O que nós achamos sobre Gal Gadot como Mulher-Maravilha?

Aproveitando o embalo do último post, hoje vou falar sobre a escolha de Gal Gadot como Mulher-Maravilha.

 Gal Gadot… É.
“É o que?”, é rica, é linda, é inalcançável pra mim (e pra todos vocês, seus mãos peludas), mas NÃO É a Mulher Maravilha. Quer dizer, ela é a Mulher-Maravilha, foi escolhida pra isso e será paga pra isso. Vão filmá-la vestida como a Diana e etc, mas ela não bate certo com o que fãs da DC conhecem por “Mulher Maravilha”. Gal Gadot, vendo através dos olhos fúteis do mundo, é no máximo uma mulher maravilhosa, mas não uma Mulher Maravilha.

Gal Gadot

Primeira imagem oficial de Gal Gadot como Mulher Maravilha. Fonte: Jornal O Globo

Minha primeira pergunta foi “Cadê o resto dela?”. A mulher é uma vareta. Ok, eu também não sou o Henry Cavill, mas eu não me candidatei a ser o Superman. A Diana é uma amazona. AMAZONA. É aquela mulher com armadura grega que facilmente te amarra com as patas pra cima igual um porco com bronquite. A mulher é um armário, aguenta mais porrada que o Rocky e bate mais que motor de carro velho. Uma mulher sarada, que qualquer homem pensaria duas vezes antes de olhar mais de 2 segundos.

O cinema tem passado por cima de uma porção de detalhes na hora de escolher representantes para seus personagens. De início e mais clássicos: Rei do Crime e Nick Fury, ambos saíram na matiz errada, não sei se notaram o pequeno detalhe. Depois um Constantine moreno (agora tem um mais a caráter no seriado, eu sei), tivemos a primeira Mulher-Gato (solo, Hale Berry) que também não condizia muito com a Selina que o mundo conhecia na época… E segue lista se formos pegar personagens menores.

Já era de se esperar alguma babaquice dessa vindo de uma tentativa de “Liga da Justiça” da Warner. Cá entre nós, a DC não tem autonomia como a Marvel. Em matéria de produção de filme de herói, se fosse rolar uma briga entre Marvel e DC, eu apostava até minha avó na Marvel. E EU PREFIRO A DC. Ao ver a DC valente se propondo a lutar, a Marvel daria uma risada e diria “Enche o peito e vem chorando fdp”. Infelizmente não dá. Eu não troco NENHUM filme da Marvel pelos da serie Dark Knight com o Bale, mas putz, o Bale sozinho não pode contra Capitão America maneiro, Homem de Ferro maneiro, Thor maneiro, Vingadores maneiro e mais uma tonelada de títulos legais saindo com filmes de médios a excelentes. A DC saiu com Batman e Superman, e os do Batman ainda foram desconsiderados de qualquer ligação com o resto do universo que estão preparando pra Liga da Justiça.

Como eu SEMPRE digo quando o assunto são os filmes da DC: a DC é da Warner, que por sua vez é da Time. É MUITA gente acima, logicamente que o setor não recebe a atenção e a verba que merece, e quando recebe, é através das pessoas e das ideias erradas.

Cá entre nós, o filme “Man of Steel” e a trilogia “Dark Knight” foram os primeiros acertos da DC, e ainda assim carregados de detalhes dignos de se esquecer, mas fazendo vista grossa, os melhores. Então era óbvio que nego ia cagar na Mulher Maravilha, assim como já cagaram na escolha do Aquaman e do Flash. Jason Momoa como Aquaman… Beleza, o próximo Hal Jordan pode ser o Jackie Chan. Ezra Miller como Flash. Que maravilha também. A Hawkgirl será o Paulo Gustavo do “Minha mãe é uma peça”, ele interpreta mulher direitinho. PORRA. E claro, lembrando que o blog é de Batman: BEN AFFLECK É O BATMAN. This is why we can’t have nice things.

Continuar lendo

#97 – Mulher-Maravilha: Hiketeia


“Venho me oferecer
Em súplica,
A ti, minha ama.
Venho sem proteção.
Venho sem alternativas.
Sem honra, sem esperança.
Sem nada além de mim mesma
Para implorar tua proteção.”


