#90 – “Descanse em Paz”: O Capítulo Perdido

“Eu sobrevivi ao encontro com algo maior do que eu, mais forte do que eu. Algo capaz de torcer cada momento da minha vida e fazer um caminho que me leva até aqui. […] O tempo ainda está se movendo. […] Eu deveria saber, quando escolhi trilhar este caminho. Ele nunca termina.”

Olá, queridos!
A última HQ de 2013 no Batman Guide irá nos esclarecer algumas coisas a respeito das sagas Batman: Descanse em Paz e da Crise Final – ou então, o que é mais provável, acrescentar outras dúvidas.
Por todo esse tempo nunca ficou muito claro qual era exatamente a ligação entre “Batman RIP” e os eventos que aconteceram com o Morcego em Crise Final. Certos detalhes eram controversos e até mesmo contraditórios. Tudo estava muito confuso, não dava para entender exatamente que eventos vinham primeiro… Se para nós que estamos lendo isso depois de 3 anos já está difícil de entender, imagine para quem acompanhou as séries na época de lançamento (2009-2010). Essas duas sagas foram lançadas paralelamente.
É exatamente por isso que eu recomendo que mesmo quem já conhece bem essa parte da cronologia do Morcego leia meu texto. Darei o meu melhor para esclarecer alguns pontos que ficaram perdidos nessa confusão, através dessa HQ que é, exatamente, o elo entre os eventos de Crise Final e Descanse em Paz.
Acompanhe agora “Descanse em Paz”: O Capítulo Perdido” (“R.I.P.: The Missing Chapter”, roteiro de Grant Morrisson e arte de Tony S. Daniel, setembro-outubro de 2010).

Para a leitura dessa HQ, recomenda-se que você tenha lido, ou pelo menos conheça em linhas gerais, as seguintes sagas:

Line

A primeira coisa que você precisa saber sobre essa HQ: ela foi feita meio que sob “encomenda”. As edições de “Descanse em Paz” e “Crise Final” haviam sido sucesso de vendas, mas sofriam terríveis críticas justamente por essa confusão que se instaurou para a compreensão até mesmo dos fãs mais antigos. Então, Grant Morrison foi convidado para escrever uma minissérie que ataria TODAS as pontas soltas no que se refere à compreensão desse momento da cronologia do Morcego. Acredito que ele tenha sido orientado a ser mais claro e didático quanto aos acontecimentos, e menos subjetivo, usando menos de elementos simbólicos e metafóricos (claro que ele não abandonou isso, ou não seria o Grant Morrison). E assim surgiram os dois volumes que compõe “‘Descanse em Paz’: O Capítulo Perdido”.
Para garantir que todas as suas dúvidas sejam sanadas, vou dividir esse texto em duas partes, uma para cada volume.

001Parte 1: O Buraco nas Coisas
A narrativa é conduzida por Batman, o que confere um tom bastante pessoal à história. Eu tenho um apreço pessoal pelas histórias em que Bruce é o narrador. Por favor, observe a contagem que está aparecendo nas páginas: “__ dias até o Ômega”. Ou seja, estamos em uma contagem regressiva dos dias até que Batman será sancionado pelo Efeito Ômega de Darkseid.
Batman sai de um rio, depois de conseguir escapar da morte após os eventos conduzidos pelo Doutor Hurt em “Descanse em Paz” (se não se lembra como a história terminou, por favor, releia o meu texto). Ele vai até Alfred, que limpa suas feridas e cozinha para ele. Contudo, dessa vez Batman QUASE não escapou: ele teve alguns erros de cálculos ao utilizar a dosagem de anti-veneno do Coringa, e esteve à mercê de seus inimigos por 30 minutos inteiros. Trecho interessante é quando ele comenta com Alfred que eles estavam certos sobre Jezebel Jet; no fim das contas, Batman não acreditava realmente na ruiva.
002Existe outra coisa intrigando Batman. O corpo de Hurt não estava no rio abaixo de onde seu foguete explodira. Ele sabia que um ser humano normal (isto é, outra pessoa que não fosse ele mesmo) não sobreviveria naquelas condições; entretanto, onde estaria o cadáver? Não havia sinal do corpo de Hurt ou do piloto do foguete. Alfred ainda tenta argumentar que possivelmente os restos mortais poderiam ter sido levados pelas correntezas, mas Batman sente que essa explicação não é suficiente.

