Comentários sobre a polêmica envolvendo Grant Morrison e o final de “A Piada Mortal”

Olá!
Estamos aqui para um post excepcional. Atendendo a vários pedidos, eu e o Augusto viemos hoje comentar a mais recente polêmica envolvendo os quadrinhos do Batman.

No último dia 16, o autor Grant Morrison fez uma série de afirmações bastante controversas a respeito de uma das obras clássicas do Batman durante a gravação de um podcast com Kevin Smith. Ele se refere à HQ “A Piada Mortal“. Você pode ler a minha resenha clicando aqui (por favor, leia antes de prosseguir o texto).

CAPA

Morrison, roteirista de HQs como “Batman e Filho”, “Luva Negra” e “Descanse em Paz”, veio a publico rever o final da história “A Piada Mortal”, de Alan Moore e Brian Bolland. Vamos rever a última página.

Ultima página

Ele afirma que, nesse encerramento, Batman MATOU Coringa apertando sua garganta com as mãos. Ele diz:

“Ninguém entende o final, porque o Batman mata o Coringa. Por isso se chama A Piada Mortal. O Coringa conta a Piada Mortal no fim, Batman estica suas mãos e quebra seu pescoço, e por isso a risada acaba e as luzes vão sumido, porque essa era a última chance de atravessar essa barreira. E Alan Moore escreveu a história definitiva de Batman/Coringa – ele finalizou tudo.”
“Mas ele [o artista Brian Bolland] fez de uma forma que ficou ambíguo, então ninguém precisa ter certeza, o que significa que não precisa ser a última história Batman/Coringa. É brilhante!”

Você pode ouvir esse trecho da entrevista no seguinte vídeo:

Posto isso, vamos à minha análise e, em seguir, a do Augusto.

» Jéssica

Eu já disse para vocês aqui nas últimas análises do Morrison que uma das características dos seus roteiros é o fato de ele abusar de elementos dos anos 70. Desenterrar personagens e histórias já esquecidos é a sua especialidade. Inserir acontecimentos, grupos, namoradas do Batman, frases, eventos – ele parece querer demonstrar que conhece a FUNDO a história do Batman. Porém, ele se esquece de observar o crucial, o óbvio para qualquer um que já tenha lido Batman.

O Batman NÃO MATA.

O Batman preza a vida antes de tudo.
A vida de Bruce Wayne ficou marcada quando, aos 8 anos, os seus pais foram mortos por um assaltante na saída do cinema. Uma MORTE modificou a sua vida, que nunca voltaria a ser a mesma depois disso.
Então quando ele cresceu e fez o juramento sob o túmulo de seus pais – jurou dedicar-se exclusivamente à justiça e a proteger Gotham, isso incluia não permitir que mais ninguém sofresse o que ele sofreu. Nenhum filho ficaria sem os pais. Enquanto Batman pudesse impedir qualquer morte, ele o faria.

“Ok”, você pode dizer, “Mas o Coringa é um homicida”. De fato. Para Batman, sempre esteve bastante disponível a opção de matar Coringa. Ninguém reclamaria da morte de alguém que já cometeu tantos crimes insanos em Gotham. Não haveria filhos para chorar no velório de Coringa. Ninguém choraria. Seria um alívio para Gotham. Até mesmo Gordon já insinuou que Batman deveria deixá-lo morrer. Mas o Batman NÃO MATA.
Quantas vezes Batman esteve perto de “cruzar a linha” mas nunca o fez? Isso é o que faz Batman ser Batman. É a sua “raison d’être”., sua razão de ser. Batman é um instrumento da justiça e acredita na capacidade da Polícia de Gotham de punir os criminosos e na capacidade do Asilo Arkham de regenerar (ou de ao menos conter) os loucos. Mas se ambas não conseguirem manter os criminosos lá, ele estará presente para pegá-los de novo.

Segundo ponto.
A mensagem principal de Coringa em “A Piada Mortal” é: qualquer um pode enlouquecer – basta apenas um dia ruim. Ele teve um dia ruim quando sua esposa grávida morreu e ele caiu num contêiner com produto químico, ficando completamente desfigurado – e aí começam suas profundas psicoses, seu desejo por sangue e por mortes, seu humor macabro.
Para comprovar sua tese de que a loucura pode vir de um evento específico, ele atira na coluna de Bárbara Gordon e a deixa paraplégica, sequestra Gordon e o obriga a ver as fotos da filha ensanguentada e semi-nua. Uma situação que poderia deixar qualquer um louco.
Coringa também quer deixar Batman louco. Quer que ele “cruze a linha”. Quer que ele sucumba ao peso dos acontecimentos, à dramaticidade da vida, à como as coisas podem ser ruins e danosas.

