#103 – Flash: Renascido

Hi, I’m Johnny Knoxville and this is Jackass. Mentira.

Cidadãos de Gotham, apertem os cintos que a viagem será veloz. Mais veloz que o som, mais veloz que a luz. Ponto de partida? Central City, a cidade do FLASH.
Estamos em uma empreitada valente dentro de um blog sobre Batman: falar dos demais heróis que fazem parte de seu “circulo social”, e aqui vamos nós com um post para o Flash.
Já falamos sobre:

Asa Noturna
Mulher-Maravilha
Superman
Lanterna Verde

Chegou a hora de falar do “fastest man alive“.
Assim como o uniforme de diversos heróis, o manto do velocista escarlate já foi usado por mais de uma pessoa, mais exatamente três: Barry Allen, Wally West e Bart Allen. Mas existiram QUATRO Flash. “Santa lesma com bronquite, Batman! Como pode isso?”. Na série dos Lanternas Verdes, rolou algo do gênero: Evolução de idéia.
Quando se fala de “Lanterna Verde” lembramos de quem? Claro, depende de quem você mais curte, eu diria Kyle Rayner, maioria esmagadora lembraria do Hal Jordan, alguém que assiste a animação da Liga da Justiça lembraria do John Stewart, Guy teria sua porcentagem também… Mas o PRIMEIRO Lanterna Verde nos quadrinhos foi Alan Scott. O cara não tinha nada a ver com Oa, com bateria central, com Parallax, Sinestro, Multiverso… Era um sujeito com um anel mágico. Só. Assim era Jay Garrick, o primeiro Flash, só um sujeito que corria pra caramba, sem nenhuma ligação com Speed Force, viagens no tempo e coisas do tipo.
No texto dos Lanternas Verdes vocês viram um resumo pessoal de cada um dos membros terrestres da Tropa, e nesse texto também teremos um resumo pessoal de cada velocista da Terra. É, malandragem, tão achando que só tem os Flash e fim de papo? Tem maior galera correndo junto nessa maratona em mach. Mais louco que mamute com calvice.

Fora os já citados, ainda temos os Flashes Reversos (Edward Clariss/Eobard Thawne/Hunter Zolomon), Johnny e Jesse Quick (Johnny e Jesse Chambers) e Quicksilver (Max Mercury). Para isso não virar um texto desnecessariamente gigante, falarei o básico sobre o “Universo Flash” e seus participantes.

The-Flash-Alex-Ross-DC-Comics-print

Mas antes de falar dos velocistas do Universo DC, faremos 5 intervenções para você entender melhor o personagem. Vamos a primeira delas.

Speed

“Já saquei o lance, quanto mais velocidade eu conseguir pra dar uma voadora, melhor”. Em parte é verdade, mas não se trata disso. A Speed Force é uma “fonte” pros velocistas da DC, é a Valhalla dos Flash. É um boteco onde só que passa da velocidade Mach pode tomar umas biritas.
A Speed Force é uma “dimensão” que divide o mesmo espaço que nossa realidade da Terra, e a influencia diretamente. É como se ela conectasse a física de tudo e todos que existem em todas as épocas de todos os universos, e apenas alguns pouquíssimos podem fazer “uso” de sua energia. Esses poucos são os velocistas Jay Garrick, Barry Allen, Wally West, Bart Allen, Johnny e Jesse Quick, Quicksilver e etc.
É literalmente uma energia onipresente e também é um “espaço físico” para os velocistas, podendo ser acessado pelos mesmos. Como se não fosse suficiente, também é o “paraíso” deles. Quando um velocista morre, vai pra Speed Force. Que beleza, né? Não precisam mais se preocupar com inferno nem nada do tipo.
Mais recentemente, Max Mercury (Quicksilver), que já estava preso lá e tornou-se meio que um “especialista” na coisa, explicou ao Barry que a Speed Force foi criada no momento em que ele (Barry) ganhou seus poderes, e que a Speed Force é alimentada por cada passo que ele dá. É como se o Barry fosse o messias dos velocistas e o gerador de onde todos velocistas puxam energia.
Inclusive, ela também é um tipo de “forma de medida” de velocidade. Existe a barreira do som, a barreira da luz, a barreira do tempo, a barreira da dimensão, e enfim a barreira da Speed Force. Dá pra entender bem qual é a ordem das coisas, né? Pra viajar no tempo, você tem que superar consideravelmente a velocidade da luz. Pra passar de uma dimensão pra outra, tem que superar a velocidade de viagem no tempo, e por fim, para acessar a Speed Force, tem que superar a velocidade necessária para viajar entre dimensões.

Flash

Não é “O” Flash, são OS Flash. Speed Force colocada onde deve, prosseguiremos falando dos personagens.

Jay

Jay_GarrickJason Peter Garrick é o Flash original. O primeirão. Teve sua estréia em 1940 (lembrando que Batman e Superman tiveram suas datas de estréia em 1938/39) sendo criado por Gardner Fox e Harry Lampert. Esse Flash ganhou seus poderes após inalar uns vapores loucos em um laboratório, vapores estes que despertaram/otimizaram alguma coisa no cérebro dele e o camarada começou a se mover numa velocidade absurdamente alta.
O uniforme não tem mistério, exceto seu penico na cabeça. Depois de eu explicar a origem do penico vocês ficarão com pena de pensar no capacete dessa forma. Aquele capacete na verdade era do pai de Jay Garrick. O pai dele ela do exército e foi pra guerra com aquele capacete. Jay personalizou com as asas do lado como uma referência ao deus grego Hermes (Mercúrio dos romanos), que possuia as botas com asinhas semelhantes nas laterais, que lhe garantiam a super velocidade necessária para ser o mensageiro do Olimpo.
Como podem perceber, não tem lhufas de Speed Force no assunto. É uma capacidade inteiramente corporal, nada a ver com campos de energia ou “física” propriamente dita.
Jay Garrick faz parte da Sociedade da Justiça quase desde sempre, sendo um dos membros mais antigos da mesma.
Apesar de muito veloz e de ter algumas capacidades parecidas com a dos velocistas mais modernos, Jay é visivelmente posto como “abaixo” de Barry Allen e cia. A DC coloca Jay como “segundo mais rápido” do mundo.
Alguns de seus poderes fora a alta velocidade é poder vibrar seus atomos tão rápido a ponto de ficar invisível. Após o reboot, Jay passou a ser um personagem da Earth 2, tornando Barry Allen então o primeiro Flash da Earth 1. Seus poderes são completamente providos de uma força mágica natural que já nasceu com ele. DC é incrível, não? Destruindo tudo o que você sabe desde os anos 30.

Barry“Barry é o tipo de homem que eu esperava me tornar se meus pais não tivessem sido assassinados”. (Batman)

Flash-Barry-Allen-by-Alex-RossEsse é o primeiro Flash morderno, segundo Flash da contagem pré-reboot, e primeiro Flash da contagem pós-reboot. Bartholomew Henry Allen, criado em 1956 por Robert Kanigher, Carmine Infantino e John Broome. Com esse teremos MUITO assunto.
Esse é o famoso Flash que foi o primeiro a ser membro da Liga da Justiça, foi o criador do “Cosmic Treadmill” que é uma máquina usada para fazer viagens no tempo, foi o primeiro a usar o tal anel que carrega o uniforme de Flash… Com Barry Allen muita coisa nova surgiu.
Barry não teve uma história tão trágica como os demais heróis que o cercam. Por um bom tempo ele teve um emprego razoavelmente bom (policial forense), uma mãe, uma esposa… Uma vida “normal” exceto pelo fato dele poder se mover na velocidade da luz. Mas não se enganem, não é porque ele tem o poder da super velocidade que isso faz dele um sujeito pontual. Barry Allen sempre foi um sujeito muito lerdo e vivia chegando atrasado em tudo que marcava.
A história dele conta com diversas viagens no tempo, ele inclusive chegou a viver um tempo no futuro. A coisa é meio complicada. No principio da história a Speed Force sequer foi citada. Começando do início… Um raio atingiu uns produtos químicos que acabaram por banhar Barry Allen, lhe dando os poderes que conhecemos hoje.
“Beleza, então a chave pra Speed Force é misturar água sanitária com pinho sol e um relâmpago? É nóis que corre, Claudinei Quirino”.
Essa foi a forma que ele se tornou o velocista que é. Eobard Thawne também fez isso, e Wally West também. Taxa de raios atingindo pessoas nas histórias do Flash deve ser maior do que nas do Thor.
Mas então… Barry é admirado por todos os demais velocistas que vieram após ele. Todos se espelham em Barry de alguma forma. Seu uniforme foi inspirado no uniforme do Shazam (vermelho com um raio no peito), e todos os demais após dele se basearam no de Barry.
Ele fez parte da primeira formação da Liga da Justiça, que foi criada após uma invasão alienígena na Terra, onde heróis de toda parte se uniram para salvar o planeta, mas até aí a história dele não teve grandes tragédias, as coisas começaram a complicar depois do casamento. Como todos sabem, casamento costuma a ser a primeira de muitas tragédias na vida de um homem. Tô brincando, não teve nada a ver com isso, e casamento também não é tragédia (às vezes).
Já casado com sua amada Iris West-Allen, durante seu sono ele acabou contando a ela que era o Flash. Ela fingiu que não tinha ouvido nada, mas após algum tempo Barry contou isso a ela por conta própria. “Santa revelação, Batman! A vida dela virou uma zona!”. Nada disso. A revelação do Barry era bombástica mas não tanto quanto a revelação que Iris tinha para ele: ela veio do século 30 ainda como criança e foi adotada nessa época (presente).

