Aniversário de 3 anos do Batman Guide – Sorteios e Quizz de Batman!

Olá, queridos! 
Hoje o Batman Guide completa 3 anos! E, para comemorar, tem sorteio TRIPLO pra vocês! Vamos ver ao que vocês estão concorrendo?

001

Noel

Editora: Panini
Categoria: Álbum de Luxo
Número de páginas: 116
Formato: (19 x 28 cm) Colorido/Capa dura

A gente já resenhou essa HQ aqui; clique aqui para ler a resenha. A arte dessa HQ é absolutamente sensacional, responsabilidade de Lee Bermejo. “Batman: Noël” é uma adaptação do conto “Um Conto de Natal” (1843) de Charles Dickens.

*¹ (Obrigada ao leitor Tiago Dark Essence por me alertar sobre o erro que cometi aqui!)

002

116335751_1GG

Número de discos: 3
Gravadora: Warner
Título: A Trilogia Batman: O Cavaleiro das Trevas
Diretor: Christopher Nolan
Elenco: Christian Bale, Michael Caine, Liam Neeson, Katie Holmes, Heath Ledger, Gary Oldman, Aaron Eckhart, Maggie Gyllenhaal, Morgan Freeman.
Ano de Produção: 2005 / 2008 / 2012
Ano de Lançamento: 2013
País de origem: EUA
Audio: Dolby Digital Inglês 5.1 & Português 5.1/Dolby Digital Inglês 5.1, Português 5.1 & Espanhol 5.1/Dolby Digital Inglês 5.1/ Dolby Digital Português 2.0
Faixa etária: A partir de 12 anos

O segundo item do sorteio é o box da trilogia do Cavaleiro das Trevas, do Christopher Nolan. É um box com 3 DVDs: o Batman Begins, com o Batman: The Dark Knight e o Batman: The Dark Knight Rises. Fizemos resenha dos três filmes, e você pode lê-las clicando aqui.

003

Material: Porcelana
Altura: 9cm
Diâmetro: 8cm
Capacidade: 300ml

O terceiro item é um pedido do pessoal do Twitter do Batman Guide (@BatmanGuide): uma caneca de porcelana com o desenho lindo no estilo retrô do Batman e do Robin, pra você levar pro seu trabalho ou em casa. Sorteei ela no ano passado, no Aniversário de 2 anos do Batman Guide.


Bom, esses são os presentes. Legais, né? Então, agora eu vou te contar como você faz pra ganhá-los.
Esse ano, eu decidi fazer algo de diferente… Ao invés de colocarmos para pedir para vocês curtirem a página no Batman Guide, vocês vão ter que responder algumas questões sobre Batman! Como funciona?

Nesse post, logo abaixo do Regulamento, você vai ver 3 formulários diferentes para você se inscrever nos Sorteios. Você pode escolher pra 1, 2 ou pros 3 Sorteios, como você achar melhor. Daí, pra cada um dos formulários, tem 5 perguntas sobre o universo de Batman! E pra participar você tem que responder todas certas! Foi o Augusto quem fez as questões, tem algumas difíceis, outras mais fáceis, mas pra quem acompanha o Batman Guide nesses 3 anos, vai ser fácil responder!

E aí, vai deixar de participar?

1. Você deve ser residente no Brasil.
2. São três sorteios independentes. Você pode participar de 1, 2 ou de todos os sorteios, se quiser.
3. Preencha o formulário correspondente ao(s) Sorteio(s) que você quer concorrer. Todos os campos devem ser preenchidos. No campo “Nome”, insira seu nome. No campo “E-mail”, insira seu e-mail.
4. Para cada Sorteio, são 5 perguntas sobre Batman, e você deverá escolher uma única alternativa. Só participarão do Sorteio as pessoas que responderem as perguntas corretamente. Todas as respostas estão no Batman Guide! 😀
5. Não é necessário se inscrever mais de uma vez. Só será considerada uma única participação. As outras serão desconsideradas.
6. A data-limite para participação é . Este será feito de forma totalmente eletrônica. O resultado será divulgado no dia 14 de maio de 2015.
7. Os vencedores de cada Sorteio serão avisados por e-mail. Caso o ganhador não se manifeste em até 48h, o sorteio será refeito.
8. O ganhador de cada item se compromete a tirar uma foto com eles, para que seja postada no Batman Guide. É a única coisa que pedimos, não custa nada, né? 😉