Se, como Morrison propõe, Batman tiver realmente matado Coringa… Então a teoria de Coringa estava certo. Até mesmo uma pessoa firme e rígida, um exemplo de justiça como Batman sucumbiu. Então, qual é o ponto de Batman ser um herói? E que esperança há para nós, que não possuimos ⅓ da resistência de Batman, do seu poder aquisitivo, da sua determinação?
Se temos visto tantas histórias em que ficou provado que Batman é forte, e sempre resiste às tentativas de ataque psicológico de seus inimigos, qual é o sentido de uma história em que Batman DEIXA DE SER Batman – em que ele deixa de seguir sua premissa básica de NÃO MATAR?
Isso seria estragar absolutamente todo o mito de Batman. Estragar tudo que vem sendo cuidadosamente lapidado sobre quem ele é. Ou seja, passar por cima de DÉCADAS de história de Batman e ignorar completamente a sua essência.

» Augusto

Pois bem, confesso que cheguei atrasado no assunto. Quando descobri a novidade lançada pelo “Senhor de Tudo Aquilo que é Podre”, aka “Pai da Mentira” (meu nome é Pinocchio), o excelentíssimo (idiota) Grant Morrison, sorri e pensei em apenas 3 letras: L S D.
Na boa, eu não sei porque ainda fazem polêmica em cima do que esse cara diz. “Ah, ele fez a Crise Final, escreveu vários roteiros de Batman e nhenhenhe”, tá. É como eu salvar 1000 mil pessoas agora e depois matar 1000 ursos polares. Meu erro continuará sendo um ERRO independente de quantas pessoas salvei antes.
Não importa a estante de troféus da pessoa, se ela não merecer confiança, simplesmente DESCONSIDEREM.
Isto posto, vou ser breve ao mostrar como o Morrisson falou uma besteira enorme. Nessa obra chamada “A Piada Mortal “, de Alan Moore (o Gandalf da crackolêndia), Bárbara Gordon leva um tiro, dado pelo Coringa. Até ai estamos de acordo? Ótimo.
A história prossegue, rola as confusões, o Coringa fecha na vacilação com o elenco do filme Freaks e faz aquele showzinho dos horrores pro Jim Gordon. Vida que segue, Morcego que bate, e lá estamos nós: chegamos no final da história.
Tem gente que está sob efeito de alucinógenos e/ou apanhou demais na cabeça e ao olhar o final aponta o dedo igual o Nelson dos Simpsons e diz “HA! HA! O Batman matou o Coringa!”. E tem gente que tem a circulação de sangue e oxigênio fluindo na boa pelo cérebro dizem “O Coringa foi preso”.
E porque as pessoas normais dizem “o Coringa foi preso”? Simples. Porque as consequências da história “A Piada Mortal” foram levadas a frente, como por exemplo o tiro que a Barbara levou. Como poderia o Coringa aparecer nas histórias seguintes? A DC ia pegar só uma consequência da história e apagar a outra? Seria como se a história não fosse totalmente válida.
Assim como qualquer história, se no capítulo 2 vemos um personagem vivo, quer dizer que ele não morreu no capítulo 1. Entendido? Ok. Agora mandem um recado meu pro Grant Morrison: toma vergonha na cara.

Anúncios

  1. Eu também achei idiota e sem sentido a afirmação do Morrison. Tanto pelos motivos que vcs expuseram nesse post quanto por simplesmente nem encaixar na história em si. Não é como se a história tivesse conteúdo o suficiente pra empurrar Batman até seu limite de sanidade e de repente matar o Coringa. Esse negócio de “quebrou o pescoço do Coringa” se baseando no quadrinho que aparece ele com o braço apoiado no Coringa, porra, é mta burrice, eles tavam gargalhando juntos e o Batman tá se apoiando nele, não “quebrando o pescoço”. Isso tá descrito no próprio roteiro pelo Moore. Pra mim, a ideia que ficou, se for pra tirar uma conclusão do significado desse final, seria que Batman demonstra ter alguma afinidade com o Coringa, tem algo de loucura nele também, nesse momento eles se compreendem. O Coringa tinha dito que o “dia ruim” do Batman o deixou louco também, mas ele apenas não admitia. Pra mim, parece que naquele momento em q eles riem juntos, fica transparecido q eles, talvez, tenham esse ponto em comum. Talvez exista algo de insanidade no Batman. Ou pelo menos o negócio fica lá pra gente pensar.