Olá, queridos!
Que sumiço esse que eu dei, né? Mas tenho boas justificativas pra ele, então vou atualizar vocês sobre a minha vida nos últimos meses!
Me formei na faculdade. Agora sou oficialmente bacharel e licenciada em História pela Universidade de São Paulo, olha só! E agora sou oficialmente professora de ensino fundamental e médio na rede pública de São Paulo. Isso significa que agora tenho cerca de 300 pestinhas lindos para educar e ensinar História.
Então peço que me desculpem essa autoria relapsa e continuem a acompanhar o Batman Guide de onde paramos – e falta tão pouco para chegarmos ao reboot!

O post de hoje é sobre uma HQ muito famosa, que tem uma capa magnífica desenhada pelo igualmente magnífico Alex Ross. E é sobre ela que vamos falar hoje. Sejam bem-vindos a: “Mulher-Maravilha: Hiketeia” (Wonder Woman: The Hiketeia, roteiro de Greg Rucka e arte de J. G. Jones, 2002.) E no fim do post tem uma surpresa para vocês!

Line

Em primeiro lugar, muitos de vocês vão me perguntar: “Mas Mulher-Maravilha? Esse blog não é sobre Batman?”, e talvez até achem que essa ausência do blog comprometeu minhas faculdades mentais (que, veja lá, nunca foi das mais sensatas). Mas eu explico: a DC Comics tem aquilo que chamamos de “Trindade”, o carro-chefe das publicações que é formado pelo Superman, pelo Batman e pela Mulher-Maravilha. Teoricamente era para Superman ser o mais importante, mas nos últimos anos Batman vem sendo o personagem mais trabalhado – o que gera críticas por parte de alguns fãs de Batman acerca do exagero no Bat-mito e na superexposição do personagem de Batman. Tem até um meme sobre isso: “Justice League? More likely Batman and his bitches.

Trinity

Ok, voltando: esses três personagens, juntos, protagonizam alguns dos mais célebres arcos disponíveis na cronologia da DC Comics. A Mulher-Maravilha, que é a protagonista do post de hoje, sempre teve uma relação bastante única com Batman, de ódio e respeito mútuo. Você pode perceber isso pela capa – Mulher-Maravilha pisando no rosto de Batman.
Então, já que se trata de uma personagem tão importante, vamos começar falando sobre a sua história, a sua origem.

LineWonder

Em 1940, o o desenhista William Moulton – conhecido popularmente como Charles Moulton, estava disposto a criar uma nova personagem para as novas companhias que formariam a DC Comics. Recebeu de sua esposa a sugestão de criar uma super-heroína do sexo feminino. Essa nova personagem seria de um tipo diferente: ela não triunfaria pela força, mas pela compreensão e pelo poder.
O mais interessante de tudo é o seguinte: William Moulton Marston era um psicólogo que tinha um projeto com uma espécie de polígrafo – popularmente conhecido como “detector de mentiras” – que utilizava a pressão sanguínea para examinar os prisioneiros de guerra germânicos. Essa experiência com o polígrafo mostrou para Marston que as mulheres eram mais confiáveis e honestas que os homens e poderiam trabalhar com mais eficiência.
Nessa reportagem do NYSun, diz-se que Marston afirma sobre Mulher-Maravilha: “A Mulher-Maravilha é o símbolo do novo tipo de mulher que deveria dominar o mundo, em minha opinião.”
Inicialmente, a Mulher Maravilha era uma Amazona Campeã que ganhou o direito de remover o oficial americano Steve Trevor de volta ao mundos dos Homens (o avião dele se chocara contra sua Ilha paradisíaca), e de lutar contra o crime dos nazistas. Ela se disfarçava de secretária, e nesse período, ela integrou a Liga da Justiça Americana como a secretária do time.

Primeiro quadrinho
Diana digita na velocidade da luz!
Chefe: (Pensando) “Os dedos dessa garota se movem tão rápido que mal consigo vê-los! Mas dessa forma, ela vai acabar cometendo vários erros!”
(Em voz alta): “Vá devagar, eu não tolero erros de digitação!”

Segundo quadrinho
Chefe: Inacreditável! Eu jurava que você não anotou metade do que eu ditei, mas essa carta… Está perfeita!
Mulher-Maravilha: (Pensando) “Tenho que ser cuidadosa para não dar na cara… Eles não treinam as garotas aqui para ter memórias perfeitas como as nossas!”

Durante a Era de Prata, a origem de Mulher-Maravilha foi reformulada para um elemento mais mitológica: recebendo a benção da deidade Athena em seu território só de Amazonas, Themyscira. Ela estava destinada a ser bela como Afrodite, esperta como Athena, forte como Hércules e rápida como Hermes.

Continuar lendo