Continuar lendo

#100 – Richard “Dick” Grayson

“Mudar é sempre mais difícil do que permanecer o mesmo. É preciso coragem para se encarar no espelho e ver além do reflexo. Para encontrar o que você deveria ter sido. O que você perdeu pelos cruéis eventos de infância. Eventos que pegaram a trajetória natural da sua vida e a distorceram. Mudar para algo inimaginável, ou mesmo incrível, te dando a coragem para abraçar o seu legado, o seu destino.”
(Richard Grayson)


Esse é um post “diferente” pra mim. Acho que será a primeira vez que escreverei sem ter uma revista/saga em foco, apenas o personagem em si. Falar dele, de tudo que sei e tudo que já li.

Falar dele não é a mesma coisa que falar dos demais personagens. Os demais podem ser bons também, mas não “a altura”. Se é pra dar nome aos bois, digo Tim Drake, Damian Wayne, Jason Todd, Cassandra Cain, Azrael (Valley e Lane), Jim e Barbara Gordon e qualquer outro. O único que dentro do universo morcego tem o “destaque”, participação em vários grupos de heróis, em revistas que não são as dele e está na estrada e nas bancas há no mínimo 7 décadas fora o Batman, é Dick Grayson.
Pode parecer errado começar a explicar o universo do Batman e deixar o post do Dick Grayson pra tão… “tarde”. Até pra nós que escrevemos os textos aqui no blog isso pareceu errado. Depois de sagas como “Terremoto“, “Terra de Ninguém“, “Assassino?/Fugitivo“, “Silêncio” e até mesmo as dele como Batman, não tinha como achar que estávamos em débito com o post dele, mas de fato ainda não era possível.
A questão era simples. Ele está presente em praticamente TUDO, desde o início, então como fazer um bom texto detalhado sobre ele sem dar centenas de spoilers? Com o reboot, chegamos ao fim das histórias do Batman como conhecemos, dando palco para uma “nova versão” das coisas. E tendo então encerrado uma época, não há mais nada de novo a se acrescentar na história do Asa Noturna como conhecemos (o pré-reboot). Melhor hora impossível.

Apesar de já termos abordado aqui outros personagens que apareceram bem depois, podem notar que só foram apresentados no momento CERTO, onde não seriam necessários spoilers. Não daria certo colocar esse texto no início do blog se a intenção é respeitar o máximo possível a cronologia dos fatos. Como poderíamos falar na íntegra de tudo que esse personagem “é” e “fez” ao longo de todos esses anos sem dar spoilers? Impossível. Mas a hora chegou.
Dá pra fazer um texto exclusivo sobre cada pedaço da história dele. Um pro convívio dele com o Batman, um só pros fatos ocorridos dele como Robin, outro pros acontecimentos como Asa Noturna, um só pra Bludhaven, outro só da relação dele com a Barbara Gordon, um texto sobre a consideração mútua entre ele e o Superman, outro a respeito dele com os demais heróis e grupos de heróis como os Outsiders, os Titãs, Jovens Titãs e até da Liga da Justiça – sendo que ele já foi líder desses 4 últimos grupos, que acredito eu serem os quatro maiores e principais da DC até poucos anos atrás. Lembrando que alguns desses textos não seriam possíveis nem com o Batman, pois o Morcego não é lá de muitas interações.