Tudo certo, pra tudo se tem solução, menos pra morte. Mas a morte veio até a família Allen. Eobard Thawne, o “segundo” Flash Reverso (se considerarmos o inimigo de Jay Garrick no run oficial), um homem que era apaixonado há tempos por Iris, veio do futuro e a matou por ciúme. Tempos depois Barry ia casar com outra mulher, e o cara tentou matar a futura esposa dele DE NOVO. Barry conseguiu impedir, mas acabou matando Eobard quebrando seu pescoço, e por estar lutando contra ele, não pode aparecer em seu próprio casamento, e sua noiva acabou perdendo a sanidade de tamanha decepção.

Reverse_Flash_067Flash foi julgado culpado pela morte de Eobard, mas o júri tinha sofrido algum tipo de lavagem cerebral, e Barry percebendo que a sentença não estava sendo feita por gente em sã consciência, fugiu. Como as respostas para o crime estavam em outra época, foi geral pro futuro ver que porcaria estava havendo. Descobriram que o vilão “Abra Kadabra” estava se passando por Flash Reverso. Após derrotar o babaca, Flash passa a viver no futuro com a Íris de lá (século 30), que não morreu.
Mas aí algumas semanas depois veio a Crise nas Infinitas Terras. Barry foi trazido de volta ao presente e aprisionado pelo Anti-Monitor, por ser o único ser capaz de viajar entre os universos como bem entende. O anti-monitor tinha um canhão antimatéria pronto pra detonar a Terra, e Barry acaba com os planos do sujeito correndo em alta velocidade criando um vortex pra impedir o canhão de atingir a Terra. Ele conseguiu, porém acelerou tanto que acabou preso na Speed Force. Após isso, Kid Flash (na época Wally West) assumiu como novo Flash.
Depois disso Barry faz uma aparição junto a Max Mercury e Johnny Quick, ajudando Bart Allen naquele lendário trecho onde eles tentam ferrar o Superboy-Prime, e mais a frente durante a Crise Final, correndo atrás da bala de radion, seguido logo a seguir pelo Black Racer.

No evento “A Noite Mais Densa”, ele exerce papel interessante numa luta direta contra William Hand (Black Hand), e de quebra ainda foi convocado para ser membro temporário da Tropa dos Lanternas Azuis, transformando seu tradicional uniforme vermelho em um inovador uniforme azul.
Na saga Rebirth, Barry passa por maus bocados. Eobard Thawne, o Flash-Reverso, infectou a Speed Force, e Barry acabou tornando-se o Black Flash, praticamente a”morte” do universo dos velocistas. Acidentalmente chega a matar o herói Johnny Quick e o vilão Savitar. Não vou me prolongar nos detalhes dessa história aqui, pois foi a história selecionada para esse post, e virá com todos detalhes necessários.
Por fim, tivemos o Ponto de Ignição/Flashpoint, onde surge a “brecha” para o reboot.
Hoje em dia, nos Novos 52, Barry já fez bico na “The Dark Knight”, entrou para a “nova primeira formação” da Liga da Justiça (junto a Superman, Batman, Mulher Maravilha, Aquaman, Cyborg e Lanterna Verde (Hal Jordan) e, claro, está com sua revista solo.
A nova HQ do Flash está muito interessante. Além de estarem aproveitando e demonstrando muito bem as capacidades do herói, também pegaram o uniforme já modernizado do Wally West pré-reboot e modernizaram ainda mais para ser o “primeiro e oficial” do Barry Allen pós-reboot. O estilo de traço da nova HQ dele não é dos meus preferidos, mas nem de longe é ruim.

003
Kid_Flash_(Wally_West)_2nd_costumeE enfim o queridinho da galera, Wallace Rudolph West, o Wally West.
Wally foi criado por John Broome e Carmine Infantino em 1959. Foi o primeiro Kid Flash e terceiro Flash, também é o Flash presente em boa parte dos desenhos da Liga da Justiça e é o Flash presente nas épocas de evolução e transição da DC. Assim como o John Stewart é o Lanterna mais famoso por ser o representante da Tropa nas animações da DC, Wally West é o Flash mais famoso pela mesma razão.
Por mais legal e engraçado que ele seja, temos que admitir que a história de como Wally ganhou seus poderes foi meio ridícula. Um raio atingiu um monte de produtos químicos que acabaram por banhá-lo e dar-lhe seus poderes.
Alguém se perguntou “Ué, foi o mesmo que aconteceu ao Barry, não foi tão ridículo”. Mas foi no exato LOCAL onde aconteceu com o Barry, da mesma exata FORMA. Dois raios no mesmo lugar, nos mesmos compostos e virados pra uma pessoa. Ao meu ver, eles forçaram a barra.
Ele ainda era novo, e decidiu fazer um uniforme baseado no do Barry Allen, então tornou-se o Kid Flash. Logo se aliou aos Jovens Titãs onde fez amizade com Dick Grayson que na época era Robin.
Durante a “Crise nas Infinitas Terras”, Wally foi comandado pelo Jay Garrick pra combater as forças do Anti-Monitor, e o Barry se sacrificou para acabar com o canhão anti-matéria que iria destruir a Terra.
Como vocês devem saber, após essa crise muitas coisas mudaram na DC, e uma delas foi o nível de poder dos heróis. Barry atingia a velocidade da luz, já Wally como Flash alcançava apenas a do som, e ainda tinha que manter seu metabolismo comendo feito um louco, como se a velocidade afetasse diretamente o organismo.
Wally se deu bem na vida, fez o que muitos de nós queria. “Arrumou um trabalho bom?”, que mané trabalho. Se trabalho fosse bom não se chamava trabalho, se chamava “lazer”. Ele ganhou na loteria, comprou uma mansão e o escambau. O uniforme deu uma modernizada, mudando alguns detalhes que ficaram até hoje pro uniforme pós-reboot do Barry.
Os poderes do Wally não desenvolveram bem inicialmente porque ele tinha um bloqueio mental que o impedia de tentar/permitir ser melhor que o Barry Allen (seu mentor), mas após um encontro com o segundo Flash Reverso (Eobard Thawne, de quem falarei mais a frente), fez ele quebrar essa conversa de “limites” e se tornar até mais rápido do que Barry Allen era.

