#84 – Sereias de Gotham: União (“Batman: Renascido” – 5ª Parte)

Reborn

Oi!
Esse é, particularmente, um dos posts que eu mais queria escrever desde que comecei com o Batman Guide. A história de hoje tratará dessas três mulheres sobre as quais já falei aqui no Batman Guide: Arlequina, Mulher-Gato e Hera Venenosa. O que elas tem em comum, além de uma predisposição natural para se envolverem em crimes e problemas? Toda uma cidade contra elas. A única maneira delas sobreviverem em Gotham é se elas se juntarem. Cuidado para não ser pego pelas “Sereias de Gotham: União” (Gotham City Sirens: Union. Roteiro de Paul Dini, Scott Lobdell e Christopher Yost, arte de Guillem March e David Lopez, agosto de 2009 a fevereiro de 2010)!

Line

001Mulher-Gato tem sofrido muito nos últimos tempos em Gotham City. Primeiro, ela teve seu coração arrancado pelo vilão Silêncio. Depois, Jason Todd, vestido de Batman, a atirou de cima de um prédio. Ela se sente fraca como um filhote, mesmo depois de Zatanna ter fortificado seu coração com um elixir mágico. E para ajudar ainda apareceu um novo vilão chamado “Quebra-Ossos” cujo poder é… Quebrar ossos. Com um toque, estilhaçar ossos das pessoas. Tem aparecido montes desses vilões lunáticos em Gotham ultimamente, não? Mas pelo jeito esse vai conseguir acabar com a Mulher-Gato. Ou conseguiria, se não fosse pela intervenção providencial de Hera Venenosa.