Se for pra fazer uma lista de tudo que ele já fez, pega mais de uma página. O cara foi líder dos Titãs, líder da Liga da Justiça, lider dos Outsiders, já foi Robin, já substituiu o Batman 2 vezes, é o segundo no comando do exército dos morcegos, já conquistou Bárbara Gordon, Starfire, Caçadora, Donna Troy, deixou a Supergirl na intenção, já ficou entre a vida e a morte uma porção de vezes , conseguiu o respeito de 3 personagens hiper difíceis do universo DC (Batman, Damian e Bane)… E a lista continua.
Ele tem tanta história quanto o Batman. Só pra vocês se situarem: o Morcego foi criado em 1938, Dick Grayson em 1940 (mesmo ano do Coringa), e o Jason Todd (o segundo Robin), só veio aparecer em 1983, ou seja, 43 anos depois. O que nós estamos fazendo nesse blog é contar a história do Batman. Já estamos no post nº 100 e ainda tem MUITA coisa pra vir. Contar detalhadamente a história do Grayson renderia outro blog, mas como o Morcego já é trabalho suficiente, assumi o desafio de “resumir” a história de Dick Grayson aqui.
Lembrando mais uma vez que ele já foi Batman também. Uma vez temporariamente, com o original de olho, e outra oficialmente, ocupando de fato o cargo mais alto da família Wayne e da família dos morcegos durante a “morte” do Bruce. Ele foi o foco principal aqui no blog temporariamente.
Alguns podem achar que ele é uma mera sombra mais “divertida” e “social” do Batman, coisa que acho idiota sendo que o próprio Batman diz que ele é bom demais para viver na sombra dele. Esse texto é dedicado a ele que é Asa Noturna, foi Robin e ex-Batman (nada impede que volte a ser), Richard John Grayson.

2gCbdpf
2013-04-07_015547_detective_comics_38_first_appearance_of_robinDick Grayson é o Robin mais famoso, sem dúvidas. Em primeiro lugar devido a ignorância do mundo. Quase ninguém sequer sabe que o Batman teve mais de um Robin. Quando se fala em Robin, só lembram do camarada bobalhão de sunga verde que vive dizendo “Santa isso, Batman!”, “Santa aquilo, Batman!”. Segundo, mesmo que soubessem que existem mais Robins, o Grayson tem muito mais influência e tempo de histórias que todos os demais juntos se bobear.
Mas para contar a história dele, vamos começar do início… Circo Haley? Não. Circo Haley não foi o início. O início da história de Dick Grayson foi do “lado de cá” das páginas, numa conversa muito real entre Bob Kane e Bill Finger, em 1940.
finger_kaneUma das fontes de inspiração para se criar o Batman foi Sherlock Holmes, e uma coisa que incomodava Bill Finger é que Batman não tinha com quem falar durante as histórias, nas ruas, na ação. Sherlock Holmes tinha um Watson, e o Batman? Tinha o quê? Bill estava ficando cansado de ter sempre que fazer linhas de pensamento pessoais do Batman ao invés de colocá-lo conversando com alguém.
Bill Finger queria (com razão) dar um leque novo de possibilidades na história, quebrar certa monotonia de ser sempre o Batman pra tudo, e claro, trazer um personagem mais jovem, com outras opiniões e outras características, para aproximar leitores mais jovens e fazer os mesmos se identificarem com o novo personagem.
O nome veio da fonte que costuma a ser a primeira referência que salta na mente, Robin Hood. Então, enfim, em 1940, nasce Dick Grayson. Agora sim, vamos para o começo da história do “lado de dentro” das revistas, o Circo Haley.

Os Grayson Voadores

Os Grayson Voadores

Um circo, um simples circo, mas não para nós. Esse circo conta com a família de acrobatas conhecida como os Grayson Voadores. John Grayson, Mary Grayson e Richard Grayson. Você pode ler a história clicando aqui. Décadas a frente dessa “origem”, foi revelado que havia outra criança que entrou posteriormente para a equipe dos Grayson Voadores, garoto esse que na época era muito melhor que o Dick, e que acabou se envolvendo em uma confusão na qual talvez Dick pudesse ter ajudado e não ajudou, resultando em ossos quebrados e por consequência, incapacidade de prosseguir como acrobata na equipe. Essa “adição” rolou durante a história “Julgamento em Gotham”, que é relativamente recente.