O tempo passa, o tempo voa, e a familia do Sarney continua numa boa. Pelos meados da Crise Infinita, Wally casou e vazou do cargo, deixando Bart Allen como quarto Flash, mas Bart morreu um tempo a frente e Wally teve que voltar ao manto escarlate. E na Crise Final, ele se une a Barry Allen que voltou da Speed Force.
Com o retorno de Barry, Wally perdeu palco. A revista passou a ser focada em Barry, Wally sequer usava mais seu uniforme. E após o Flashpoint tudo piorou, pois Barry nunca casou com Iris, então o rumo do futuro mudou e Wally não mais existia como Kid Flash ou Flash.
Nos atuais Novos 52, Wally nem deu as caras, simplesmente sumiu. Reza a lenda que há um projeto de trazer o personagem de volta, porém o negócio tá preso na gaveta do Dan DiDio, o mesmo sujeito que a todo custo quer matar/ferrar o Asa Noturna desde a época da Crise Infinita. Esse velho merecia uns 10 tapas na cara, depois juntar de porrada num canto e por fim ser largado num latão de lixo.
Bem… Wally desenvolveu um monte de habilidades que Barry nunca demonstrou ter, e algumas que Barry dominava normalmente ele não consegue controlar. Isso mostra que eles são equivalentes no resumo geral, mas em velocidade (pelo menos no pré-reboot), Wally West é o mais rápido do universo.
Vale ressaltar que se o maior vilão do Barry foi o Eobard Thawne, o maior do Wally foi o Hunter Zolomon. Mais abaixo tem um pequeno resumo sobre ambos, Thawne e e Hunter. Mas no que ainda diz respeito ao Wally e seu maior inimigo… Um dos pontos que Hunter apontava é que Wally foi descuidado ao revelar publicamente sua identidade secreta, pois isso colocou sua esposa em perigo. Ele provou esse ponto facilmente, pois atacou a esposa dele (Linda West) e a fez perder os bebês que esperava. Coisa que não aconteceria se não soubessem que ela era casada com o Flash.
Wally quase entrou em parafuso, pediu ajuda ao Espectro (que na época ainda era o Hal Jordan) e pediu para todos esquecerem sua identidade secreta… Mas o Espectro é tão eficiente que até o Wally e todos os demais heróis esqueceram também e ele passou um tempo sem lembra que era o Flash. E quem foi o primeiro a tentar trazer o Corredor Escarlate de volta? Batman.
O Batman também teve sua memória apagada, mas obviamente ele tinha seus métodos para saber que havia algo errado, e tentou descobrir melhor o que houve, ajudando Wally a recuperar sua memória e seus poderes.
Posteriormente, foi dado um jeito de apenas os heróis lembrarem, e o “Flash” voltou a ser um herói com identidade secreta. MAS para Hunter isso não bastava. Em seu segundo ataque, ele viajou ao passado com ajuda de Eobard Thawne, e Wally foi atrás para detê-lo. Junto estava Barry Allen, atrás do Eobard. O ponto do passado ao qual eles foram foi o exato ataque de Hunter contra Linda West que tirou a vida dos bebês. Tentando impedir que Hunter matasse Linda e piorasse ainda mais o quadro do presente que ele conhecia, ele salvou Linda inclusive do primeiro ataque, o que por consequência salvou a vida dos bebês e fez Wally West voltar papai para o futuro.
Inclusive tenho uma teoria que apesar de todo butthurt, frescura e obsessão do Hunter Zolomon, TALVEZ ele soubesse como tudo terminaria (pois já viajou pelo tempo) e realmente seu discurso de “vou ajudar Wally West a ser um Flash melhor” realmente fosse válido de alguma forma. Bem ou mal, foi devido às atitudes do Hunter que o Wally recuperou seu anonimato, e se percebermos, tudo que o Hunter tirou dele voltou. Se Hunter em suas viagens pelo tempo chegou a saber disso, ele foi uma ferramenta para a melhor condição de Wally.

004661person_3097Explicar QUEM é ele é moleza, mas explicar PORQUE ele está nas histórias não é tão simples.
Bartholomew Henry Allen II, nomeado assim em uma óbvia homenagem ao vovô de mesmo nome, porém é mais conhecido como “Bart Allen” e foi criado por Mark Waid e Mike Weringo em 1994.
Bart é filho de Don Allen e Meloni Thawne. Quem é familiarizado com o universo flash vai reconhecer ambos sobrenomes nesse rolo. Um é óbvio, Allen, o outro que é um tanto inesperado: Thawne. Sobrenome de Eobard Thawne, o segundo Flash Reverso.
“Santo romance de Shakespeare, Batman! Amor entre dois membros de famílias rivais!”. Pois é, isso é pra vocês verem como o mundo está cheio de surpresas (e de automóveis, como diria o Kiko).
Don Allen é irmão de Dawn Allen, e juntos eles são os “Irmãos Tornado”. Ambos são filhos de Barry Allen e Iris West-Allen. Tanto Bart quanto Meloni, Don e Dawn são todos do futuro, Bart nasceu no ano de 2993. Lá no futuro, Bart é o herói chamado de Impulse (Impulso, no português). “E o que o Bart está fazendo no presente como Kid Flash?” Ai entra o rolo que citei na primeira linha.
Bart vivia no futuro, porém sofria de um problema: hipermetabolismo. Como vocês sabem, os Flash são seres que podem controlar suas próprias velocidades e também a velocidade das coisas ao seu redor, mas pelo visto Bart tinha algum descontrole na velocidade do seu metabolismo.
“Ah tadinho do moleque, era hiperativo? Leva pra meu padim padi cíço trata dele!”. A solução estava além da medicina”. Bart com a idade de 2 anos, já tinha corpo e mente de um rapaz de 12.
As coisas aconteciam rápido demais pro garoto, imagina envelhecer umas 6x mais rápido que o normal? Imagina saber que não vai durar nem 30 anos nessa vida? Imagina ver seu corpo mudando a cada hora? Pois é, com o tempo isso obviamente ia culminar na insanidade dele.
A vovó Iris West-Allen então mandou o rapazote para o tempo que conhecemos como presente, para ver se o terceiro Flash (Wally West) podia ajudar de alguma forma, e conseguiu. Fazendo o garoto atingir velocidades altíssimas numa corrida ao redor do mundo, o metabolismo de Bart tomou um choque e voltou ao normal.
Ele acabou ficando pelo presente. Mas a vida num é mole pra ninguém na DC (nem fora dela, digam vocês), após entrar para os Jovens Titãs, Bart topou com o Deathstroke num dia torto das ideias e tomou um tiro no joelho. Enquanto se recuperava, Bart leu todos os livros da biblioteca de San Francisco, mudou o codinome de Impulso para “Kid Flash” e seu joelho recebeu uma prótese que o permitiu correr em super velocidade novamente.
Bart pode QUASE atingir a velocidade da luz, mas em um determinado ponto da história, ele se torna um com a Speed Force, absorvendo-a de algum modo. Claro que isso contra alguns outros fatos contados posteriormente, como a Speed Force ter sido criada pelo Barry Allen, cria uma grande polêmica entre os fãs.

006

1763782-quicksilver_3_jack_cole_chuck_mazoujianNome real: Max Crandall. A Osklen e a Billabong que se cuidem, ai vai o Quicksilver. Tá, isso foi ridículo até os ossos, tô pensando seriamente em tirar isso do texto. Mas enfim… É o Quicksilver. Max Mercury é o mestre dos velocistas. Por ter ficado preso na Speed Force, ele passou a estudar a porcaria toda de dentro pra fora, adquirindo habilidades e conhecimentos que nenhum outro tem. Isso lhe rendeu a alcunha de “Zen Master of the Speed Force”.
Ele foi parar nas páginas dos quadrinhos em 1940, assim como Jay Garrick, porém foi criado por Jack Cole e Chuck Mazoujian. Nada a ver com o primeiro Flash.
Assim como Bart Allen, Max não é do “nosso tempo”, ele viajou entre as épocas até chegar no nosso presente, mas ao contrário de Bart, Max não veio do futuro, mas sim do passado, mais exatamente de meados de 1830.
Max é fruto de uma zona de empresas e nomes. Seu lançamento em 1940 foi numa revista chamada Quality Comics, ele era apenas Quicksilver, tinha super velocidade e tinham apenas como dados de sua identidade que seu nome era “Max”. Uma óbvia associação a Max de “máximo”, provavelmente para indicar “max speed”, ou coisa assim.
O personagem foi recriado na DC dentro das histórias do Flash por Mark Waid, mas quando ele trouxe o personagem de volta os anos 90, foi necessário mudar o nome “Quicksilver” para “Mercury“, pois já havia um Quicksilver na Marvel e ninguém quer confusão com o Sr. Stan Lee.
A história é simples. Max Crandall era da cavalaria americana, daqueles rolos de bang bang e índios. Um belo dia rolou um saracutaco no campinho ali perto, ele desmaiou e pimba, quando acordou tava geral morto. Um shaman indigena tacou alguma uruca proveniente de sinistro nele e Max ganhou super velocidade. Tcharam.
O camarada ficou por ali com os índios por anos, sendo chamado de “Ahwehota” (Aquele que corre além do vento), e pros demais das adjacências não-indigenas apenas como “Windrunner“, que cá entre nós, ficou muito melhor que Quicksilver.
Ele queria saber que demônios era a Speed Force, tentava, tentava e não conseguia descobrir a porta de entrada. Nas tentativas, acabava viajando no tempo. Ele acabou avançando uns 50 ou 60 anos no tempo, caindo em 1890, onde ficou usando o nome Whip Whrilwind por algum tempo, até tentar novamente entrar na Speed Force e viajar de novo, dessa vez caindo em algum ponto entre 1930 e 1940, onde conheceu Jay Garrick e Johnny Quick, tornando-se mentor de ambos.
Depois avançou mais, encontrando e enfrentando o vilão Savitar, que acabou fazendo-o avançar mais ainda no tempo. Sei que em algum momento dessas viagens ele encontra Wally West e ajuda o rapaz a quebrar seu bloqueio mental que o impedia de liberar total velocidade.
Max foi possuído pelo primeiro Flash Reverso, conhecido como “O Rival” (Edward Clariss), e devido a fatos que não precisam sr detalhados, ele ficou preso na Speed Force. Posteriormente na Crise Infitina ele apareceu na Speed Force ajudando Barry, Wally e Bart a carregar o Superboy-Prime.
E por fim, durante a saga “Rebirth“, Max Mercury aparece para ajudar Barry a se livrar da Speed Force negativa.