  2. Há uma explicação lógica: É Alan Moore. No mundo dos HQs existem vários gêneros de histórias: Ação,romance,aventura. Assim como existe o gênero Alan Moore. Na verdade é mais um universo. Na concepção de Moore, todos estão sucessíveis a loucura, a degeneração, a esquizofrenia. Ou seja,todos são falhos, desde o ser mais supremo do universo, até o herói mais brando e justo. Batman matando o Coringa É a piada mortal. É a obra-prima do Coringa, aquilo que ele tanto tenta fazer a sua vida. O motivo de Batman nunca tê-lo matado e nem o Coringa tentado matar Batman arduamente é que um não coexiste sem o outro, ambos precisam um do outro para que haja sempre uma razão de eterna disputa, uma disputa que nunca terá fim. A piada seria por um fim à essa disputa de forma que o Coringa vencesse. No universo DC o extremo do Coringa foi “envenenar” Louis Lane para que Superman matasse o Coringa e assim vivesse em culpa, Batman percebeu tudo e salvou o Coringa (logo salvou a sanidade de Superman). Agora no universo Alan Moore todos estão sucessíveis ao erro, e Batman pecou, cruzou a fronteira, e finalmente deixou o Coringa ganhar. A Piada Mortal é simplesmente a vitória de Coringa sobre Batman.

  3. Nunca tinha reparado a mancha avermelhada na chuva nos quadrinhos, e a mudança do “Hahaha” para o “eeee”, passa uma ideia de alguém tendo o pescoço esmagado. Isso é fato após a observação. Entretanto, não interpreto necessariamente como um assassinato, uma morte do Coringa. Sempre quando Batman alcança de fato o Coringa, o palhaço sempre sangra, não só o Coringa, mas todo vilão o Morcego quebra algum dente do infeliz. O Batman não mata, isso não quer dizer que ele seja bonzinho com os vilões, pelo contrario, o Coringa em diversas passagens já comentou que ficou meses no hospital se recuperando de fraturas e outras lesões. Acredito que neste final, o Bruce por um pequeno momento compartilhou um momento descontraído e raro com o Coringa, achando graça de uma piada do palhaço que ele nunca vê motivos pra sorrir. Entretanto, convenhamos que após este momento o Bruce não ia embora marcando um Chopp no Fim de semana pra assistir um jogo de Basquete do time de Gotham. Obviamente após esse raro momento de risada, o Batman fez o que era devido e correto, atacar e depois neutralizar o Coringa, levar ao julgamento e etc. Ela não ia deixar o Coringa totalmente ileso após tudo que ele fez com Gordon e Barbara. Pois o fato é que como foi dito antes, o enredo desta historia foi levada adiante, com Barbara na Cadeira de Rodas, consequência no tiro, o Coringa continuou aparecendo nas futuras historias. Então ele está vivo. Neste caso, só mesmo tendo um Poço de Lazaro para se salvar, e nem seria 100% certeza.

    • A chuva avermelhada não consegui ver, e o som de eeeeee, é de uma ambulância ou viatura vindo de encontro aos dois, preste atenção ao fundo do quadro e vc verá os faróis. Acredito que Moore não iria estragar essa obra prima com um lapso tão fora de contexto como esse.

  4. Concordo com os textos acima, apesar do Morrison ter ótimas sacadas em suas histórias, uma coisa é verdade, ele é maluco!
    Ele não respeita sua própria linha do tempo, várias vezes volta no passado e não dá elemento nenhum disso, o leitor tem que adivinhar…
    Pessoalmente quando vejo uma história do Morrison, leio torcendo o nariz, porque sei que vai vir algo bom, mas MALUCO!!!
    Nos últimos quadros o Batman está claramente com as mãos no ombro do Coringa, em pose de entendimento. Ele finalmente entende que o Coringa não tem salvação e nem quer.. Assim como o próprio Batman. O Batman nunca vai deixar de ser Batman.