catsAlgum tempo depois, John e Mary morrem durante seu número nas alturas, caindo lá de cima (como manda a gravidade) direto para a morte. E assim como no caso do “outro garoto” na equipe… Tempos a frente foi “adicionado” que na verdade aquilo não foi um acidente, mas sim uma sabotagem.
Antes a culpa era direcionada somente ao Zucco (que ainda veio a ser dono do circo), em um rolo envolvendo extorção em troca de proteção, e como o dono do circo na época se negou, os caras sabotaram os trapézios. E atualmente a culpa está direcionada à Corte das Corujas… Um tremendo rolo que não vem ao caso no momento, pois já é material pós-reboot.
1O destino arranhou a lousa do universo e fez o mundo se encolher perante aos acasos que estão ai para nosso deleite. Quem estava na platéia naquela noite? Não era o Jason Bourne. Se fosse ele vocês não o encontrariam, ele é que encontraria vocês. Lá era Bruce Wayne. Na época ainda era apenas milionário, não podendo competir com José Safra e a família Marinho.
Essa história tem a versão calma e bonita, e a versão Frank Miller. A versão “elipse no peito e sorriso na cara” e a versão “Goddamn Batman”. Na versão calma, ele é levado para a mansão Wayne para ser criado como filho adotivo de Bruce Wayne, passando a viver lá sozinho com ele e seu mordomo, Alfred Pennyworth. Esse papo deu pano pra manga nos anos 40/50, quando um psicólogo (desocupado) começou a insinuar que havia relação sexual entre Batman e Robin, sendo desmascarado logo sem seguida, mas não sem antes causar um estrago na mente de quem não conhece os quadrinhos. Você pode ler mais sobre isso nos seguintes links:

All-Star_Batman_and_Robin_10AA versão mais moderna dessa história é com roteiros do Frank Miller e desenhos do Jim Lee (na época era só desenhista, e atualmente um dos 3 maiores da DC abaixo da dona). Foi publicada nas primeiras edições da série “All Star Batman and Robin the Boy Wonder”, e você pode lê-la na íntegra clicando aqui para baixar as HQs (disponibilizadas pela Jéssica).

Nessa versão, Batman é um sujeito mais perturbado do que heróico. Egocêntrico, extremamente auto-confiante e ao mesmo tempo apresentando algumas inseguranças bestas tentando assustar/impressionar o garoto, vide a apresentação da Batcaverna ao Dick. Batman fez questão de levá-lo a um passeio de batmóvel. Uma tentativa que ele achou ter sido falha de impressionar o garoto, que ficou quieto mas na verdade estava impressionado mesmo.
2No passeio esse o carro mergulhou na água e voou pelo céu (voar na água e mergulhar no céu com certeza iria impressionar até os leitores) e enfim chegou na Batcaverna, que por si só já seria suficiente pra deixar qualquer um de boca aberta.
Chegando na caverna, aquela parafernália toda, e o moleque assustado mas não querendo dar o braço a torcer. Bruce o largou para sobreviver lá. Ele decidiu ser um projeto de Robin Hood, usando capuz e etc, Bruce logo lhe deu uma lição, capuz pode atrapalhar se o puxarem pra frente do rosto. Lição essa que quem é fã a ponto de decorar essas passagens foi a loucura quando viu Dick Grayson (ocupando o “cargo de Batman”) a repetindo, anos depois, para seu novo Robin (Damian Wayne). Mas isso é outra história, logo chegaremos nela (Não vale avançar o texto pra chegar nessa parte).
Ele passa nos conceitos de Bruce e obviamente foi treinado pelo mesmo. Dick Grayson já possuía flexibilidade e físico muito bons devido ao fato de ser acrobata. Ele não teve diversos mestres como o Bruce, nem como Tim Drake. Nada de mestres como Kigiri, David Cain, Lady Shiva, Henry Ducard nem nada, aprendeu direto com o Batman. Mas pra que essa tonelada de mestres se o Batman foi treinado por eles?
Um dos primeiros casos onde Grayson foi levado firme em missão solo foi um encontro com Hal Jordan, um membro da tropa dos Lanternas Verdes. Até a época, os lanternas tinham fraqueza contra a cor amarela, seus constructos de energia gerados pelo anel energetico que usam quebravam ou não funcionavam sobre coisas de cor amarela.
Isso era devido a um fato melhor explicado na revista do Lanterna Verde. (Que nada, imagina, ia estar na revista do Aquaman). Um resumo mega grotesco que vocês podem entender melhor lendo o post “A Noite Mais Densa”: Existem 7 espectros de cor no universo, cada cor tem uma tropa de lanternas, e cada tropa usa um sentimento diferente para criar seus constructos. Cada tropa tem um animal/deus/entidade energética viva.