007
Johnny_Quick_01Nome real: Johnny Chambers. Esse foi criado por Mort Wiesinger em 1941. Como podem ver, o início dos anos 40 foi o ápice da velocidade.
Johnny Quick era um fotógrafo de jornal, até que seu guardião de infância, o Professor Gill, lhe ensinou uma fórmula descoberta na tumba de um antigo faraó. Ao pronunciar a fórmula, Johnny ganha sua super velocidade.
O sujeito ajudou e participou da Sociedade da Justiça, encontrou o Presidente americano da época (Roosevelt), esteve lá pra ajudar o país durante o ataque japonês em Pearl Harbor, também esteve na Segunda Guerra mundial junto de Jay Garrick e Max Mercury, ajudou a salvar o mundo de uma invasão alienigena… Tudo isso antes dos anos 50. A partir dai, ele passou abriu uma empresa de auto-ajuda/desbloqueio de potencial. Isso causou algum tipo de vergonha em sua esposa, que devido a isso o deixou.
Ele tem uma filha, Jesse Belle Chambers, a Jesse Quick (que também já foi Impulse, assim como Bart Allen). Para salvar sua filha de Savitar, ele se sacrificou e acabou preso na Speed Force, assim como Barry e Max. Só voltou a dar as caras durante a Crise Infinita, naquele momento lendário de todos os velocistas juntos carregando o Superboy Prime pra casa do chapéu.
Durante a Noite Mais Densa ele chegou a ser reanimado como um dos zumbis da Tropa dos Lanternas Negros, mas foi derrotado assim como todos os demais.

008

3961976-3504586737-18307Nome real: Jesse Belle Chambers. Essa heroína sem vontade de ser heroína foi criada por Len Strazewski e Mike Parobeck em 1992. Será que eles naquela data imaginariam que quase após tantos anos ela entraria para a Liga da Justiça? A menina não é pouca coisa. Filha de Johnny Quick e Liberty Belle, Jesse Belle Chambers era estudante na Universidade de Gotham quando seu pai (Johnny Quick) lhe ensinou a fórmula da super velocidade, esperando que ela seguisse seus passos (literalmente) no combate ao crime, mas ela preferiu seguir com seus estudos e planos de carreira. Sem graça.
Mas o mundo dá voltas, ela ganhou o tema “Impacto dos Heróis na Sociedade”, e acabou juntando-se ao grupo que seu pai fazia parte, a Sociedade da Justiça, e passou a analisar e escrever as aventuras dos heróis de perto, fazendo parte das aventuras também, e no fim das contas acabou ficando lá para ser heroina.
Ela ainda foi considerada substituta para Wally West como Flash caso acontecesse algo com o mesmo, mas com a chegada de Bart Allen do futuro mudou as coisas. Jesse sacrificou seu joelho para salvar a vida de Wally. Posteriormente ele a curou, mas ela considerou uma traição ele ter escolhido Bart Allen como seu substituto.
Jesse perdeu seus poderes e associou a culpa ao Wally, quando na verdade o problema era o vilão Savitar, que havia cortado as ligações dela com a Speed Force. Mas não tinha sido só ela que perdeu os poderes. Então Wally encabeçou uma visitinha ao Savitar, e ela recuperou seus poderes. Nessa luta, seu pai, Johnny Quick, acabou sacrificando a vida para salvá-la, ficando preso na Speed Force assim como Barry Allen e Max Mercury.
Com os poderes de volta em sua cobiçada carcaça loira, Jesse uniu-se aos Jovens Titãs para uma investigação para descobrir o assassino do noivo de sua mãe, Libby Lawrence, a Liberty Belle. Jesse era uma da supeitas, mas ao fim do pega pra capar, revelações bombásticas mostram que Jesse tinha um caso com o noivo de sua mãe.
Um tempo depois os Titãs debandaram e Jesse assumiu a empresa de seu pai, a Quickstart Enterprises. Nessa mesma época Wally precisou de uma ajuda para lidar com o terceiro Flash Reverso, Hunter Zolomon, que se movia mais rápido do que qualquer velocista da Terra. Jesse ensinou a fórmula para Wally, passando assim seus poderes para ele dando um boost que o levou ao nível do Flash Reverso, mas ela se recusou a reaver seus poderes, permanecendo então sem poderes.
Com a morte de bart, ela e Jay Garrick pediram “demissão” da Sociedade da Justiça. Mais a frente Jesse acabou encontrando com o Flash Reverso e conseguiu reaver os poderes, mas conseguiu não só a velocidade do pai, mas como a super-força da mãe, tornando-se mais poderosa do que nunca.
Pra terminar, o último evento importante de sua história foi sua entrada para a Liga da Justiça no lugar de Wally West como a velocista do grupo, sob convite de Dick Grayson (na época como Batman). Pouco tempo depois essa formação da Liga, diga-se de passagem “única” se desfez. Digo única porque não tinha Superman, não tinha Mulher Maravilha, o Batman não era o Bruce Wayne, o Congorilla e o Starman faziam parte da formação… Enfim, uma zona.
Jesse foi perdendo seus poderes novamente, mas descobriu que a razão dessa vez era uma gravidez. Depois de debandar com a Liga, ela juntou-se ao seu marido, o Hourman para cuidar de sua vida pessoal.
Após o reboot, não se tem notícias dela.

009SavitarEsse era um piloto da Guerra Fria, de algum país quebrado baixa renda. Enquanto testava um avião super sônico, bang, um raio o atingiu. Que diabo os velocistas tem com raios… Enfim, o jato caiu em território inimigo e ele descobriu que tinha super velocidade.
Ficou viciadinho na novidade e quis descobrir tudo a respeito disso. Passou a usar o nome de Savitar baseado no deus hindu do movimento, “Savitr”.
O único velocista do bem na época era Johnny Quick, esses lutaram até que Max Mercury apareceu e carregou o Savitar para dentro da Speed Force.
Na saga Rebirth, Barry Allen mata Savitar sem querer, pois estava sob influência do Flash Reverso.

Black Racer10995177_637066599771967_320697515_nNome real: William Walker.
Essa covardia ambulante foi criada pelo famoso Jack Kirby, em 1971.
O Sargento Willie Walker é o famoso Zé Maria com esquis, ele é um avatar da morte. Sim, ele leva embora a vida do que ele quiser, ele é imortal, possui o toque da morte, é veloz como qualquer um dos Flash, voa, viaja no tempo, entre as dimensões e pelo espaço se necessário.
Ele ficou paralítico durante a guerra do Vietnã, da qual participou. Durante a primeira passagem do Darkseid pela Terra, trazendo a batalha entre os Novos Deuses para o mundo (para mais detalhes sobre “Novos Deuses” e “Darkseid”, vejam o texto da Crise Final), a Source (procurem na Crise Final também) escolhe o Willie para ser a morte. Só isso. Básico do básico. Ele passa a ser o responsável de levar a alma dos Novos Deuses pro além-vida, claro que nisso ele ganha o “toque da morte”, podendo matar qualquer coisa viva do universo.
Durante a história chamada “Morte dos Novos Deuses”, Willie Walker foi morto pelo Infinity Man (Drax, irmão do Uxas/Darkseid). Isso ficou confuso, pois se ele foi morto ali, como o Black Racer apareceu depois durante a Crise Final (seus maiores momentos de fama), como no momento da morte de Orion (filho de Darkseid) e também para pegar o próprio Darkseid posteriormente?
Nessas aparições, ele tinha o uniforme e acessórios diferentes, e o elmo fechado, nos impedindo de ver o rosto. Talvez já fosse outro, mas em todo caso, ainda assim era um “Black Racer“.