  5. Acho q é válido sim. Quanto ao pegar um acontecimento para seguir em frente e excluir outro, a DC faria isso sim, afinal ñ foi o q ela fez com os novos 52 e todas essas crises? Algumas coisas contam e outras foram descartadas. E mesmo ele sendo forte de caráter, temos q vê-lo como um ser humano falho, pois ninguém é perfeito e todos temos um limite, mesmo q demore para alcança-lo. E depois de tudo q o Coringa fez como o Batman ia simplesmente ficar rindo com ele sob aquela situação? Ele torturou o Gordon q é um de seus “amigos”, aleijou a filha dele q tinha uma grande conexão com ele e talvez até tenha estuprado ela e o Batman ia achar engraçado? Se até mesmo o Superman é capaz de matar (mesmo q seja realidade alternativa, os valores iniciais eram os mesmos até tal acontecimento), o Batman tbm pode, e ele ñ precisa gostar do q fez, provavelmente vai carregar esse peso pro resto da vida, mas fez. Os quadrinhos desse heróis existem há tempos e p/ ñ ficar na mesmice, uma vez ou outra alguém tenta fazer algo extremo e chocante, mas claro q a Dc ñ ia deixar o principal vilão do Batman morrer. E só p/ lembrar ela já matou o próprio Batman, o Superman, o Hal Jordan, o Arqueiro Verde e por aí vai… e esse pessoal sempre volta dos mortos. São todos imortais!

    • Imortais não, né. Se fossem imortais não morreriam. Ressuscitar é diferente de ser imortal.

      Revistas elseworld não devem ser consideradas como linha de argumento. “Superman pode matar, ele matou o Coringa na Injustice”. A Injustice foi bolada pelo criador do MORTAL KOMBAT, claro que vai ter morte, o cara vive disso. “Ah, na Wildstorm mataram o Batman”, é, ele continuou na série principal. É como te acusarem de ser estuprador só porque em outra versão da sua vida você foi estuprador. É um conceito errado, o que vale é a linha oficial onde você não cometeu o erro.

      Sobre o Batman “não matar” não é mesmisse, é a proposta do enredo. O “não matar” é a proposta da DC. Nunca viu a conversa do Superman com o Ultraman, onde ele diz que tornou-se forte como é porque optou por não montar uma pilha de ossos dos inimigos mortos pra sentar e descansar? É justamente o que a empresa prega: superação. É muito além de mesmisse. É como reclamar que futebol é uma mermisse porque sempre se joga com os pés. Se quer diferente assiste volei, xadrez ou corrida de canoa.

      E cara, isso de pegar um acontecimento e anular o outro, a DC faz em REBOOTS, reformulações TOTAIS. Eles NUNCA na história da empresa apagaram algo de uma hora pra outra sem explicação. A linha oficial continuou com ele aparecendo. “Ah, ele pode ter morrido e ressuscitado!”, a DC mostraria como. Coringa é um dos personagens mais famosos, acha que nego ia simplesmente fazê-lo de trapo assim, matar e voltar sem explicar nada? Mano, eles ganham DINHEIRO em cima de histórias. Se tivesse espaço pra uma suposta morte do Coringa você acha que a DC ia perder a oportunidade de fazer um escarcéu em cima do fato?

      Que cada coisa esteja em seu devido lugar. É mas do que ÓBVIO que o Coringa não morreu. A “forma de ver as coisas” pode variar sim, cada um vê o que quer ver. Se eu coçar minha cabeça com o cano de uma arma, quem olha de longe pode achar que vou me matar, e não é o caso. Se as pessoas quiserem “isolar” a Piada Mortal e dizer que o Coringa morreu ali, façam como quiserem, mas falar que o Coringa morreu oficialmente pra DC naquele momento é ridículo.

      Pra terminar, os risos do Batman. Velho, independente dele “só rir” ou “ter rido e matado em seguida”, não muda o fato de que ele RIU, e uma vez que ele riu, porque algo tão sereno quanto RIR antecederia um assassinato? Não faz nenhum sentido. “Ah mas olha o que ele fez com a Barbara e o Jim”. O Coringa também não matou o Jason Todd? Lembra que o Bruce quase matou ele ANOS DEPOIS na saga Silêncio quando o Coringa acertou um tiro no Thomas Elliot numa viela? Direto não tem vilões tentando destruir o mundo ou até o universo? Isso consiste como uma tentativa de matar a TODOS, não só um amigo ou dois, e ele não mata vilão nenhum.

      Batman não é um personagem que cria as falas e fatos sozinho, são os roteiristas que fazem isso. Se eu for roteirista e decidir que ele vai começar a gritar “Jeronimo!” antes de pular de um lugar alto, assim será o Batman. Então não tem essa de “Ele não poderia rir depois de tudo isso”. Claro que poderia, é o louco do Alan Moore que decide isso, não o temido “cavaleiro das Trevas” que todo mundo tem em mente.

      Cara, sem fundamento essa do Morrison, não tem discussão, e é por um detalhe muito importante que esqueci de por no texto do post: O CORINGA APARECE EM HISTÓRIAS POSTERIORES QUE O PRÓPRIO MORRISON ESCREVEU.

