão comer capim pela raiz agora. Preston está vagando por Gotham, lamentando a tragédia de ter destruído seu verdadeiro amor. Sondra trata de desacordar todos os policiais que estão atrás de Payne, e através de telecinese leva o marido de Helena para o que parece ser o Encontro Anual de Criaturas Modificadas pelo Barro. Basil está revivendo Matt.
Eles se reunem, fazem uma pequena apresentação e apresentam seus modestos objetivos:

Continuar lendo

SORTEIO DE 1 ANO DO BLOG: “AS MAIORES HISTÓRIAS DO BATMAN”!

VersaoFire

(Esse foi meu primeiro desenho colorido digitalmente, e eu não tenho experiência nenhuma com ilustração. Espero que tenha ficado bom :P)

Oi!
O aniversário de um ano do Batman Guide se aproxima. Será dia 30 de abril. Eu não imaginava que esse projeto fosse dar tão certo… Foram, até o momento, 57 posts, 617 comentários, 4 sorteios, 748 likes na página do Facebook, 197 seguidores do Twitter do blog – e isso só falando nos números do Batman Guide. Porém, o mais importante de tudo não dá para expressar em números: o carinho e a força que vocês deram e que certamente fizeram o blog crescer.

E para comemorar esse primeiro de muitos aniversários, comprei uma HQ sensacional para sortear pra vocês!

Para comemorar o aniversário da DC em 2008, foi lançada uma coleção chamada “DC 70 anos”, contendo seis volumes. Cada um deles trazia a compilação das melhores histórias dos personagens mais famosos da editora: Superman, Lanterna Verde, Mulher-Maravilha, Flash, Liga da Justiça e, claro, Batman. A edição do Batman reune algumas histórias épicas, como a primeira história do Batman, a primeira aparição da Mulher-Gato, uma história em que descobrimos um pouco da formação de Bruce Wayne antes de se tornar o Morcego, histórias de Natal, uma história em prosa (e não em quadrinhos)… Enfim, é uma edição obrigatória na estante de qualquer colecionador e fã do Morcego!

É esse o presente do Batman Guide para vocês 😀

CapaDC

Bom, sem me prolongar mais, leiam o regulamento da promoção e participem! Boa sorte!

 1.  Você deve ser residente no Brasil.
2. Para participar, você deve curtir a página do Batman Guide no Facebook.
3. Após curtir a página, preencha o formulário abaixo. Todos os campos devem ser preenchidos. No campo “Facebook”, insira o endereço do seu perfil. Caso você seja sorteado e não esteja curtindo a página do Facebook, o sorteio será refeito.
4. A data-limite para participação é a de 29 de abril de 2013, às 20h00. Este será feito de de forma totalmente eletrônica. O resultado será divulgado no dia 30  de abril de 2013.
5. O ganhador da HQ se compromete a tirar uma foto com ela depois, para que eu poste no blog. É a única coisa que eu tenho para pedir, não custa nada, né? 😛
6. Caso o ganhador não se manifeste em até 24h, o sorteio será refeito.
7. Não é obrigatório, mas se você for seguidor do perfil do Batman Guide no Twitter, insira seu Twitter no formulário e você terá uma chance a mais de ganhar.

Cla

Arte de Clarice Dellape
https://www.facebook.com/Cla666

Continuar lendo

#57 – Um Conto de Batman: Neve (Sr. Frio)

Olá, queridos!

Hoje o Batman Guide vai esfriar. O personagem de hoje já protagonizou um dos filmes do Batman, e também foi um dos chefes do jogo “Batman – Arkham City” (numa fase que para mim foi particularmente difícil, mas esse é assunto para um post futuro).
Na HQ de hoje somos apresentados ao jovem Victor Fries, um pesquisador brilhante, que tinha uma vida quase perfeita. Mas isso não poderia durar para sempre. Uma tragédia se abate sobre ele. Vamos conhecer essa história, e acompanhar sua lamentável trajetória até se tornar o terrível Senhor Frio.
Essa minissérie saiu na coleção “Lendas dos Cavaleiros das Trevas”, e se chama “Um Conto de Batman: Neve” (Snow, roteiro de J.H. Williams III, Dan Curtis Johnson e arte de Seth Fisher, 2005)!