011

Flash_Reverso-0(Edward Clariss/Eobard Thawne/Hunter Zolomon)
Flash Reverso é um “manto” assim como o do Flash. Ao todo temos 3 personagens que já ocuparam o cargo.O nome dos 3 está logo aqui acima. O primeiro é da época do Jay Garrick, mais velho do que a prostituição na humanidade. O segundo teve duas versões, a pré-Crise nas Infinitas e a pós. O terceiro e último foi o da era moderna. Falarei por alto sobre eles.
O primeiro, o velhote da época do Menino Maluquinho (panela na cabeça, capacete do Garrick… alguém sacou?). Dr. Edward Clariss também é conhecido como “O Rival”. Esse estreiou em 1949, com um uniforme igual ao do Jay, só que totalmente dark. Esse cientista conseguiu recriar a fórmula que deu os poderes ao primeiro Flash, e chamou a mesma de “Velocity 9”. Mas ele descobriu no pior momento que sua fórmula era temporária, e o Jay pegou o cara.
Posteriormente ele retornou com uma formula decente, mas caiu na velha pegadinha dos velocistas, acelerou demais e ficou preso na Speed Force. Lá dentro, tomou posse do corpo de Max Mercury causando certa bagunça mais a frente.
O segundo foi o Professor Eobard Thawne, conhecido também como Professor Zoom, ou apenas Zoom, criado em 1963. É como eu falei há pouco, temos duas versões pra história desse sujeito, a pré-crise e pós crise. Na versão pré-crise, ele é um criminoso do século XXV que encontrou o uniforme do Flash dentro de uma cápsula do tempo, e com ajuda da tecnologia da época, ele pôde aumentar os vestígios da energia que ainda estavam no traje, então quando ele vestia aquele uniforme, ele ganhava os exatos poderes que ficaram impregnados do dono original do uniforme, Barry Allen.
Por razões que não vem ao caso, eles acabaram se encontrando no futuro, o Barry conseguiu destruir o uniforme do Zoom (um dos nomes pelo qual se conhece o Eobard), porém o Zoom conseguiu matar Iris, a esposa de Barry, e Barry por sua vez acaba matando o Zoom, quebrando o pescoço dele.
Já na versão pós-crise, ele ainda é um homem do futuro, mas é um super fã do Flash. E sabendo tudo de seu herói, recriou o “banho químico” que o Barry levou, improvisou uma voltagem braba pra dar a fritada na caixola e BOOM, poderes do Flash. Mole, né. Mas ele não parou por ai, ele era tão fã que mudou seu rosto para ficar igual ao Barry. Tipo o Thomas Elliot com o Bruce Wayne, mas sem a vontade de matar.
Já com os poderes, Eobard podia viajar no tempo usando o Cosmic Treadmill (conhecida na terra do carnaval forçado como “esteira cósmica”), e assim o fez. Mas chegando ao passado, descobriu que seu destino era tornar-se um vilão, e acabou ficando maluco. Como o sujeito era idêntico ao Barry, tinha os mesmos poderes e estava meio louco, acabou acreditando que realmente era o Barry. Depois a ficha caiu e a confusão só terminou quando o Wally lançou uma pegadinha do malandro em cima do Eobard e o fez voltar pro seu tempo.
Mas claro, ele não ficou satisfeito, e com um ódio mortal do Barry, o que o levou a ficar viajando para o passado para combater os Flash sempre que dava na telha. Na saga “Rebirth” o Eobard toca um zaralho maldito na vida do Barry. Primeiro de tudo, o Barry consegue sair da Speed Force onde ficou preso por anos, graças ao Eobard. Depois o tal Eobard tentou fazer com que Barry nunca tivesse se tornado Flash, pondo-se a frente do raio que o atingiu, mas o raio passou por dentro dele e acertou Barry do mesmo jeito, o que o levou a acreditar que o Barry realmente precisava ser o Flash.
Mais nada o que fazer? Claro que tem. Eobard matou a mãe de Barry, mas este voltou no tempo para salvar sua mãe, e assim o fez. Porém isso mudou o rumo da história dando partida ao Flashpoint, onde Eobard morre esfaqueado por Thomas Wayne, o pai do Batman, que nessa versão da realidade é o Batman, pois naquela noite no Beco do Crime, quem morreu foi o Bruce.
O terceiro Flash Reverso foi Hunter Zolomon. Esse é bastante recente comparado aos demais personagens da DC, sua estreia foi em 2001. Foi criado por Geoff Johns e Scott Kolins. Cá entre nós, para mim um dos personagens mais “poderosos” da DC (tirando os covardes tipo Espectro, Time Trapper e o resto da patota que brinca de deus).
Esse era amigo do Wally West, trabalhava para a polícia e ajudava bastante o Wally. Hunter teve um trauma de infância “a la Bruce”, mas um pouco diferente. Ao invés de um vagabundo matar o pai e a mãe, o próprio pai matou a mãe. Hunter então cresceu traçando perfis psicológicos, estilo, personalidades e fichas ricas em detalhes de heróis, vilões e qualquer coisa que se movesse. Wally perguntava “como posso derrotar fulano?”, Hunter dizia “Faz coisa x e coisa y, dai faz coisa z e pronto”, Wally fazia e tudo terminava bem.
“Como um cara inteligente desses é um simples policial de delegacia?”. Bom, nem sempre foi. Hunter era do FBI com sua esposa e seu sogro. Um ótimo estrategista, confiante nos perfis que traçava dos marginais. Certa feita, foi fazer uma invasão na qual tinha certeza que não ia rolar disparos pois esse não era o estilo do tal vagabundo. Mas ele quebrou a cara pois o tal vagabundo estava com um trabuco na mão e desceu a lenha em cima do FBI. Hunter foi atingido no joelho e o sogro foi morto. Ruim o suficiente? A mulher do Hunter o abandonou por isso, e Hunter teve que sair do FBI devido a sua perna não ter voltado 100%.
Então em sua nova carreira “parada” de delegacia, ele começou a ajudar o Wally. Porém, a vida tem esse jeitinho adorável de nos mostrar que o fundo do poço pode descer igual um elevador sem freio, e em uma fuga da prisão de meta-humanos Iron Heighs, Hunter ficou no caminho do Grodd, o gorila telepata. Hunter foi ferido gravemente e o movimento que já era ruim piorou de vez: ele perdeu os movimentos da cintura para baixo.
Sabendo das capacidades do seu amigo Flash, Hunter pediu ao cara para usar o Cosmic Treadmill (aka esteira cósmica) para voltar no tempo e resolver este impasse, ou até melhor, voltar até a missão do FBI que ele falhou, mas Wally se recusou, pois isso era perigoso e podia mudar o rumo da história e etc. Quando o Hunter precisou… Onde está Wally? Piada horrível, e se você ficou puto por ter que ir dormir com essa, imagina o Hunter.
Claro que alguém com tendência a ser Flash Reverso não ia engolir essa. Ele se meteu a usar o Treadmill sozinho, tentando usar uma cadeira de rodas em um aparelho que só deveria funcionar com velocistas, e obviamente acabou explodindo a bagaça toda. A “bagaça” é o museu do Flash em Central City, um lugar enorme, que virou “nada” graças ao Hunter.
Porém com essa explosão causada pela esteira, Hunter ganhou o poder de controlar o tempo ao seu redor, o que tecnicamente lhe dá um poder com efeito parecido com o da super velocidade. Imaginem, se eu estou numa distância de… sei lá, 1km de você leitor(a). Se eu consigo controlar o tempo, eu posso diminuir a velocidade do tempo e ir andando 1km até você. Posso levar até 10 horas pra chegar lá, mas pra você só terá passado 1 segundo ou 2. Vai parecer que sou o Flash.
Enfim, Hunter chegou a brilhante conclusão que o Wally não o quis ajudar porque, ao contrário do Barry Allen, Wally nunca tinha sofrido uma grande perda, e resolveu providenciar uma grande perda para ele se tornar um Flash melhor. Que caridoso. Hunter se inspirou no Eobard, adotou o nome Zoom e e partiu para tocar um terror na vida do Wally, terror esse que após muita briga, corrida e confusão, fez com que Linda Park-West, a esposa de Wally perdesse os bebês. Hunter acabou preso em um “nó temporal” que acabou o deixando em coma após isso tudo.
Mas a DC é a DC, e se até mortos voltam à vida, imagina quem ainda está vivo. Hunter voltou com auxílio de alguns fatores, e ao unir forças com Eobard Thawne vindo do futuro, viajou no tempo para o passado, para o mesmo momento onde fez Linda Park-West perder os bebês, mas dessa vez para matá-la. Wally viajou no tempo junto, e a confusão ficou feita, pois lá estavam Hunter, Eobard, Barry (que estava atrás do Eobard) e o Wally. O resultado foi que Wally conseguiu salvar sua esposa, e por consequência mudou a história, salvando inclusive os bebês. Quando ele voltou ao presente, Linda Park-West miraculosamente ganhou barriga de 9 meses e estava pronta para dar a luz. Hunter foi aprisionado, e depois fez um bico em uma outra história grande de vilões.