003

Sabem, desde que comecei a escrever essas HQs sobre o Morrisson, tem uma expressão que me chama MUITO a atenção. É ela que dá nome a essa edição: “O buraco nas coisas”. Cheguei a pensar que se tratasse de uma referência bíblica; fiz essa pesquisa em português e em inglês, mas não obtive nenhum resultado. Essa expressão é usada por Doutor Hurt para se referir a ele mesmo. Por que essa expressão? Ela é explicada nessa HQ. [Alerta de spoiler! Se deseja ler, selecione o texto a seguir]. Doutor Hurt é um membro perdido da família Wayne, uma “ovelha negra”. Um buraco na árvore genealógica. [Fim do spoiler]
Batman é, então, convocado por Superman para uma tarefa. Alguém matou um deus (Órion). Os céus já estão vermelhos. Já começou a Crise Final. Tem uma fala de Bruce interessante nesse trecho a respeito do seu relacionamento com os outros heróis:

“Eu trabalhei tão duro para ganhar o respeito deles que às vezes eles esqueciam que eu sou de carne e osso.”

003-1Não é segredo para nós o respeito que Batman recebe parte dos outros heróis. A despeito da sua “falta” de super-poderes, suas qualidades dedutivas, estratégicas e de combate, e sua integridade moral o colocam como um dos elementos da Trindade dos heróis da Liga da Justiça. Mas isso é material para o começo do ano que vem (aguardem!).
Voltando, Superman convida (isto é, intima) Batman para conduzir uma investigação de assassinato de nível interplanetário. Bruce havia sido amaldiçoado por Hurt: a próxima vez que ele vestisse a capa e o capuz, seria a última.Mas você já viu Batman ceder a alguma ameaça? Ele aceita o chamado da Liga da Justiça.

006Parte 2: O último caso do Batman
Chegamos ao momento em que as últimas dúvidas sobre o que aconteceu a Batman são esclarecidas. É necessário encontrar os deuses malignos que estão em algum lugar da Terra, que são capazes de partir o planeta ao meio e escravizar bilhões de pessoas. Batman já tinha um dossiê pronto sobre o assunto (por que isso não me surpreende?). Eles discutem como Darkseid pode ser derrotado: com a bala mágica, um “projétil mata-deus”, o modelo original das balas que mataram JFK, Martin Luther King, Gandhi, John Lennon… Se Darkseid é a junção de tudo que é mau, a bala que vai matá-lo deve ser a “junção” de todas as balas.
Aqui no blog sempre dissemos que é muito estranho pensar em Batman envolvido com casos sobrenaturais. O próprio conceito de Batman é bastante urbano, as emoções trabalhadas são muito humanas – vingança, justiça, rancor, maldade. Posto isso, ele sempre parece estar meio deslocado em HQs com temáticas mais diferenciadas.

“Eu sempre estive preparado para balas de atiradores, máquinas de matar feitas por loucos… Mas esse mundo de deuses e alienígenas… É duro estar preparado para isso.”

008E então começam alguns eventos que já conhecemos: Batman combatendo Kraken, que possuía uma super-arma energizada em seu pulso. E Batman sendo atacado por uma armadilha que “me aguardava desde o dia que nasci”. Depois vemos quando Darkseid teve a infeliz idéia de tentar entrar na cabeça de Batman e também clonar o Morcego através do Lump, idéia essa que falhou miseravalmente devido à alta carga de estresse e tensão a que o Morcego está submetido diariamente.
009Batman acorda dentro da sala de dissecação dos Novos Deuses, onde em cada um dos jarros há um homem com seu rosto, morto – os seus clones que deram errado e se mataram. Que visão perturbadora para se ter quando se acorda.
E, finalmente, vemos os momentos que precedem o encontro de Batman e Darkseid. Batman está furioso por tudo que Uxas tem feito, tão furioso que para ele admite abrir uma exceção no seu voto de nunca usar armas de fogo.