Line02

001Começamos com a perspectiva de Alfred sobre os hábitos noturnos de seu patrão. Algumas (raras) noites de Batman são tranquilas, e ele pode se dar ao “luxo” de dormir por 6 horas. Na maioria delas Batman está cumprindo sua missão de se dedicar à justiça em Gotham. E por todos esses anos, os instantes que precedem a chegada de Alfred à Batcaverna são de grande ansiedade para ele – por não saber o estado em que o patrão se encontraria. Ele quase sempre está lá, inteiro. Mas não hoje. Alfred o encontra ensanguentado, quase desmaiado. Nas palavras do mordomo, “todo furado” de balas. Cuida dele por essa noite e, no dia seguinte, Batman já está fazendo suas anotações costumeiras. Insiste para que o patrão descanse, ao que Bruce nega, e então Alfred ralha com ele por tentar fazer coisas demais. Ele pergunta se Alfred acha que ele está fazendo coisas além do que realmente consegue. A resposta? “A menos que o senhor tenha desenvolvido alguma habilidade nova que esteja escondendo de mim, eu suspeito que o senhor não possa estar em todo lugar ao mesmo tempo.”

002O estado em que ele chegou na noite anterior se deveu a um embate com a gangue de Pedro Scott, alguém de quem poderia ter obtido informações – se ele não tivesse fugido enquanto Batman lutava com sete homens ao mesmo tempo. Interessante observar, nesse ponto, que segundo a história Batman estava há apenas um ano e meio no “cargo”, então estamos falando de um Batman cheio de energia, obviamente ainda sem 100% das técnicas que desenvolveria com o tempo, mas ainda totalmente esperançoso com seu trabalho. Harvey Dent ainda não havia se transformado em Duas-Caras, e ele e Gordon eram a esperança de Bruce em uma limpeza total de Gotham. Não há traços do desânimo que demonstra em missões feitas anos depois.

“- Pare de se preocupar tanto, Alfred. Nós somos mais do que páreos para os problemas de Gotham.
– Supondo que os problemas permaneçam os mesmos…”

Essa frase de Alfred parece ser quase uma previsão do que vem a seguir na vida do Morcego.

003A seguir, somos levados a um casal que parece saído de comercial de margarina da televisão. Um íntegro homem, uma bela mulher, uma casa notável. Ele é Victor Fries, um pesquisador renomado, interessado em alta tecnologia e prestes a ser promovido a gerente. Apenas dois problemas surgem nesse percalço: ela está com alguns tremores no corpo, e eles ainda não tem um filho. Mas precisamos concordar que esses dois problemas tem soluções bem evidentes: o primeiro certamente deve se tratar de algum problema de saúde leve, que pode ser solucionado com alguns analgésicos, e o segundo, bem… É realmente fácil de resolver, não é?
004Uma vida perfeita. Como Fries define: “Alguns dias são bastante bons. Mas outros são ainda melhores.” O pesquisador está trabalhando em um projeto relacionado à criogenia, o estudo de temperaturas muito baixas, técnicas para sua produção e as propriedades específicas a elas associadas. Quando questionado por um dos pesquisadores se não poderia ser uma arma, Fries é categórico: ela é apenas um dissuador, algo para evitar que outros países tenham intenções bélicas. Mas essa idéia parece não ser compartilhada pelos seus superiores. Quando informado pela diretoria da empresa Neodigma de que o exército faria algum uso militar (e, portanto, perigoso) ao seu invento, Fries se opõe com veemência. Recebe um ultimato de seu chefe: ou ele continua a desenvolver o projeto, ou eles continuarão o projeto sem ele. Em meio a isso, ele recebe uma ligação: uma emergência acontecera com sua esposa.

Segundo banco de Gotham. Um maluco está mantendo alguns reféns dentro do banco, já efetuou alguns disparos, quer matar as pessoas de lá. Como é hábito de sua profissão, Gordon prossegue com as negociações. Batman, nem tão paciente, invade o local, deixa ao atirador desacordado e torce sua arma. Gordon não gosta nem um pouco disso: essa não é a tática certa, e avisa isso a ele. Batman ignora e diz que precisa das fichas relativas à gangue de Scott. E Gordon fica tão nervoso que literalmente solta fumaça pelos ouvidos.

Gordon

005Voltamos ao casal Fries. Nora, a adorável esposa, é diagnosticada com a doença chamada “Coréia de Huntington” (ou doença de Huntington). Vamos checar o que a ABH – Associação Brasil Huntington pode nos dizer sobre essa doença.