Parallax

Parallax

A cor amarela é a cor movida pela força do medo, e o deus/entidade regente é Parallax, e esse tal de Parallax (que parece uma lacraia amarela gigante espacial) causou problema para a tropa verde há tempos e como não podia ser derrotado, o único jeito foi trancá-lo na bateria central que dá as energias de todos os anéis verdes da tropa, então pela influencia energética amarela vinda direto da fonte, os anéis verdes não funcionavam sobre a cor amarela. É, simples assim. Se eu ou você nos pintarmos de amarelo, podemos dar um couro na tropa dos Lanternas Verdes. Quer dizer, podíamos, pois Parallax foi retirado da bateria e possuiu o corpo do Hal Jordan uns anos depois.

AllStarBatmanandRobinYellowRobinvsGreenLantern

Batman e Robin enfrentando Hal Jordan

GRANDES PORCARIAS, isso não vinha ao caso mas achei interessante explicar. O Batman (não lembro como) sabia dessa fraqueza contra amarelo, mesmo que provavelmente não soubesse sobre o Parallax e toda a confusão dos lanternas. Ele marcou o encontro com Hal Jordan em um local que ele pintou inteiro de amarelo, e de quebra, Batman e Robin ainda pintaram a si próprios de amarelo. Rola uma já esperada confusão e Dick Grayson faz sua primeira ação épica dentro do universo DC, ele apenas como um mero garoto, desceu o cacete no Hal Jordan e lhe deu um golpe na garganta que com certeza iria matá-lo.
Isso aí, uma das primeiras coisas que Dick Grayson fez de épico em sua vida foi largar o Hal Jordan entre a vida e a morte. Se não fosse o Batman salvar o cara, ele com certeza teria morrido.

Continuar lendo

#99 – Batman: Garotos Perdidos

“A neve sempre me deixa inquieto – o jeito com que ela enterra tudo. […] Eles sempre voltam para mim no inverno, os casos sem solução. Aqueles que eu não pude resolver. Se você se pergunta se tem um que seja pior, um caso de muito mais tempo que me incomoda mais do que qualquer outro numa noite como essa… Posso dizer sem hesitação que sim, existe.”

Alô bandidada, o Batman chegou, trazendo a tortura, a justiça e o terror ♫

Vocês notaram o meu sumiço e o do Augusto, né? Pois então. Nunca nossa vida esteve tão atribulada. Entre perdas pessoais, trocas de emprego e reviravoltas dignas de um roteiro do Morrison, cá estamos nós. E dessa vez, pra chegar na cronologia atual do Morcego.

Nesse último post de dois dígitos do Batman Guide, vamos trazer uma história importante para introduzir alguém que aparecerá depois do reboot. E, apesar da tradução horrível no título, a história é boa e muito reveladora: nos mostra que nenhum lar, por mais correto que seja, está imune dos erros e de uma mente criminosa. Sejam bem-vindos a “Batman: Garotos perdidos” (“Lost boys“, Detective Comics #875. Roteiro de Scott Snyder e arte de Francesco Francavilla. Maio de 2011.)

Line

001O bom e velho Harvey Bullock está executando sua atividade preferida no mundo depois de prender criminosos: fumando, ouvindo seu rádio de pilha e pensando na vida sob o telhado do Departamento de Polícia de Gotham City. E os seus pensamentos variam sobre os novos tiras do DPGC que não o respeitam, sobre Batman, sobre os bandidos freak que brotam na cidade a uma velocidade incrível, e sobre James Gordon – e o filho dele, James Gordon Jr. Que, segundo sua opinião não é a melhor pessoa do mundo.
002Outro velho pensador da cidade, o Comissário incorruptível James Gordon, também está pensando sobre a cidade. Gotham às vezes não parece ser uma entidade com vida própria, quase uma personagem das histórias? Comissário Gordon não gosta do inverno. Ele sempre traz questões não-resolvidas e problemas. E, falando em problemas…
003Esse deveria ser o sobrenome do menino James Gordon Jr. Eu disse “menino”? Ele já é um homem. Mas é de menino que vem suas atitudes questionáveis. Como aquela vez em que, pequeno, talvez tenha envenenado um colega que mexera com ele. Como aquela vez em que matou um pássaro para ver onde ela guardava os ossos no estômago. Um garoto que tem tudo de errado… Ou apenas uma criança travessa demais?

Continuar lendo