      Se isso não bastar, não posso fazer mais nada.

        • Mas no modo história do Injustice o Superman manda o Coringa pro saco também, e a história foi desenvolvida pela Netherrealm, cujo dono é o Ed Boon. Pode conferir, e ele é o diretor do jogo.

          “The campaign of Injustice: Gods Among Us was written by NetherRealm Studios in collaboration with DC Comics’ writers as a stand-alone story”.

          Tem mão do cara. A revista saiu baseada no jogo, não o contrário.

  6. O q eu quis dizer foi q eles nunca morrem definitivamente e particularmente ñ acho legal essa de “matar” os heróis pq ñ fazem mais tanto sucesso, como por exemplo o Arqueiro e o Jason Todd, e depois q o povo sente saudades eles bolam uma história mirabolante p/ trazê-los de volta.

    Quanto a Injustice, eu só disse q antes do Super pirar, ele tbm tinha os mesmos valores q sua outra versão e q no caso dele um dia beeem ruim foi o suficiente p/ ele perder tudo isso, coisa q realmente pode acontecer c/ qualquer um.

    Tbm ñ quis dizer q o Batman ñ matar É a mesmisse. A mesmisse q mencionei é q, no geral, as histórias seguem o mesmo padrão desde a década de 40, ñ só sobre ñ matar, mas sobre tudo e por isso, de vez em quando eles chacoalham esse universso, tipo: a morte do Super, Hal Jordan massacrando toda a Tropa Dos Lanternas Verdes, Batgirl aleijada, Batman idem, a morte de Robin… Essas são histórias q apesar de relativamente numerosas são destaques em décadas e décadas de publicação.

    Tbm ñ disse q o Coringa realmente morreu ali ou estou defendendo a teoria do Morrison, só acho q pode ter sido a intenção do Alan Moore deixar esse final “interpretativo”, onde cada um entende de um jeito e com isso torna possível esse debate de idéias e informações.

    Quanto ao riso, quantas vezes já vimos o Batman gargalhar? Como o temido Cavaleiro das Trevas ele nunca faria isso na frente de um inimigo q acabou de fazer o q o Coringa fez, ñ tinha passado nem meia hora q ele torturou o Gordon. O q vou expressar a seguir é minha opinião dos fatos e de forma alguma digo q é uma verdade absoluta: ele riu pois entendeu naquele momento q o Coringa ñ tinha volta e nem se arrependia do q fez e com certeza faria de novo, pois no início da história ele o procura p/ tentarem se entender, ele realmente acreditava q o Coringa tinha chance de se regenerar e no fim ele percebe o quanto foi ingênuo de acreditar nisso; Ele riu disso e arrependido e aceitando sua parcela de loucura, o mata. Repito de novo q ñ estou dizendo q isso é a verdade absoluta, apenas o meu entendimento da história. E tbm ñ sou um profundo conhecedor de quadrinhos, assumo q sei pouco até, mas se a ordem das hq’s postadas pela Jéssica estiver na ordem certa, a morte de Jason Todd veio mt depois disso. E apesar de matar mts pessoas com certeza ser pior do q algumas ou torturar algumas, quando se dirige a poucas pessoas vc torna aquilo pessoal. Ex: o Darkseid chega na Terra e destrói Gotham. O Batman vai ficar mt puto sim, mas se ele pega as pessoas mais próximas de Bruce e as tortura de formas cruéis e talvez até mate algum tempo depois, acho q ele ficaria infinitamente mais furioso ao saber o quanto eles sofreram ao invés de ter uma morte rápida. Isso foi só um exemplo de como uma ação menor e mais cruel pode superar algo de maior grandeza.

    Para fechar, essa do Morrinson tem discussão sim e a prova são todos esses comentários tanto q a própria Jéssica abriu esse espaço justamente para isso, os visitantes do blog discutirem sobre a afirmação dele. A diferença é saber argumentar e respeitar a opinião de todos, afinal nenhum de nós é o Bob Kane, um roteirista da DC ou o dono da verdade.

    PS: podia postar a Saga O Legado do Demônio, continuação de Contágio. Li na época q saiu aqui e achei bem interessante, até pq meus vilões favoritos são justamente o Bane e o Ra’s Al Ghul e adorei o enredo de Contágio! Vlw!