Darkseid

009-1Batman conseguiria vencer a Sanção Ômega? No momento derradeiro, Batman ouve sinos. Já te expliquei o significado dos sinos aqui nesse texto.
A descrição dos sentimentos de Batman quando ele recebe a Sanção Ômega de Darkseid é incrivelmente detalhada. O momento em que Darkseid coloca o Hiperadaptador em Batman. E, finalmente, descobrimos o que enviou Batman para uma viagem no tempo (“O Retorno de Bruce Wayne“): [Alerta de spoiler! Se deseja ler, selecione o texto a seguir]. O tempo é flexível, como eu disse no post #89. Como Batman permaneceu no mesmo lugar, Darkseid manipulou o tempo ao redor dele. Batman foi preso em uma gaiola giratória de eventos, de coincidências e laços de sangue. [Fim do spoiler] Passamos por todas as referências que estamos acostumados nessas últimas leituras.

“O buraco nas coisas tinha a forma de Darkseid. Mas é só um buraco. Darkseid está morto.”

E o que é, no fim das contas, a Sanção Ômega? [Alerta de spoiler! Se deseja ler, selecione o texto a seguir]. O Tempo é a Sanção Ômega. Batman foi jogado no tempo. Ele não sabe bem onde está. Então ele começa a criar uma trilha para que consiga se localizar. [Fim do spoiler] E então vem os eventos que já estamos carecas de saber depois da leitura de “O Retorno de Bruce Wayne”. Novamente, retornamos à idéia que foi o mote da HQ #89, “O tempo e o Batman”:assim como o tempo, a idéia e o conceito de Batman nunca serão destruídos, não importa quando, não importa onde, não importa o quão escuro, “O amanhã pertence ao Batman.” A sua idéia nunca passará ou terminará.

Batman

009-2A durante a leitura dessa e de outras HQs, um conceito é latente: a ciclidade do tempo. A flexibilidade do tempo. Ele não é uma força fixa e definitiva: ele é maleável e mutável. É anterior ao século XIX a visão de que os homens assemelham suas ações no curso do tempo, criando-as “tais quais ou análogas às do passado, a história, constituída como ciência clarividente”. Com o ensinamento dos fatos, a lembrança da História acaba por constituir um panorama do que houve de instigante e a ser repetido, e também de vícios que devem ser evitados.
010Ora, a idéia de “‘Descanse em Paz’: O Capítulo Perdido” foi interessante: explicar o que não havia ficado claro. Finalmente entendemos a ponte entre essas duas HQs. Bem, essa é a parte boa.
A parte ruim é que, pelo menos pra mim, alguns trechos das explicações fornecidas por essa saga ficaram um tanto quanto “remendadas”, feitas às pressas, sabe? Talvez eu não tenha compreendido essa história 100% (dêem um desconto, é o Grant Morrisson), mas a impressão que tive é que alguns elementos se perderam nessa urgência de explicações.

Mas de qualquer forma, ler uma história em que o Grant Morrison EXPLICA as coisas ao invés de complicá-las mais ainda vale a pena só pela sua raridade. Se você tem qualquer dúvida sobre as sagas “Batman RIP” e “Crise Final” (e é melhor você tê-las, porque elas existem aos montes), você deve ler a HQ do post de hoje.

CoverDownload no MEGA – “Descanse em Paz”: O Capítulo Perdido

Anúncios

  1. Pingback: Feliz 2014! | Batman Guide

  2. Pingback: Página não encontrada | Batman Guide

  3. Pingback: #100 – Richard “Dick” Grayson | Batman Guide

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s