002E onde a moça tem ficado ultimamente? Hera está dividindo apartamento com Charada. Certo, talvez “dividindo apartamento” não seja uma boa expressão. Ela está seduzindo ele com seus poderes tóxicos e o mantendo drogado enquanto pega a casa dele, depois de ter doado os 30 milhões de dólares que recebeu de Mulher-Gato para uma instituição que cuida de plantas (é, e a gente vendendo o almoço pra comprar o jantar).
A “adorável” Harley Quinn também é “companheira de apartamento” de Hera Venenosa, e tem vivido com ela desde que se cansou de Coringa (pelo menos até a próxima vez que ele ligar).
As três tem vivido no limite desde que Gotham City virou de pernas para o ar. Quando não estão fugindo da polícia, estão sendo penduradas pelo pescoço por algum vilãozinho de segunda, apanhando ou aceitando trabalhos idiotas de algum maluco. Era hora de tomar alguma medida para evitar isso. Hora de fazer uma união. Uma união de “super-vilãs”.
003Depois de alguma relutância por parte de Hera e de consultar suas “informantes”, ela aceita – Arlequina tem uma única cláusula: que no novo apartamento das três seja construída uma sala de brinquedo. Essa edição é um lapso de humor no meio de uma saga tão séria. A luta das três com o Quebra-Ossos é muito boa. Ah, há uma outra cláusula também, de Hera Venenosa – endossada por um composto orgânico que impede que a pessoa minta. Uma poção da verdade natural. Ela quer saber de Selina… Quem é o Batman.
004Temos um flashback de Selina Kyle indo ter uma conversa franca com Talia Al Ghul – em meio a tantas mulheres, as únicas duas que Bruce Wayne sempre amou. Acho que o Morcego não ia ficar muito feliz com essa conferência de ex-namoradas, mas o que os bat-olhos não veem, o bat-coração não sente. Além disso, é por um bom motivo: Talia ensina a Selina um método para guardar um segredo tão profundamente que nem você mesma terá acesso se não quiser – uma porta fechada para todo o sempre. Uma questão interessante para uma reflexão interna. Você esconderia algo assim dentro de você, se pudesse? Tem algo que trancaria dentro de você e jogaria as chaves fora?
005E o segredo de Selina em questão é justamente a identidade de Batman, que deve ser preservada a todo custo pelo bem dele e da cidade. E é o que Selina faz – ela inventa uma história bem convincente sobre o Batman na verdade ser dezenas de homens diferentes que assumem o manto por diferentes períodos, e os Robins são dezenas de meninos também. Sua história faz sentido, e aparentemente convence Hera e Harley – embora essa última fique tão entediada com essa resposta sem-graça que decide sair para fazer compras.
014Pausa para um comentário: menos um ponto para o roteirista, que poderia ter explorado algum traço menos fútil da personalidade de Arlequina (personagem de quem já falei neste post). Ela quase sempre é retratada como uma desmiolada. Espero por uma one-shot profunda dela, em que ela exponha o sofrimento causado pela dualidade entre o fato de amar Coringa de maneira tão intensa e de saber que ele é o homem ERRADO para ela, que ele é a escolha errada. Parece bobeira, mas não é. Poderiam criar conflitos relacionados ao comportamento afetivo-obsessivo de Arlequina, o fato de ela estar num relacionamento destrutivo com um homicida, talvez sugerir traços de um transtorno Borderline nela.
Se vocês se lembrarem da história “O Palhaço à Meia-Noite”, inserida no post “Batman & Filho”, vemos uma face mais adulta da Arlequina, em todo o seu sofrimento, e eu acredito que eles poderiam explorar esse nicho (já que é uma personagem muito querida pelos fãs).
006Bom, vamos nos contentar com o que temos agora. Passeando pelo shopping, Arlequina encontra Bruce Wayne.
Nesse momento o leitor estará olhando perplexo para a resenha perguntando “BRUCE WAYNE? MAS COMO ASSIM?”. Bem, quem é o lunático que reconstruiu todo o seu rosto para ficar idêntico ao Bruce Wayne? Sim, ele mesmo, Thomas Elliot. Ele está se passando por Bruce Wayne (no próximo arco vocês descobrirão como isso foi possível) publicamente, o que atrai criminosos tentando roubar a sua fortuna (ah, se soubessem que a Mulher-Gato roubou todo o seu dinheiro…).
007Ela decide salvá-lo. E ele acredita que é uma boa hora para se vingar dela. Ou então… Usá-la para chegar até a pessoa que ele mais quer destruir. Então ele sequestra a Arlequina.
Charada abriu uma firma de investigação e está procurando por pistas de dois supostos suicídios ocorridos em Gotham City. É bem interessante o momento em que ele se depara com Batman e percebe que é um Batman diferente. As habilidades investigativas dos dois se equiparam, e Charada precisa admitir: seja ele quem for, ele é BOM. Aliás, Charada não existe mais: ficou pra trás. Agora ele é só Edward Nigma, um homem sério.
008A participação de Edward nesse arco é bem engraçada porque, de alguma forma, ele e Batman acabam cooperando (sim, isso foi possível). Outro trecho engraçado, que já aconteceu na primeira HQ desse arco, é o fato de os vilões “novos” de Gotham considerarem os vilões clássicos como referências no crime; ao encontrar Charada, uma das criminosas quase pede um autógrafo para seu mestre. É a velha guarda do crime em Gotham.
Ok, 010mas Arlequina ainda está desaparecida? É isso que Hera e Mulher-Gato querem descobrir. Sim, Thomas Elliot ainda quer matá-la, mas não vai fazer isso de maneira que deixe pistas. Talvez seja melhor forjar um acidente. Ele decide desfilar com a belíssima Harley pela cidade, sempre em situações felizes e divertidas, então assim se por acaso acontecesse alguma coisa com ela quem iria suspeitar?

Mas ele esqueceu que Arlequina é uma moça “comprometida”. E o seu ex-namorado é um palhaço que pode ser muito vingativo quando é desafiado dessa forma.
012E nesse momento a história toma um rumo meio estranho. É muito indigesto perceber que até o CORINGA, o palhaço do crime, o arlequim assassino, está suscetível a uma crise de ciúmes. Porém ele não vai ignorar a Arlequina ou mandar uma indireta pra ela nas redes sociais. Ele vai mandar um dirigível com os capangas dele para matá-la no topo do prédio mais alto de Gotham City. É. O Coringa não sabe ser rejeitado.
Explosões infinitas, Coringa desajustado, o Thomas Elliot descobre o formigueiro em que estava pisando e modifica o seu plano de última hora. Coringa quase mata as três meninas numa explosão gigantesca em Gotham. Hera Venenosa até tenta interferir, como podemos ver nesse belíssimo quadro, mas isso não impede Coringa de machucá-las pelo menos o suficiente para deixá-las irritada.