“A Doença de Huntington (DH) é uma desordem hereditária do cérebro que afeta pessoas de todas as raças em todo mundo. […] Originada da palavra grega para “dança”, coréia se refere aos movimentos involuntários que estão entre os sintomas comuns da DH. […] A DH é uma doença degenerativa cujos sintomas são causados pela perda marcante de células em uma parte do cérebro denominada gânglios da base. Este dano afeta a capacidade cognitiva (pensamento, julgamento, memória), movimentos e equilíbrio emocional.”

É uma doença bastante grave. Os médicos oferecem ajuda e terapia para Fries, mas ele recusa, raivosamente. Ele quer resolver sozinho.
De volta ao Morcego, ele está conversando com Harvey Dent sobre o caso de Scott. Dent também reprime o “show” que Batman dera no banco no dia anterior, e o fato de ter arrombado sua sala para ler a ficha de Dent. Como Batman mesmo diz, ele e Gordon estão amarrados demais à burocracias e detalhes processuais. Ele precisa de companheiros novos para trabalhar.

E então nos deparamos com um cenário BEM estranho: Batman realizando entrevistas de emprego para encontrar um novo companheiro. Olha só, daria para fundar uma “Wayne Agência de Empregos”, o slogan seria “Não garantimos sua sobrevivência, mas pagamos bem”. São 5 candidatos:

1. Gerald Van Daalen, um ex-boina verde (membro da Força Especial do Exército Americano, a organização especializada do arsenal militar dos Estados Unidos) expulso por ter sido um bode expiatório de um escândalo num escalão superior ao dele;
2. Amy Ross, uma analista forense do FBI à procura de um trabalho com adrenalina e aventura;
3. David Ruben, expert em eletrônicos, mas sem qualquer vida social;
4. Mira Charan, autora de livros revolucionários sobre psicologia do comportamento criminoso que não foram bem aceitos pela comunidade acadêmica, e que teve que se limitar a escrever livros populares;
5. Luiz Diaz, um ex-presidiário que não consegue encontrar emprego e que não é bom em nada além de ser criminoso. (Nesse momento dá pra ficar curioso sobre o que Batman quer contratanto o homem para ser um batedor).

006

Um público bastante diversificado, é verdade. Mas segundo Batman: “Eu darei a eles o que querem, e eles… Eles me darão o que eu quero.” E se o Morcego disse, quem sou eu para contestar.
Na primeira teleconferência das pessoas convocadas com Batman, fica claro o aproveitamento que o Morcego fez das habilidades de cada uma das pessoas recrutadas, e podemos entender para que o perfil de cada um será útil.
Diaz irá procurar evidências do tema pesquisado. A doutora Charan será a investigadora profissional, e traçará o perfil psicológico/motivacional daqueles que perseguirão. A srta. Ross ajudará nas pesquisas e nas análises forenses (com um laboratório patrocinado por Wayne). Ruben trabalhará na vigilância e para providenciar as ferramentas tecnológicas avançadas à equipe. Van Daalen proverá apoio durante as operações e agirá quando necessário. A recomendação é de que nenhum deles faça uso de armas de fogo, muito menos matem alguém. Eles deverão comparecer às teleconferências periódicas e seguir estreitamente um relatório que Bruce preparou contendo as expectativas que tem para cada um deles. Todos começam a trabalhar com afinco. Batman está atrás de Peter Scott. A equipe de investigação descobre que o criminoso está tentando comprar algo, intermediando algum tipo de negócio. Eles conseguem identificar lugar e local em que essa compra será feita. É hora de agir.

Continuar lendo

#56 – Mr. Zsasz: Vítimas

Olá!
O vilão de hoje já apareceu por aqui algumas vezes. Ele também apareceu no jogo “Batman: Arkham City”, em missões paralelas pela cidade. Mas a HQ de hoje vai ser só sobre ele. Um homem insano, cruel, frio, que usa uma faca para matar – e que na maioria das vezes mata sem motivação nenhuma, puramente pela sua sede de sangue. Não segue um padrão. Apenas mata. E com um detalhe sórdido: para cada vítima que faz, deixa um corte na sua própria pele.
A HQ de hoje se chama “Vítimas”, e foi publicada em duas partes na Detective Comics – números #815 e #816.

