#60 – A Maldição de Scarface

“Esse boneco vai amaldiçoar qualquer pessoa que tocar nele!”

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

O vilão de hoje já apareceu em algumas HQs, quase sempre relacionado ao Pinguim. Na verdade, não se trata de apenas um, mas de dois vilões. Ventríloquo e Scarface. O primeiro é Arnold Wesker, um homem que nunca foi notável em nada, mas com a habilidade de projetar sua voz – a arte da ventriloquia. E o outro é um boneco de madeira… Com vida própria. A explicação dos psicólogos é que Wesker projeta toda a raiva que acumula dentro de si no boneco, como um sintoma da fragmentação múltipla de sua personalidade. Mas na HQ de hoje veremos que a história pode não ser asim tão racional…
Cuidado com “A Maldição de Scarface” (Batman/Scarface: A Psychodrama, roteiro de Alan Grant e arte de Charlie Adlard, 2001)!

Line02

000Antes de começar, gostaria de propor uma reflexão sobre o título dessa HQ em inglês: “Batman/Scarface: A Psychodrama”. A Sociedade de Psicodrama de São Paulo nos diz que o psicodrama foi criado por Jacob L. Moreno, que o definiu como “a ciência que explora a verdade por métodos dramáticos”.

“Inspirado no teatro, o Psicodrama propõe o desempenho de papéis pela dramatização como método de desenvolvimento de papéis. Drama significa ação ou realização. O Psicodrama possibilita o desempenho livre de papéis e seus vínculos ampliando a espontaneidade e a criatividade.”

001

Em toda a HQ, passaremos por um exame psicológico do personagem de Arnold e do próprio Scarface. Atente-se a isso no roteiro.
A história começa com o boneco Scarface sendo queimado por Arnold, sob orientação e supervisão do Dr. Jeremiah Arkham. E a partir dessa deixa, somos levados a conehcer a história da criação desse inofensivo boneco – ou nem tão inofensivo assim…
O local é a prisão Blackgate, há muito tempo atrás. Um preso está sendo enforcado, enquanto um padre reza por sua alma. O diretor do presídio, que acompanhava a execução, o adverte:

“Padre, trezentos e treze homens foram executados no Trono dos Enforcados de Blackgate… E aposto que Deus não guardou nenhuma dessas almas repugnantes!”

Nesse momento, como uma espécie de “resposta divina”, um trovão quebra a forca no meio, inutilizando-a. Um tempo depois, um preso chamado Donnegan está reutilizando os pedaços de madeira que sobraram da forca para construir um bonequinho, que lhe fará companhia durante sua sentença de prisão perpétua. O nome do boneco é Tronquinho. O guarda que supervisiona Donnegan nos conta o que será a chave para entender essa HQ:

“Dizem que as almas de cada um daqueles enforcados estão presas até hoje nesse tronco. Confia em mim, Donnegan… Esse boneco vai amaldiçoar qualquer pessoa que tocar nele!”

00xO preso não ouve o que o guarda diz, e leva Tronquinho para todos os cantos. Donnegan divide a cela de Blackgate com Arnold, e certa noite o flagra admirando Tronquinho; enciumado, quebra a cara de Wesker e o manda ficar longe do seu boneco. Mas naquela noite, durante o sono de seu dono, Tronquinho fala com Arnold – e diz que nessa noite eles fugirão, não importam o que tenham que fazer. Nessa noite, dois presos são mortos brutalmente e Arnold foge com Tronquinho – que, agora, não é mais Tronquinho, e sim Scarface. O nome Scarface é uma referência ao mafioso Alphonsus Gabriel Capone – ou simplesmente Al Capone, conhecido por suas intensas atividades criminosas nos Estados Unidos nas décadas de 20 e 30.