Rápido
Um dos grandes problemas entre os fãs dos heróis que já foram Flash é a polêmica sobre a velocidade deles. Pois é, cheio de velocistas na DC e nenhum deles tem velocímetro no cinto. Tem vários fãs do Barry, vários fãs do Wally, vários do Bart e alguns do Jay (temos que ser sinceros, né?). Quicksilver, Johnny e Jesse Quick e adjacências são velocistas mas obviamente não tem as mesmas capacidades que os 4 principais.

Afinal? Quem é o mais rápido? Barry? Jay? Wally? Bart? Lisa? Raikonen? Sonic? Luz? Pensamento? Dizem que é a diarréia, pois antes de acendermos a luz e pensarmos em sentar no vaso já nos cagamos. Mas o caso aqui é entre os velocistas.

Maior parte do problema vem do fato de que isso não é um título “eterno”. Não é como um diploma que você ganha e para sempre seja aquilo que está escrito, mas sim como um… Sei lá, cinturão de campeonato de luta, outros podem aparecer e tirarem de você. Partindo desse princípio, vamos aos fatos.
Quando Jay Garrick foi criado, ele era o único Flash. Então é ÓBVIO que ele já foi o mais veloz do mundo, pois era o único Flash que existia. Então: SIM, Jay Garrick já foi o mais rápido do mundo.

Com o surgimento de Barry Allen o quadro mudou. Barry passou a ser o mais rápido do mundo segundo a própria DC, era o Flash moderno e blablabla. Inclusive ele era conhecido por essa alcunha, “The Fastest Man Alive”. Então Barry Allen passou a ser o mais veloz.
Barry sumiu na Speed Force pra salvar o mundo e tal, então Jay Garrick como único Flash passou a ser o mais rápido dentre eles novamente.

Depois dele veio Wally West que demonstrou ter um controle MUITO maior que o do Barry dentro da Speed Force. Inclusive, há quadro de uma história onde Barry está quase perdendo o foco dentro da Speed Force e o Wally aparece para ajudá-lo, correndo numa facilidade visivelmente maior que a do Barry, pois este estava prestes a ceder e o Wally estava tranquilo como se estivesse fazendo cooper na pracinha. A partir disso ficou subentendido que ele era mais veloz que o Barry, e consequentemente mais veloz que o Jay.

Mas aí pra quebrar a firma de geral, vem Bart Allen. A principio o moleque é um velocista padrão, depois toma uma bala no joelho, fica avariado, ai volta e simplesmente se torna “um” com a Speed Force. Precisa dizer mais? Ele passou a ser a bola da vez.
Eis que de repente e NÃO MAIS QUE DE REPENTE (Gil Gomes), Barry Allen retorna da Speed Force. Mostrando ser o primeiro e único a escapar da Speed Force uma vez que ficou preso, e após a explicação de Max Mercury a respeito da Speed Force ter sido criada no momento em que Barry Allen ganhou seus poderes, a balança novamente muda de posição.

Algum fanático que tenha paciência de procurar em todos títulos que envolvam os Flash certamente encontrarão uma passagem em que deixam claro que o Kid Flash não alcança a velocidade da luz (apesar de chegar perto), que Jay Garrick também não alcança a velocidade da luz (chega menos perto que o Bart), mas que tanto o Wally quanto o Barry podem alcançar algo muito além da velocidade da luz. Então, pela lógica, a competição fica presa entre Barry e Wally. Estamos perto da reta final.
Wally aparenta ter tolerância e controle melhor sobre o que diz respeito a Speed Force, PORÉM, Barry foi o único a atingir o tal limite dos velocistas, ficar preso lá dentro e conseguir voltar. E claro, como já foi citado antes, o Barry é a FONTE da Speed Force. Não importa se o Wally se vira melhor com a Speed Force, sem o Barry não tem Speed Force e a única coisa que o Wally vai ter pra controlar são as negas dele na zona.

Claro que isso é como dizer que o criador de algo obrigatoriamente é o melhor usuário da criação, o que não confere com a realidade. O criador do Karatê pode topar com um aluno que o supere e etc, então olhando por esse lado, a competição continua correndo (literalmente). Pesquisando na internet, maioria diz que o Wally é o mais veloz e etc, mas o Barry quando voltou da Speed Force veio com um boost da macaca Chita, correndo mais que o inferno virado do avesso.

Dito pelo não dito, vamos ao que interessa, a resposta é: a balança pende mais pro lado do Wally. Ao que as histórias indicam e respeitando a ordem cronológica das coisas, Wally é o mais veloz dentre os Flash. Mas em contrapartida disso, vale deixar claro que sem o Barry o Wally não tem de onde tirar energia pra sua velocidade.
Se quiserem que essa competição englobe os Flash-Reversos… Aí a coisa fica mais complicada. O Dr. Clariss não é lá o rei da velocidade, já Eobard Thawne é um que faz frente aos Flash. Hunter Zolomon não é velocista, ele desacelera o tempo, então tecnicamente ele não é “rápido”, mas o poder dele o faz superar a velocidade dos Flash. Considerando que o Hunter Zolomon não é velocista, a confusão fica entre Wally e Eobard… E como Barry já derrotou Eobard e o Wally é mais veloz que o Barry… Então Wally continua sendo o mais veloz.

Mas as HQs um detalhe que vale apena ser lembrado: tudo fica na mão dos roteiristas. Se aparecer algum que invente uma desculpa perfeita pra fazer com que a Lois Lane seja a pessoa mais rápida do universo, assim será. Então não se prendam tanto a “quem é o mais rápido”, “quem é o mais forte” e etc, as coisas mudam constantemente, apenas aproveitem as histórias e curtam os personagens. Ainda mais se tratando de Barry e Wally, ambos são ótimos e equivalentes.

Se formos partir pra essa mesma competição na era pós-reboot as coisas ficam muito mais simples. Jay Garrick só existe na Earth 2, Wally não existe, e o Kid Flash continua sem ser cogitado como mais veloz, logo, o Barry é o único Flash pra valer, e consequentemente o mais rápido.

Poderes

Senta que lá vai história. A lista é longa.

■ Controle Molecular: Nome auto-explicativo. Eles tem controle sobre suas moléculas e sobre as moléculas dos outros. Eles podem vibrar suas moléculas tão rápido que ganham capacidade de atravessar objetos sólidos, sejam paredes, pessoas ou objetos. Vibrando assim, objetos podem “passar” por eles também, como tiros, ou carros em alta velocidade (falar de “alta velocidade” quando o ponto fixo é o Flash chega ser engraçado). Não que eles precisem se preocupar com tiros e etc, mas é interessante saber que eles tem até a opção até de não sair do lugar.
Barry e Bart tem essa habilidade bem definida, porém Wally não controla isso muito bem, e qualquer coisa que entra em contato com ele enquanto ele tenta, simplesmente explode. E Jay Garrick em alguma história vibrou as moleculas tão rápido que pode ficar invisivel.