Hera
011E não simplesmente se provoca as Rainhas do Crime de Gotham e se sai impune. Era preciso se vingar dele. De uma vez por todas. Arlequina precisa aceitar essa decisão das três e cooperar. As coisas vão se sucedendo de um jeito rápido, as meninas invadem a mansão de Coringa, cheia de armadilhas estranhas, no estilo dos filmes antigos de mistérios.
No desenrolar do texto eu tive a impressão que o Paul Dini andou tomando um cafezinho com o Grant Morrisson, porque ele desenterra um personagem dos anos 60 na história, o Gagsworth A. Gagsworthy. Ele era um anão-palhaço que acompanhava o Coringa em algumas histórias iniciais, mas que foi abandonado por Coringa quando Arlequina chegou na vida dele.
Eu gosto do jeito que a história evolui, com um flashback que atinge um certo grau de profundidade, mas sem perder o humor cartunesco que é característico desse arco.

Gaggs

Gagsworth A. Gagsworthy na capa de Batman #186 e em aparições na série mensal

015Ainda temos uma história bônus em que conhecemos um pouco melhor a vida das três durante o Natal. Interessante ver Mulher-Gato dando uma ajuda a Dick Grayson, mas quem lê as histórias há um bom tempo está acostumado a vê-la sempre andando por essa linha entre o crime e a justiça. Hera está na América Central, e Arlequina foi visitar sua família no Brooklyn – e a configuração da família dela nos diz muito sobre o que ela se tornou.
016
Esse primeiro arco de “Sereias de Gotham” é uma introdução às muitas aventuras que essas três mulheres realizam na cidade nesse ponto da cronologia. O interessante sobre elas é que nem sempre elas se concentram apenas nos crimes, mas elas parecem ter algum “senso de justiça” que as impede de serem 100% cruéis – ao contrário de outros vilões como o Zsasz ou o próprio Coringa, que não tem um traço de bondade e não salvariam alguém inocente de forma alguma.
Mulher-Gato, particularmente, fez um longo caminho de uma vilã gratuitamente sexy para uma espécie de anti-heroína complex.
Um problema que encontro é que, em relação aos outros arcos de “Batman: Renascido”, essa peca um pouco pela sua “superficialidade” e exagero em alguns aspectos, mas muito provavelmente essa era a intenção dos roteiristas, incluir algum humor durante essa fase que teve tantas mudanças (um novo Batman e Robin, uma nova Batgirl, o Red Robin, enfim). Algumas temáticas pesadas como obsessão, vingança e companheirismo são tratadas com leveza e humor. A isso damos o nome de “Paul Dini”.
Guillem March sabe desenhar mulheres como ninguém, o que permite que o aspecto visual dessa saga seja praticamente impecável (praticamente porque algumas proporções do quadris das personagens me parecem estar um pouco irreais). E, obviamente, cheio de cenas de peitos e bundas aparecendo no mesmo plano, como eu falei um pouco nesse post sobre as Aves de Rapina, mas não dá para fugir disso num tipo de entretenimento cujo público-alvo é feito em sua maioria de homens adultos.Deixando um pouco essas questões de lado, é uma saga sobre vilãs tentando se virar num mundo em que nada é fácil para elas. Não deixe de ler, nem que seja só para rir um pouco 😉

Cover

Download no MEGA: Sereias de Gotham – União


Anúncios

  1. Ótimo post, eu particularmente sou fã do Paul Dini, inclusive no ótimo jogo Batman Arkhan City ele ajudou com o roteiro. Qto ao trio, comecei a acompanhar a mulher gato no DC Apresenta #04: Mulher-Gato – Um Novo Legado, aí vi que a personagem tem um puta de universo a ser explorado. Já a arlequina eu concordo com vc, essa submissão cega não cabe mais, poderia ser explorado mais essa possível dualidade dela. Já Hera venenosa na boa mesmo eu não curto, acho mta coisa que envolve ela mto forçado (pele verde? afff). escrevi pra carai hahahaha abs

    • Oi Erik, tudo bem?
      Eu também sou uma grande fã do Paul Dini principalmente depois do trabalho que ele fez na série de jogos Arkham.
      Sabe que eu vi essa edição para vender e acabei não comprando? Mas depois do seu conselho vou procurá-la novamente.