    • Seus argumentos são interessantes.
      E é como você mesmo disse, ninguém morre de verdade nas revistas em quadrinhos. E isso não é só na DC, a Marvel é muito pior, acredito eu.
      É até difícil falar que matou ou não matou baseada na história inteira do Batman, já que essa revista era Elseworld. Então, a princípio o autor não precisava se preocupar com passado ou futuro.
      O Batman podia adotar o Coringa como Robin que não teria problema (acho que não agradaria tanto).
      O problema é a DC não entender a história do jeito “certo” do Morrison ou entender e ficar quietinha…Dando continuidade só a coitada da Batgirl.
      Mas uma coisa eu falo…independente do final. O Morrison vir com esse papinho de é óbvio.?.?.!
      Só quis pagar uma de bonzão. Sendo que as histórias dele são malucas…

      • Agora o povo pela internet deu pra se perguntar se o “Piada Mortal” era um elseworld. Parece sacanagem, negócio lançado há mil anos e AGORA eles vem se perguntar se é oficial porque o Morrison solta uma baforada de alcool dessas.

        Na boa, eu ficarei quieto só depois que o ALAN MOORE falar a respeito. Se ele falar “O Coringa morreu” eu não abro mais a boca pra falar do assunto. O Alan Moore é um dos únicos que podem dizer o que aconteceu ali. Ele é meio louco sim, pode ter matado o Coringa sim, assim como pode ter deixado ele e o Batman rindo na chuva até a prisão do Coringa como boa parte imagina.

        Seria bizarro a policia chegando e o Batman estrangulando o palhaço né, acho que os caras iam abrir fogo morcego, mas como eu disse, Alan Moore seria o melhor pra falar a respeito.

    • Essa sua resposta saiu bem mais “clara” que a primeira. Eu não sou dono da verdade, falei sim que seria absurdo e ridículo o Coringa ter morrido ali e a DC ter ignorado esse fato, pois isso é incontestável. É como alguém continuar fazendo histórias com o Bruce no período no qual ele estava “morto”, fica sem cabimento.

      Partindo do ponto de que o Coringa aparece na RIP que o próprio Morrison escreveu anos depois, só restam 3 hipoteses. Primeira: O Morrison tava de sacanagem e só quis fazer barulho com esse comentário; Segunda: Ele considera a Piada Mortal como um elseworld; Terceira: Ele é maluco.

      E mano, num precisa ser o Bob Kane, nem roteirista nem dono da verdade pra ver o óbvio. A obra é impressa e vendida no mundo todo justamente pra isso, avaliação, apreciação e julgamento. Nada que é exposto ao povo pode fugir disso, seja um livro, uma HQ, um filme ou uma música. Meu julgamento foi esse, o seu é de acordo com o que você diz. Simples assim.

      Desculpe se fui “agressivo” ao me dirigir a você ou ao expressar minha opinião, confesso que quando vou falar a respeito fico com a imagem do Morrison na mente, e ele é alguém que tá longe de ter minha admiração.

  7. Tá de boa, tbm acho q o Alan Moore é o melhor p/ dizer o q aconteceu de fato, mas gostaria de saber o q vc acha de RIP, pois a resenha fala mt bem dela. Eu parei de colecionar desde q começou a série Premium da Editora Abril, lembra? Era mt caro p/ mim na época, pois comprava todos os títulos da DC e tbm X-men e Homem-Aranha, além dos mangás DBZ e Cavaleiros, entre outros! E acho q de tanto jogar Arkham Asylum e City, a vontade voltou com tudo e acabei achando a saga RIP num site por 34,00 e comprei, pois como disse antes a resenha fala mt bem dela. Mas vc parece ñ gostar mt do cara, né? Então o q vc acha da saga, de verdade?

    • A resenha fala bem sim, mas não fui eu que escrevi, foi a Jéssica. Por mais que combinemos como as coisas sairão e lermos os textos um do outro antes da publicação, mantemos a ideia original conservada. Eu não mexo no que ela elogia ou critica, e vice-versa.

      Teve época que eu colecionava tudo da DC juntamente com X-Men Extra e mais alguns mangás. Talvez tenhamos uma coleção razoavelmente parecida.

      Eu acho a RIP uma porcaria mano. É confuso e cheio de elementos que largam os maioria dos leitores perdidos, principalmente os que lêem há pouco tempo. Muitos detalhes desnecessários e meio longe de serem interessantes. Era um tema que podia ter sido muito melhor aproveitado.

      Quando eu e a Jéssica fizemos a divisão deixei tudo do Morrison pra ela. O único texto que eu escrevi aqui do Morrison foi a Crise Final, que tinha mais espaço pra ser a caracter dele, com todo tipo de estripulias dimensionais que não precisam de pé no chão ou razões tão lógicas quanto uma trama humana/urbana.