Line2

001Começamos a HQ com uma cena muito forte. Um dos únicos amigos de Batman relata o que sentiu no momento em que estava sendo esfaqueado por um homem careca, de terno e gravata. E então somos levados para os acontecimentos de dois dias atrás.
O cenário é o asilo Arkham. Há um homem sendo levado pelos guardas. Mas o apetrecho utilizado para levá-lo nos mostra que não se trata de um prisioneiro “comum” (guardadas as devidas proporções para o termo “comum”, já que estamos falando do Asilo Arkham): ele é guiado por uma coleira com barras para mantê-lo afastado dos guardas. Entretanto, aproveitando de um pequeno momento de distração dos guardas, a caneta de uma psicóloga caindo no chão, ele consegue dominar e matar todos eles com as próprias barras de ferro. Uma cena forte. Zsasz não usa de artifícios lúdicos, enigmáticos ou simbólicos para cometer seus crimes; ele apenas mata, por puro prazer, e sem prelúdios. Talvez seja o momento de falarmos um pouco mais sobre a história desse personagem.

002A história dele está numa HQ que saiu na série mensal da Abril, mas como não consegui achá-la digitalizada, vou contá-las para vocês. (Se alguém achá-la, por favor, me avise; é a Batman 5ª série #10, de 1997). Mr. Zsasz era um homem de 25 anos que, como poucos jovens prodígio, já estava realizado. Era gerente de sua própria multinacional e mantinha uma grande fortuna em seu nome, que, somada àquilo que sua família também rica já possuia, fazia dele um homem de status. Mas uma tragédia se abate sobre seus pais: eles morrem num terrível acidente de barco. Zsasz não sabe como lidar com isso. Ele acaba se viciando em jogos de aposta ao redor do mundo, e assim, lentamente, vai perdendo todo o império financeiro que possuíra. Ao mesmo tempo, uma depressão profunda se abate sobre ele. Acaba perdendo o pouco que tinha para Pinguim. Esse cenário de profundo vazio existencial, somado ao fato de que ele não conseguia enxergar nenhuma motivação para prosseguir com sua vida, ele opta pelo suicídio.
Mas devemos lembrar que ele está em Gotham, não é? E quando ele está prestes a se jogar de um prédio, um mendigo tenta assaltá-lo com uma faca. Ao conseguir dominar o sem-teto e pegar a faca dele, ele enxerga uma nova possibilidade para sua vida: dar sentido a ela através da morte. Ele esfaqueia o homem, como forma de libertá-lo de uma existência inútil, uma existência de zumbi. E para cada vítima, decide fazer um corte no corpo.

003Voltando para “Vítimas”, Batman comparece ao Asilo Arkham para checar as evidências do crime cometido por Zsasz, que conseguiu fugir. E, como não poderia deixar de ser, a Polícia de Gotham está tratando Batman como um inimigo novamente – sem perceber que, desde o início, Batman é imprescindível para a segurança da cidade. Ele coleta algumas evidências e vai para casa com certa urgência, já que seu fiel escudeiro Alfred o lembrara de um evento de caridade na mansão Wayne, ao qual ele já havia prometido comparecer.
Então, novamente, temos um pulo no tempo e estamos vendo Bruce dando os primeiros socorros ao seu amigo que foi esfaqueado… Alfred. Mas o ferimento é grave, e a vida do mordomo corre risco a cada segundo que ele passa longe do hospital. Bruce não tem dúvidas: coloca Alfred num carro adapto com nitroglicerina e o leva rapidamente para o centro da cidade. Nessa parte temos um trecho que nos dá uma pequena demonstração do humor sempre inteligente e ácido de Alfred:
N00

005Após deixar o mordomo sob cuidados médicos, Bruce vai ter uma conversa com o comissário da cidade (que nesse momento não é Gordon). O Departamento Policial de Gotham está divulgando a informação de que Alfred está morto, com medo da possível retaliação de Zsasz quando descobrisse que uma de suas mortes não havia sido efetivamente concretizada. O mordomo está seguro… Ou não. Afinal, Zsasz está solto e a Polícia de Gotham também está atrás de Batman. Bruce Wayne decide agir e convocar uma coletiva de imprensa onde afirma: Alfred Pennyworth está vivo. A informação cai diretamente nos ouvidos de Zsasz que, como era de se esperar, decide que precisa concluir o que começou.

A Polícia não entende o objetivo de Bruce com essa divulgação, mas de fato fica muito feliz com ela – porque sabe que, quando Zsasz der as caras, Batman também dará, e ela poderá prender os dois de uma só vez. Estão todos a postos ao redor do hospital onde Alfred está internado. Os policiais recebem a seguinte orientação: quando virem Zsasz, o sinal dado será “Código Preto”; quando virem Batman, “Código Vermelho”.
Zsasz aparece, e domina um policial. Batman também aparece. E captura Zsasz antes que o policial seja morto.