■ Fator de Cura Acelerado: Não é algo que funcione tão… “Geneticamente” como em Wolverine e Deadpool, mas sim algo mais ligado a “física”. Como já foi dito, os Flash tem a capacidade de acessar a Speed Force e controlar a velocidade de tudo aquilo que está nela. Logo, se eles próprios ou outra pessoa sofrem ferimentos, eles podem acelerar o processo de cicatrização/cura para aquele ferimento. Se você pensou “Mas assim ele vai envelhecer a pessoa se acelerar o metabolismo dela o suficiente pra fechar uma ferida grave”, você está QUASE certo, só não acertou na mosca porque os Flash tem controle sobre isso também, podendo separar a velocidade e o tempo. Mais louco que caipirinha de pólvora. O único que me recordo de ter feito isso foi o Wally West, mas ao que tudo indica, Barry e Bart também consiguem.

 Constructos: Tão achando que isso é luxo dos Lanternas Verdes? Continuem achando, pois os constructos dos Flash são mais básicos, porém muito úteis. Mais uma vez, quem nos deu uma amostra foi Wally West. Em uma história, ele quebrou as pernas, e usando a energia da Speed Force, fez constructos como botas/armadura nas pernas para poder continuar em movimento.

 Vôo: Isso mesmo que vocês leram, vôo. Tudo bem que isso não é característico dos Flash, mas apenas de Johnny e Jesse Chambers (Johnny e Jesse Quick). Mas ai entra um fator contra eles, todos velocistas capazes de atingir “Escape Velocity” acabam “voando” mesmo sem querer. Não entenderam? Mais pro fim do texto dou um parecer sobre o que é “Escape Velocity”.

■ Percepção Extra Sensorial: O negócio fica meio “Professor Xavier” aqui. Essa habilidade foi demonstrada apenas por Max Mercury (aka Quicksilver). Todas pessoas estão ligadas na Speed Force, e devido a isso, o Max Mercury tem acesso a localização de qualquer um através da ligação com a Speed Force (onde Max ficou preso). “Quer saber onde seu namorado está? Fácil. To caçando ele pela ligação com a Speed Force… pronto, Pai Quicksilver de Aruanda achou seu namorado. Tá na casa da sua amiga”.

Roubar/Fornecer Velocidade: Essa habilidade foi demonstrada primeiro por Wally, e posteriormente por Bart e Barry. Eles podem roubar ou fornecer velocidade pra qualquer pessoa/objeto. Por exemplo, eles podem retirar velocidade de um inimigo até ele praticamente ficar imóvel como uma estátua, ou retirar a velocidade de um tiro fazendo a bala ficar parada no ar. Assim como podem aumentar a velocidade de um humano qualquer para poder alcançar altas velocidades, ou podem simplesmente roubar pra si a velocidade de algo, aumentando a sua própria.
Nos Novos 52, temos um exemplo claríssimo da capacidade de um Flash. Barry Allen impediu a queda de um avião sozinho. Acham que isso é coisa que só o Superman ou um Lanterna Verde pode fazer? Barry pegou um baita impulso e saltou na direção do avião em queda, vibrou suas moléculas rápido o suficiente para atravessar a fuselagem e cair do lado de dentro, e uma vez lá dentro, drenou a velocidade da aeronave e a fez parar no ar.
Claro que a coisa não funciona igual a corneta paralisadora do Chapolim, nem como o Chirrin e Chirrion do diabo. Ele num pisou lá e disse “velocidade, chirrion!” e a nave parou, é FÍSICA, ele foi frenando o lance usando de um esforço hercúleo, quase que não deu tempo. Mas deu certo.

■ Super Velocidade: Citar super velocidade chega a parecer brincadeira, né? O Capitão Óbvio ataca novamente. Como eles são conectados na Speed Force e tem controle sobre a física tanto deles próprios quanto dos outros e do ambiente, eles podem conter os estragos. Vamos aos fatos.
Velocidade gera energia. Quando algo quebra a barreira do som, ouvimos aquele estouro chamado de “Sonic Boom”. Se um caça em velocidade super sônica passa perto de prédios, os vidros estouram, ferros envergam, pessoas são dilaceradas e tudo mais. Não é só o deslocamento de ar, é também a emissão de energia da velocidade. Ok. Os Flash tem a capacidade de atingir essas velocidades SEM causar os efeitos destrutivos pois eles meio que “controlam” a física e etc. Eis um ponto que o Superman não tem.

■ Infinite Mass Punch: O mais devastador por último. Esse soco foi introduzido numa história da Liga da Justiça, por um cara qualquer ai… cof cof *Grant Morrison* cof cof. Esse golpe foi executado por Wally West, mas isso pode ser executado por qualquer Flash que atinja velocidade da luz. No caso só sobrou o Barry, né. Mas enfim.
O Infinite Mass Punch é mais “realista” que um soco na realidade. Como eu disse logo acima, eles podem conter a emissão de energia da velocidade em que trafegam. No caso do Infinite Mass Punch, Wally atingiu a velocidade da luz e conteve toda a emissão em um único soco, cuja força equivaleu a explosão de uma pequena estrela.
Um exemplo que darei novamente em um texto a frente: se uma pedra de 10 gramas atingir velocidade da luz, a emissão de energia é equivalente a de umas 12 bombas de hidrogênio. Se alguém com o peso do Wally (ou do Barry, tanto faz) que deve ter um peso próximo de 80kg atingir velocidade da luz, seria como uma “pedrinha” de 80.000 gramas, ou seja, 96.000 bombas de hidrogênio juntas em UM SOCO.

Fisica

Vamos para uma aula HIPER concentrada de física. Garanto a vocês que não será tão chato quanto parece, e pra quem é fã do Superman e do Flash, será até divertido. Eu sempre fui PÉSSIMO em física mas entendi bem tudo isso que vou explicar agora.

Nas medidas de velocidade, podemos ver coisas como “km/h”, ou “m/s”, ou até “km/s”, dentre algumas outras. Até ai estamos todos a par, nenhuma novidade. A velocidade do som e da luz também são formas de medida. Velocidade do som é representado pela unidade “M” ou “Ma” (de “Mach”) e a velocidade da luz por “c” (de “caramba, nem vi passar”). Essa última foi brincadeira, mas a letra é “c” mesmo.

Ok, agora vamos aos nomes dados as “barreiras imaginárias” de velocidade criadas pelo homem.