      Não gosto do Morrison porque ele vive fazendo alarde desnecessário, suas maiores obras são na verdade reciclagem de ideias antigas de gente é/era criativa de verdade. Não dá pra chamar de roteirista alguém que escreve um roteiro que é 80% feito com ideia dos outros. É como se fosse uma fanfic. Pra mim o Morrison é praticamente um profissional em fazer fanfics.

  8. Bom debate,vou expor minha visão! Primeiro a última (que considero ) história do coringa com Batman é a do Frank (cavaleiro das trevas),mesmo nessa história Batman não estrangula o coringa no fim, segundo o senhor Moore mostra o óbvio, Bruce e coringa são loucos. Na história do Morrison Luva negra Batman pergunta a Robin:oque um homem excêntrico que tem tudo,e está cansado de tudo é capaz de fazer? (mais ou menos isso).Bruce tem muitos problemas isso é fato mas assassinar iria contra a lógica do personagem e o trauma imposto a ele pela MORTE dos pais. Moore tem uma visão bem interessante dos fatos,mas pelo que me consta ele não peca por auterar a essência do personagem ou seja NÃO mataras!na minha cabeça doentia de fã existe início e fim para Batman, ano um e cavaleiro das trevas,o meio é constituído de um universo abrangente. Morrison tem um ponto de vista e Moore outro,quem tem o melhor ponto tua imaginação decide!

    • Concordo, mas para mim o cavaleiro das trevas deixou de ser um marco depois que Miller cagou tudo com a nojenta e asquerosa parte dois da história, coisa que até hoje não entendo o que aconteceu. Se fosse outro roteirista/desenhista que tivesse feito, eu desconsideraria, mas foi o próprio Miller.

  9. Esta na essencia do personagem. BATMAN NAO MATA. Ele jurou no tumulo dos pais que ninguem mais sentiria a dor que ele sentiu; se ele matasse, alguem iria sentir o que ele sentiu e ele seria o causador. Jurou tambem combater o crime e a corrupçao sem JAMAIS se afastar do caminho da justiça. Se o Batman mata, perde-se talvez uma das poucas coisas que o diferencia dos criminosos. Sabemos que o Batman faz terror psicologico, agride, tortura, mas nunca mata. Temos como um exemplo, a revista que conta a origem de Bane (Superpowers 32); Bane fica perplexo ao ver Batman salvar um criminoso da morte certa em um predio. O proprio Coringa ja fez coisas que seria no minimo compreensivel o Batman cruzar essa linha e matar o palhaço (assassinato de Jason Todd, aleijar Babs Gordon, assassinar Sarah Essen), e mesmo assim ele nao o fez. Na queda do morcego, ao saber que Jean Paul Valley matou o criminoso Matadouro, ele se questiona se fez a coisa certa ao nomear Azrael o herdeiro do manto do morcego (claro que errou, Dick Grayson seria a escolha obvia, pelo menos pra mim..rs. Afinal sou um grande fa do Asa Noturna). Enfim, Batman nao mata, afirmar isso e acabar com um dos pilares morais que sustentam o cavaleiro das trevas na luta contra o crime.

  10. Vejam bem como essa última página é uma metáfora.
    Antes disso, o Batman encontra o Gordon pelado e vai correndo atrás do Coringa. O Gordon até fala pro Batman não ceder ao jogo dele e deixar a polícia fazer a justiça. O Batman “concorda”.
    No fim, o Coringa conta uma piada sobre dois malucos (Batman e ele). Nessa piada, tem o feixe de luz que seria a ponte para os malucos atravessarem, mesmo que um deles teria medo de que o outro apagasse a luz no caminho.
    No quadrinho, podemos perceber uma coisa. Temos a risada do Coringa (AHAHAHHAHA), em seguida, a do Batman (EHEHEHEH) e no fundo a sirene da polícia (WWWWWWEEEEEEEEEEEEE). De repente, a risada do Batman acaba justo no quadrinho que aparece a silhueta dos dois, onde Bruce supostamente está com a mão no pescoço ou no ombro do seu inimigo. Depois disso, vimos só a sirene da polícia ao fundo. Ainda há o feixe de luz no chão, mas de repente ele apaga.
    Essa é a Piada Mortal! O Coringa conta essa piada pro Batman e morre em seguida. Na piada, haviam dois loucos, que são eles mesmos. Um dos loucos vai atravessar a ponte com o feixe de luz, mas o outro apaga no meio do caminho.
    Essa é a metáfora do final. O Batman matou sim o Coringa.
    E outra… Devemos considerar que certos quadrinhos são arcos fechados. São histórias que começam do nada, mas tem um fim. Se tratando de Alan Moore, não duvido nada que foi tudo proposital, pra deixar aquele final ambíguo.