Code

004O Morcego leva Zsasz para um prédio alto, onde começam uma daquelas memoráveis conversas entre Batman e alguém que adoraria destroçá-lo com as próprias mãos. Questiona o fato de Zsasz ter conseguido entrar na festa de caridade promovida por ele; o vilão simplesmente matou um dos convidados da festa e roubou seu convite. Como eu disse quando contei sua história, chegando lá ele vê um monte de “zumbis” cuja existência não tem significado, e decide dar a eles um rumo. Batman caçoa do fato de que Zsasz não conseguira matar um simples e indefeso velhote. Furioso, o vilão parte para cima de Batman, que o manda pela janela, diretamente para o meio do trânsito caótico de Gotham.
#02

Continuar lendo

#55 – Batgirl: Corrida Silenciosa (Cassandra Cain)

“Ela foi perfeita. Não ‘boa’. Não ‘melhor que o esperado’. Perfeita. Eu teria inspecionado a sala antes de atacar. Ela não precisou. O estranho treinamento dela possibilita a… Leitura da ‘linguagem corporal’ do oponente. É a única linguagem que ela entende. Com uma simples olhada, ela já sabia o que eles iam pensar em fazer. E a luta estava terminada antes que ela tocasse os pés no chão.”

» Augusto
Este post será para falar sobre uma de minhas personagens preferidas. Mais exatamente, tenho alguns preferidos dentro do “universo morcego” (Batman não conta). Dick Grayson (pela eficiencia e lealdade), Barbara Gordon (pela inteligencia), Stephanie Brown (pelo esforço), Damian Wayne (comportamento comédia) e a personagem tema desse post, Cassandra Cain.

Ela ficou nas histórias por anos, participou de sagas que mudaram o rumo das histórias, como “Terra de Ninguém”, “Assassino? / Foragido”, “Jogos de Guerra” e várias outras, até entregar seu uniforme na “Guerra pelo Manto”. Também foi parte dos “Outsiders” (um grupo de vigilantes formado pelo Batman), tornou-se “Black Bat” durante algum tempo na “Incorporated” e por fim, agora parece ter se tornado “Kasumi” nos Novos Titãs. (Nota da Jéssica: todas essas sagas vão aparecer aqui no Batman Guide com o tempo).
Pode parecer estranho, mas não é por nada disso que acho que ela merece destaque. “Então porque você acha que ela merece tanto destaque?”. Pelo que ela é e por COMO ela é. Vocês já vão entender.

LINE

Ela é filha de David Cain. Pra quem não sabe, David Cain deve ser o terceiro maior matador/mercenário do universo DC, ficando atrás do Deathstroke e do Deadshot (sendo que eu não duvido nada que ele daria uma coça no Deadshot). David tinha planos de treinar ter um sucessor, criar caos contido em um único corpo, o guerreiro perfeito pra ficar em seu lugar. Como David Cain fazia parte da Liga dos Assassinos, e por consequência conhecia Ra’s Al Ghul, ele contou sua ideia ao velho Ra’s e este por sua vez gostou tanto que quis que quando esse guerreiro perfeito ficasse pronto fosse seu guarda-costas.
David então começou o processo por um passo difícil, a mãe ideal pra seu filho.
Ele já planejava sua cria para ser uma máquina de guerra/assassina/exímia lutadora mesmo antes mesmo de saber quem seria a mãe. Parte do processo foi ESCOLHER essa mãe. David Cain foi extremamente seletivo, e escolheu uma lutadora extremamente incrível, chamada Sandra wu-San (ou Woosan, dependendo do local). Essa é a famosa Lady Shiva, a maior lutadora do mundo. Mulher essa que posteriormente treinou tanto Bruce Wayne quanto Tim Drake. Ela é tão boa lutadora que Bruce nunca a venceu na porrada.
Sandra é neta de “Sensei”, um lendário mestre de artes marciais que inclusive também treinou o Batman. Sandra tinha uma irmã mais velha chamada Carolyn. Ambas treinavam desde o momento em que acordavam, desde sempre, o que explica a capacidade altíssima de luta. Coisa que David percebeu. Pra fazer Sandra “despertar” o verdadeiro lutador dentro de si, David mata Carolyn, fazendo com que Sandra busque vingança. A princípio ela busca vingança na pessoa errada, em Richard Dragon, que foi um dos dois discípulos principais de Sensei.
Enfim, Sandra treina MUITO mais do que já treinava, adota o codinome de Shiva, chega a lutar com o Richard Dragon e com o David Cain.
Ela percebe o quão grande é sua habilidade pra lutar, e então decide que quer aprimorar isso. David a treina com a condição de que ela lhe dê um filho, e Sandra aceita. O tempo passa, o tempo voa, a poupança Bamerindus continua numa boa e a criança filha de David Cain e Sandra wu-San nasce. Cassandra Cain.
Após nascer, ela foi treinada não só por seu pai (David Cain), mas também por diversos outros mestres daqueles que você jura a integridade moral da senhora sua mãe que devem ter super-poderes e não tem. A ideia era a guarda-costas perfeita pro Ra’s Al Ghul.
A menina nem sequer aprendeu a falar ou a escrever, só sabia fazer leitura corporal. Cain focou toda capacidade de percepção e controle dela inteira na parte física. Ela sabe o que você vai fazer antes mesmo de você fazer. Ela era a lutadora perfeita, mas então David levou-a para o teste de matar alguém, ela não curtiu o lance e fugiu, passando a viver nas ruas, onde posteriormente foi adotada pela familia morcego.
Mais a frente ela chega até a salvar o Comissário Gordon, e foi graças a isso que com a aprovação da Barbara e do Bruce, ela tornou-se Batgirl durante os eventos da “Terra de Ninguém”, entrando no lugar de Helena Bertinelli (Caçadora) que ficou pouco tempo no cargo.
Ao aprender a falar, ela perdeu a habilidade de ler movimentos, e Batman preocupado dela acabar não podendo se defender e morrer como Jason Todd, a força a reaprender essa habilidade com Lady Shiva.
Ela é uma lutadora incrível, não há dúvidas. Inclusive ela derrotou a lendária Lady Shiva, coisa que gerou até uma parabenização vinda diretamente do Batman.