002

Assim começam os trabalhos de Ventríloquo e Scarface. Apesar de Arnold protestar contra as atitudes criminosas do boneco, afinal ele só quer ser um artista e não um criminoso, Scarface parece exercer um estranho controle sobre sua mente.
De volta ao Asilo Arkham dos dias atuais, Scarface foi queimado e agora Arnold poderá se regenerar e voltar a se integrar na sociedade, certo? Bem… Talvez não. O boneco não queimou totalmente. Dois pescadores encontram o boneco; quando um deles pega o boneco, e diz as amáveis palavras “Credo! Que coisinha mais horrorosa!”, coincidentemente escorrega numa pedra e bate a cabeça no chão.
003Scarface é encontrado alguns dias depois por um Marvin, menininho com alguns problemas na escola. Ele não tem amigos, seu rendimento escolar é sofrível, ele tem atraso para aprender, é maltratado pelos colegas… (Lembre-se dessa referência, ela será útil no fim do texto.) Decide adotar o boneco como seu amigo especial. Isso não evita que ele sofra bullying na escola, ainda mais depois de levar o boneco de madeira podre e roupas esfarrapadas para a escola.
Ele o leva para a aula, para uma apresentação, e decide apresentar aos colegas o dom que adquiriu de projetar sua voz para o boneco. Contudo, Scarface tem alguns problemas de dicção – não consegue pronunciar bem o M, o B e o P – o que vira motivo de chacota para os alunos da classe. O boneco ameaça a vida dos alunos, e Marvin é expulso da sala – ainda sobre protestos de que não fora ele quem fizera aquelas ameaças, e sim Scarface. Nada feito. Ao tentar jogar o boneco longe, Marvin o acerta no alarme de incêndio; as crianças saem correndo desesperadas, e o menino que batera em Marvin pela manhã é pisoteado e esmagado pelas crianças. É. Sinistro.

004Enquanto isso, Arnold foi liberado do Asilo Arkham. Agora ele está reabilitado, pronto para começar um caminho novo como artista, promover a alegria e a diversão… Com uma nova boneca de madeira. Lola é o seu nome. E é uma dama bastante desbocada, diga-se de passagem. Passa o show inteiro provocando Pinguim. E sabemos que Pinguim não tolera que ninguém o exponha ao ridículo – lembre-se que na HQ “Dor & Preconceito” ele destrói a vida de um cozinheiro que apenas esboçou um sorriso ao olhar para seu nariz. Ele precisa se vingar agora.
Enquanto isso, Scarface aparece no sonho de Arnold (ou será que não era sonho?), muito irritado por ser sido traído pelo seu antigo parceiro, dizendo que deveria matá-lo por tal traição. Arnold implora por sua vida e Scarface aceita que voltem a ser sócios, com uma condição: que ele mate a boneca Lola. O Ventríloquo se irrita, e Scarface incorpora o espírito de todos os 313 enforcados, assassinos e maníacos que estavam enclausurados em seu tronco.

Scarfae

Instantes antes da boneca ser morta, o ajudante de Arnold o interrompe. Mas a história dos dois ainda não acabou.


005Scarface é encontrado por um conhecido de Pinguim, que decide levá-lo para o criminoso. Agora Pinguim pode começar sua vingança de Ventríloquo, por todos esses anos em que foi ironizado e ridicularizado por sua aparência. Em um show, Pinguim leva Scarface para o palco, e o faz entrar em contato direto com Arnold. Sua mente entra em pane – ele ainda estava usando remédios receitados pelo doutor Arkham. Está na hora de decidir, finalmente, quem controla quem. Se os demônios enclausurados em Scarface conseguirão dominar Ventríloquo… Ou se é ele que está no controle da própria vida.
A arte da HQ é bem interessante, e gostaria de dar destaque para a tradução feita pela Mythos aqui no Brasil. A arte da capa é do sempre excelente Bill Sienkiewicz. O clima noir da HQ vai te envolver, ao mesmo tempo em que te fará mergulhar na mente conturbada do personagem. Batman aqui é meramente um coadjuvante.

Line01

006A história de Arnold Wesker é bem triste. Era um menino bastante retraído e tímido. Um dia, é levado por seus pais para o porto de Gotham, para ver os albatrozes – te lembra alguma cena dessa HQ? O que era para ser uma diversão para Wesker parece assustador (albatrozes são aves grandes, consideradas as possuidoras da maior envergadura do mundo animal), e, quando seus pais vão correr para consolá-lo, ambos são atropelados por um caminhão. O choque pela morte abrupta de seus pais faz com que ele se force a reprimir todos os seus sentimentos dentro de si. E é também por isso que ele implica e odeia tanto Pinguim, porque foi uma ave que trouxe a desgraça para sua família. Certa noite, tem um ataque psicótico e mata um homem um bar, sendo levado para Blackgate.
Quando Scarface surge, Arnold encontra a possibilidade de canalizar toda a raiva e hostilidade que vem reprimindo por anos. O que Scarface faz é explorar as potencialidades escondidas em Arnold; boneco é uma ferramenta para canalizar as tendências homicidas dele – transformando Ventríloquo num dos vilões mais sanguinários de Gotham.
Até mesmo com a boneca Lola podemos perceber essa relação. Enquanto Arnold falava de virarem astros da crítica artística, reconhecidos e adorados pelo público, Lola passa a singela mensagem:

Lola
Então, será mesmo que Scarface é amaldiçoado, ou Arnold possui alguma espécie de transtorno dissociativo de identidade, e projeta todas as características negativas que não pode/consegue exteriorizar nos bonecos? Mas se é assim, por que todos aqueles que prejudicaram o boneco morreram sem explicação nessa HQ?
O que é mais interessante na HQ é que, a todo momento, não sabemos se o que está sendo falado por Scarface é uma projeção da mente de Wesker ou se o boneco realmente vive. Em “A Maldição do Scarface” somos levados a ponderar até onde Arnold age por conta própria e até onde ele é controlado por esse boneco supostamente amaldiçoado. A resposta? Só lendo a HQ e tirando sua própria conclusão.

Espero que vocês gostem da HQ! O arquivo é bem leve, não deixem de baixar!

CoverDownload no MEGA – A Maldição de Scarface

 

Anúncios

  1. Eu não fazia ideia dessa “origem” do boneco. Achei incrível, pra mim o Scarface se tornou um dos personagens com background mais original na série.

  2. Pra ser sincero, não conhecia esse vilão direito ainda, vou ler a HQ.
    Parabéns pelo texto novamente !!!
    Li a ultima HQ do charada e gostei muito, estava com todas as referencias, parabéns pelo ótimo trabalho !

  3. eu ainda nao tinha lido a hq mas sou fan dos gibis do batman gosto de ler inclusive as mais anigas elas parecem que ate os escritores e roteiristas sabiam fazer historias melhores que a dos novos 52 mais antigo a historia melhor escrita inclusive eu encontrei uma antiga hq na internet sendo do numero 380 ainda em ingles sendo uma saga de alguns numeros com o nome end of the bat gostaria que se fosse possivel postar este numero no batman guide mesmo se nao poder eu agradeco pelo fato de disponibilizar e traduzir as hqs do batman

    • Oi Sasina,
      Muito obrigada pelos seus elogios, espero que esteja aproveitando bastante essas HQs da cronologia “velha” do Batman. 😀
      Então, essa HQ “End of the Bat”, que saiu na Batman Mensal #380, não está disponível em português, e por enquanto não tenho planos de postá-la – ainda há uma longa lista de HQs que eu e Augusto desenvolvemos para postar aqui no Batman Guide. Mas quando ela for disponibilizada eu te aviso, podemos combinar assim?

      Obrigada pelos comentários, fico feliz que você goste do que faço aqui no blog =*

  4. Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom realmente, provavelmente não vou abandonar esse blog nunca hehehehe *-*
    Parabéns mano, fizeram um ótimo trabalho *O*
    Estão trazendo muita felicidade para nós, meros mortais fãs do morcegão haha
    Valeu mesmo !

  5. Pingback: #67 – Batman: Cara a Cara | Batman Guide

  6. Um dos pontos fortes do Batman, sempre foi a galeria de vilões, nem mesmo sei se devo chamá-los assim, já que grande parte das histórias são tão criveis, caricatas e referentes, que vejo que é eles não se encaixam com os típicos vilões de HQs. O Ventrícolo eu só vi duas vezes, uma foi na saga “A Queda do Morcego”, onde ele aparece rápido e morre, e outra foi no curta-metragem “Batman – Cidades de Cicatrizes” onde ele é muito bem interpretado. Eu desconhecia toda essa origem supostamente mística dele, agora fiquei mais fã. Só que isso é um caso a parte, misticismo e Batman quase nunca é uma boa combinação. Vou procurar aqui no site se tem uma analise da HQ do Coringa pelo Brian Azzarelo e o Lee Bermejo. Força e Honra.

    • Oi Fábio, tudo bem?
      O que você relatou sobre misticismo me lembrou um pouco o texto do Augusto sobre a Crise Final, em que ele fala um pouco sobre essa questão do Batman não permitir interpretações mais subjetivas – ele é um herói urbano, objetivo, sistemático, enfático.
      Quando ao Ventríloquo, essa origem dele é realmente bem interessante, a gente fica pensando se o boneco é realmente possuído ou se ele apenas dá vazão aos sentimentos maníacos do seu dono. O que você acha? 🙂

      Querido, já fiz a resenha sobre Coringa do Brian Azzarello, você pode acessá-la clicando no seguinte link:
      #34 – Coringa – Brian Azzarello

      Obrigada pelo seu comentário, um beijo!

  7. Pingback: Feliz 2014! | Batman Guide

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s