Temos a velocidade sub-sônica, que como o nome já deixa claro, é abaixo da velocidade sônica, ou trocando por miudos: abaixo da velocidade do som. A velocidade do som só é ultrapassada lá pela casa dos 1.225km/h. Qualquer coisa abaixo disso é considerado sub-sônico, qualquer coisa acima, é sônico.
A exata risca do sônico (Mach 1 = 1.225km/h) fica dentro uma barreira chamada “Transônica”, que cobre velocidades entre 0,8Ma (980km/h) e 1,2Ma (1.470km/h).
Qualquer coisa entre 1,2 Ma e 5 Ma (3.840km/h) está em velocidade “Super Sônica”.
Entre 5 Ma (3.840km/h) e 10 Ma (7.680km/h), é chamada de velocidade “Hiper Sônica”.
Como se já não estivessemos rápidos o suficiente, acima da Hiper Sônica ainda tem mais uma. A”Alta Hiper Sônica” (high-hyper sonic), que abranje tudo que se move entre 10 Ma (7.680km/h) e 25 Ma (16.250km/h).
Quando se passa de Mach 25 (até cerca de uns 30.740km/h) o objeto é tido como em velocidade de re-eentrada, ou “Re-Entry Speed”. Essa é a velocidade onde o objeto fica incandescente, pega fogo, derrete, desfaz, quebra e etc devido ao atrito com o oxigênio e outras bobeiras invisíveis da atmosfera.
Para finalizar a tabelinha sônica, temos a “Escape Velocity”. Isso é atingido no Mach 34, ou seja, aos 41.616km/h. A essa velocidade, o corpo está tão veloz que a gravidade não consegue fazer efeito sobre ele, logo, ocorre uma espécie de vácuo que lança o corpo em inércia. É a partir desse principio que os velocistas da DC “voam” em alguns casos.
Para vocês terem ideia, em nossos records humanos (reais), a nave Apolo 10 da NASA, tripulada, atingiu um topo de 39.616km/h. Já com naves não-tripuladas os records são maiores. A Stardust atingiu 46.440km/h e a New Horizons 58.536km/h. Que eu saiba, ainda não tivemos um vôo tripulado em Escape Velocity.
Mas essa “barreira” tem um detalhe interessante. Ela muda de acordo com a gravidade de cada planeta. Claro, essa é a velocidade onde quebramos a “gravidade”, e como cada planeta tem uma gravidade diferente do outro, o ponto de quebra também é diferente. Na Terra seria necessário estar em Mach 34, em Júpiter por ser maior é preciso Mach 175 (214.20km/h). No Sol a coisa fica bizarra, precisamos de Mach 1.816, o que equivale a 2.222.784 km/h. É isso ai, 2 milhões de quilômetros por hora. E sabem o mais legal? Ainda não é nem 1% da velocidade da luz, coisa que Barry e Wally podem atingir.
Também fizeram o cálculo de qual seria a velocidade necessária para escapar da gravidade de um buraco negro. Claro que eles calcularam tendo como base o “Horizonte de Evento”, que também é chamado de “Point of No Return”, ou seja, a última linha de segurança de proximidade de um buraco negro, ao passar desse ponto, já era. O ser humano sequer sabe dizer com números exatos o que se passa realmente lá dentro, pois NADA voltou de um horizonte de evento até hoje.
Nosso camarada Stephen Hawking “descobriu” que dá para ter noção de coisas recentes que os buracos negros engoliram através de “fios” invisíveis de radiação na entrada do buraco negro, pois o buraco puxa a matéria que ocupava o espaço ali na entrada, mas fica um rastro de radiação do mesmo de onde teoricamente se pode tirar informações. Falar do Stephen Hawking em um texto do Flash é no mínimo irônico.
A velocidade necessária para anular a gravidade em um horizonte de evento foi menor que o do Sol, claro, mas devemos lembrar que um buraco negro normalmente tem densidade/massa várias vezes maiores que a do sol, geralmente de 10 à 25 vezes maior. Vamos supor que seja a densidade de 10 sóis (coisa que é suficiente para absorver nosso Sistema Solar tranquilamente, e seria igual descarga de avião, em um único estalo), pegamos o Mach 1.816 necessário para escapar da gravidade do sol e multiplicamos por 10 (de 10 sóis), logo encontramos Mach 18.160, que passados pra km/h dá uns 22.227.840. Vinte e dois milhões de quilômetros por hora. Ainda assim apenas 2% da velocidade da luz.
Wally West e Barry Allen atingem a velocidade da luz. O Superman também atinge, mas apenas no espaço, pois se ele fizer isso na Terra vai liberar uma energia tipo a do Infinite Mass Punch, só que sem alvo, praticamente ia detonar com meio mundo.
Esses exemplos foram pra vocês terem noção do quão velozes os Flash são. Vale ressaltar que eu não sou físico, não sou astrônomo, não sou especialista em nada disso, nem no Flash comparado à algumas pessoas, tudo que está ai foi fruto de pesquisas e alguns cálculos proprios. Então, se eu estiver errado em algo, simplesmente me desculpem. E antes de passar a frente e passarem por errados, confiram para ver se realmente não errei nada.


A história selecionada pra esse post é a Flash: Rebirth, lançada de 2009 à 2010.
A arte é pelas mãos do Ethan Van Sciver, que até pouco tempo era o desenhista da “The Dark Knight”, e que também fez a “Green Lantern: Rebirth”. No roteiro, ninguém mais ninguém menos do que Geoff Johns, que também era o roteirista da Green Lantern: Rebirth”, e que foi roteirista de uma penca de séries dentro da DC, como Flash, Lanterna Verde, Liga da Justiça e dai vai. O Geoff é um dos sujeitos que melhor aproveitam as capacidades do Flash, coisa que só o roteirista atual do Flash (Novos 52) consegue acompanhar.
Escolhi a Rebirth pois todos os velocistas estão presentes e é o retorno do Barry Allen ao palco principal, coisa que de certa forma serve pra entender porque do nada ele apareceu e se tornou o único e principal Flash. Dá pra apresentar MUITOS personagens nessa história. Como eu disse, todos fazem um bico que seja. Jay, Wally, Bart, Eobard, Hunter, Savitar, Johnny, Jesse, Max, e claro, o Barry.
A história está muito bem feita, tanto de roteiro quanto de arte. Dessa vez não farei aquela narrativa de sempre, na verdade não farei narrativa nenhuma. Esse texto acabou ficando maior do que eu esperava, e a história está ai pra quem se interessar.
Na Rebirth, o Professor Zoom/Flash-Reverso/Eobard Thawne é o problema principal. Ele infecta a Speed Force e Barry acaba tornando-se o Black Flash, é praticamente a “morte” dos velocistas, que os detona só de encostar. Viagem no tempo, visita na Speed Force, uma conversa interessante com o Superman e tudo isso com velocistas a rodo pra tudo que é gosto.
Essa é uma história que vale a pena comprar. Aqui no Brasil saiu pela Panini como história secundária em alguns números da Liga da Justiça (pré-reboot), justamente na fase onde Bruce tinha sido dado como morto.
Então é isso. Até a próxima. 81sVphNs3cLDownload no MEGA: Flash – Renascido

Anúncios

  1. caraa que texto sensacional. enorme mas li tudidinho para aprender um pouco mais sobre o (s) flash(s). como sempre ri em algumas piadinhas e poxa vida, é sempre uma verdadeira aula (com bom humor) sobre quadrinhos qnd o augustão resenha — e uma aula de bom gosto e “como fazer review” qnd é a Jessica. continuem pq vcs mandam bem demais!

    • Assim vou me esconder na speed force hahah
      Cara, muito obrigado pela presença e pelo comentário, espero que sempre estejamos conseguindo manter o nível que você e os demais esperam ao vir aqui. Durante nossos dias é complicado lidar com o que surge, sempre são mais críticas e problemas do que soluções e elogios, e obviamente não é 100% pelo elogio que estamos aqui, é pela vontade de fazer, mas claro que comentários como o seu dão um gás ótimo para continuar. Então, novamente obrigado por tudo, e até a próxima =)

    • Não costumo a me referir a HQs como “trabalho” porque eu já leio e pesquiso maioria independente de ter que escrever algo, mas sim, a montagem levou dias. Ainda assim, obviamente ficamos gratos pelo seu comentário, sua presença e apoio. Obrigado =)

  2. Cara é impossível ler e não comentar, e parabenizar.

    Parabéns pelo excelente trabalho, post completo, sensacional, adorei.

    Nunca havia lido nada tão completo sobre o Flash, estou impressionado com a qualidade do post, e do site de modo geral. Muito bom mesmo.

    Muito obrigado pelo entretenimento 🙂

    • Grato pelas palavras, de verdade. Eu (modéstia longe) me assustei quando vi o resultado final. Uns 40% desse conteúdo me foi novidade antes de começar, precisei pesquisar várias coisas. Acaba sendo proveitoso para mim e para quem lê, então todo mundo sai ganhando. Obrigado pela força e até a próxima =)

  3. Só pra esclarecer uma dúvida. O blog chegou ao fim? Seria uma pene, pois é um dos melhores sites de scans do brasil, e com certeza o melhor blog sobe o cruzado da capa. Só estou comentando (pela primeira vez, embora tenha acompanhado o blog a anos) pois se esse for o caso, com certeza deixará saudades.

    • Olá, João. Eu só vim responder seu comentário pois fiquei um tanto surpreso com sua opinião. Não somos profissionais nisso aqui, nunca foi a “proposta”, mas também não era nossa ideia sermos “ruins”, claro. Ver você se referir a nós como melhor blog do Batman do Brasil me deixou com orgulho, apesar desse hiato que estamos atravessando. Respondendo a questão… já tivemos hiatos do gênero antes, talvez não tão grandes, mas sempre voltamos com alguma coisa aqui ou ali. A principal razão desse sumiço é falta de tempo mesmo. Estamos enrolados com nossas vidas e certos golpes que ela tem nos dado, infelizmente. E fora isso, as histórias atuais do morcego velho estão meio fracas, e digo fracas já fazendo muita vista grossa, nem inspira a fazer review, seria um show de criticas. O reboot deu uma ferrada nos roteiros, e está vindo mais um tipo de reboot ai pela frente, então vamos ver se com uma possível melhora de roteiro nas HQs e do roteiro das nossas vidas tudo volta ao normal. Agradeço de verdade o apoio e as palavras. Até a próxima =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s