  11. Então gente,achei um erro grave na piada mortal.Se voces repararem na pagina 23 esta contando a historia do coringa.E o coringa antes de virar coringa diz “n-não sei,não…aquele cara…o capuz vermelho não usou uma coisa igual para assaltar a fabrica de gelo no mes passado” dai eu pensei WTF? o capuz vermelho é o jason todd que o CORINGA matou,sendo que quando ele disse isso nem existia coringa algum.Sera que tem alguma explicação lógica para isso.se tiver alguem pode me explicar,é que sou novo no mundo dos quadrinhos:):):)

    • Oi Piter, tudo bem?
      Na verdade, o Coringa usa esse Capuz Vermelho para praticar um crime, mas ele não tem nada a ver com o Capuz Vermelho – Jason Todd. Os personagens tem um grande espaçamento no tempo e não tem interligação.

      Espero ter ajudado!

  12. Às vezes, quando eu leio à HQ do Batman, eu penso: será que o Coringa não é o único normal e ele quer tirar as pessoas da loucura, fazendo com que elas tomem um choque de realidade?

    • Há uma teoria, que se não me engano até faz parte de uma história (que não me recordo qual é) que aborda a “sanidade” do Coringa. Falaram que ele não sofria de insanidade, ele na verdade sofria de super-sanidade, que é um estado de tão plena consciência que o faz estar um nível acima do que as pessoas estão, ele vê a normalidade de outra forma, é como se fosse um jogo que ele já zerou. É uma reinvenção do que é são.

      Enfim, a teoria é essa e faria sentido.

  13. Pingback: Feliz 2014! | Batman Guide

  14. Mas se você observar a piada que o Coringa conta, que os dois prisioneiros fugiram e um conseguiu escapar mas o outro não porque se a luz apagasse ele cairia e morria, e relacionar com as cenas finais, onde há uma luz semelhante a de uma lanterna, que no decorrer dos quadros, se apaga, significando assim a morte do Coringa.

  15. Acho que a moral da piada foi de que os dois juntos nunca formariam uma dupla, como o Batman confiaria no Coringa depois de tantas tragédias causadas por ele? Se for parar pra pensar, é gozado mesmo! e por isso houve esse momento de descontração.

  16. Mas o que indica que o Coringa teria sido preso após os dois caírem na gargalhada? Eu sei que o Bat não matou ele (óbvio), mas tbm não vi ninguém sendo preso ali não… pra mim, os dois tinham dado algumas risadas e depois cada um virado pra um lado e ido embora (vê como que num quadro mostra os pés dos dois virados um para o outro e no proximo quadro os pés sumiram?) e essa ideia tinha me desapontado mto no fim da leitura… então tem como alguém mostrar pra mim que dá pra se inferir que o Bat prendeu o Coringa no final de A Piada Mortal? isso me daria mais ânimo… 🙂
    Aliás, acho que todos devemos concordar que o fim dessa hq é bem ambíguo né… ou seria apenas um caso de duplo sentido provocado intencionalmente pelo autor?

  17. Até onde eu sei,antigamente A Piada Mortal era considerada um Elseworld,a própria DC só colocou os acontecimentos da minissérie na cronologia oficial do Batman por causa do sucesso das vendas dos especiais hardcover da minissérie,e da fama do material do Alan Moore.Acho que a teoria ou explicação do Morrison faz sentido,se levarmos em conta que quando o Moore escreveu a história ele não tinha nenhuma limitação cronológica ou editorial(pelo menos não antes daquela história do Monstro do Pântano como a cruz de Jesus Cristo) da DC,e além disso o próprio Alan Moore já disse que na sua visão o Batman sofre de uma psicose inversa a do Coringa,uma compulsão por Ordem e o Coringa como todo mundo sabe é um agente do Caos.

  18. Desculpa…postei o “comentário” sem terminar o comentário,então…Seguindo o raciocínio do Alan Moore(acho eu) a “piada” do Coringa seria apostar a própria vida para provar ao Batman que alguém como eles(traumatizados) cedo ou tarde cedem ao caminho do Caos.
    Talvez de forma inconsciente o Coringa saiba que o Batman também é alguém que sofreu um trauma severo em algum lugar de seu passado,e na visão dele o Batman é um maluco tentando negar sua verdadeira natureza(tipo um leão vegetariano ou um homem querendo engravidar).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s