» Jéssica
001Fica até difícil escrever depois de um texto tão completo, não é?
Cassandra Cain foi a primeira Batgirl a ter uma série só para ela: de 2000 a 2006, foram publicadas 73 edições com suas histórias. A HQ de hoje é um arco dessa série, que engloba as 6 primeiras revistas. Esse arco foi chamado de “Batgirl: Silent Running” (que eu traduzi livremente para “Corrida Silenciosa”. Se você encontrar outra tradução mais adequada, por favor, me avise nos comentários).
Como o Augusto já disse, ela é uma mestra das artes marciais. Essa HQ mostra algumas das primeiras atividades dela como Batgirl, ainda tendo muitas dificuldades de se adaptar ao método que Batman emprega. No segundo volume, que se chama “Por favor, me ajude, não quero morrer”, ela salva um prisioneiro injustamente condenado para que ele possa ver a esposa, mas ele acaba morrendo nos braços dela devido à ferimentos internos que tivera numa briga anterior. Batman, sempre meticuloso, não admite o que ele considera ter sido um “erro” de Cassandra – segundo ele, ela falhou por não ter conseguido salvá-lo.
Ela também salva uma garotinha que carregava, sem saber, um ursinho que escondia um vídeo com as filmagens dos lançamentos corruptos de uma família mafiosa. Eu cheguei a temer pela segurança da menininha nos braços de uma personagem tão forte, tão letal como Cassandra, mas depois de conhecer melhor a personagem percebi que ela não faria mal à menina, de modo algum. Como poucas personagens, Cassandra consegue cativar e impressionar os leitores ao mesmo tempo, e antes que você perceba também estará simpatizando com ela. Batman começa a sentir orgulho da Batgirl. Depois de ver um ataque que ela conduz de maneira esplêndida, ele comenta com Alfred:

“Ela foi perfeita. Não ‘boa’. Não ‘melhor que o esperado’. Perfeita. Eu teria inspecionado a sala antes de atacar. Ela não precisou. O estranho treinamento dela possibilita a… Leitura da ‘linguagem corporal’ do oponente. É a única linguagem que ela entende. Com uma simples olhada, ela já sabia o que eles iam pensar em fazer. E a luta estava terminada antes que ela tocasse os pés no chão. Mas não foi isso que me impressionou.
Aqueles homens eram assassinos frios, atirariam em mulheres e crianças sem hesitar. Batgirl sabia disso. Ela também sabia o que eu pensava a respeito. Sabia que eu seria contra qualquer… Excesso de zelo da parte dela. Mas… Não houve excesso. Na velocidade em que agiu, deve ter sido difícil, mas ela fez apenas o suficiente para desacordá-los. Nada mais. Ela foi… Ninguém mais acharia isso, mas… Ela foi… Até delicada com ele. Perfeita.”

Continuar lendo