      É, a Hera é uma personagem mais indigesta mesmo. Batman tem uma trama mais “urbana” e realista, mas mesmo ele não pode fugir de alguns elementos místicos e irreais.

      Escreva bastante sempre que quiser, seu comentário é muito bem-vindo!

      Obrigada e um beijão!

  2. Sempre gostei em particular dessas três personagens e adorei ler uma revista delas juntas. Certamente lerei de novo depois desse post! Também concordo que a Arlequina é pouco explorada em algumas hq’s, e acompanhando a série dos Novos 52, Esquadrão Suicida, deu para notar alguns desses traços poucos explorados. Em meio de algumas brincadeiras, Harley orquestrou uma rebelião em Belle Reve. Simplesmente adorei vendo ela se saindo tão brilhante nessas partes. Mostra que apesar de não parecer ela pode ser muito esperta e fazer coisas que aos olhos de alguns não conseguiria. Obrigado pelo post, adoro o Batman Guide! Tem sido feito um ótimo trabalho parabéns!

    • Oi Rafael, tudo bem?

      Muito obrigada por compartilhar conosco! Eu não estou acompanhando o Esquadrão Suicida, mas vou procurar saber desse evento específico que você citou porque eu realmente quero ver a Arlequina numa atuação mais séria.
      Que bom que meu post foi útil para você, e que você é frequentador aqui do Batman Guide. Muito obrigada!

  3. Parabéns pelo blog, sigo ele há algum tempo e curti muito esse espaço exclusivo para fãs do morcego!
    Vi o Quebra-ossos entre os vilões escritos nessa história do infame Scott Lobdell e do excelente Paul Dini, esse cara é praticamente uma cópia do vilão inimigo do Capitão América, Crossbones (http://4thletter.net/category/features/deadshots-tophat-and-other-beginnings/) ! Que falta de criatividade e vergonha do criador desse vilão, não?!

    • Oi Gladson, tudo bem?

      Nossa, eu não tinha conhecimento desse personagem da Marvel. Realmente, é igualzinho ao Quebra-Ossos desse arco, que absurdo! ahahaha
      E ele foi criado justamente para esse arco, sem maiores aparições depois. Poxa, os caras podiam ter sido mais criativos, não?

      Obrigada pelo seu comentário, querido!

  4. Adorei esse arco,leve e ao mesmo tempo interessante pela química das três,concordo com o que foi dito,também espero que façam histórias mais sérias com a arlequina,dando mais profundidade a sua nada estável psiquê,espero que isso aconteça no novo título dela.Aliás meus parabéns pelo trabalho aqui no blog,os textos são excelentes,acompanho o site um a pouco mais de um mês e tenho me surpreendido pela qualidade dos posts e dos scans(finalmente achei uma cronologia do morcego bem organizada),sempre os procuro no fim de noite para relaxar do stress do dia a dia!Continuem assim…..

    • Renki,

      Que bom que o blog te ajuda a relaxar, ficamos felizes em saber. Esse arco era esperado por muitas pessoas, e eu também estava super afim de escrevê-lo.
      Estou um pouco apreensiva quanto ao novo título da Arlequina nos New 52, não sei se eles darão a profundidade necessária a ela. Se sendo superficial ela é uma personagem rentável, talvez não queiram modificá-la e arriscar desagradar o público, né?

      Obrigada pelo seu comentário, espero recebê-los mais vezes!

  5. Pingback: Feliz 2014! | Batman Guide

  6. Pingback: #91 – Bruce Wayne: Estrada Para Casa | Batman Guide

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s