#59 – Charada: Perguntas Multiplicam o Mistério

Oi!
Você já se inscreveu para ganhar a HQ “DC 70 anos – As Maiores Histórias do Batman”? Não ainda? Clique aqui então!

Finalmente eu trouxe a HQ que estava traduzindo há um bom tempo, sobre o Charada.

Alguém pode me perguntar por que eu traduzo as HQs, ao invés de escolher outra sobre o personagem que já esteja em português. Certamente existem outras boas histórias por aí, e que também valem a leitura. Mas eu escolhi essa em específico, mesmo em inglês, porque meu objetivo aqui no Batman Guide é sempre trazer a melhor história do personagem – mesmo que dê mais trabalho para alguém que não tem quase nenhuma experiência em tradução.

A verdade é que apanhei bastante para traduzir essa HQ, que tem 55 páginas, não só por não ter experiência em tradução e diagramação, mas também pelo fato de que estamos falando do Charada. Ele, o rei dos enigmas. A cada enigma que aparecia na história, eu precisava parar e pesquisar no Google, entender o sentido em inglês/espanhol (me baseei nas HQs dos dois idiomas para traduzir pro português), e tentar passá-las para o português ou ao menos fazer uma Nota da Tradução nas próprias páginas. E a HQ é cheia de referências interessantes! Deu trabalho, mas foi extremamente enriquecedor pra mim.

E agora, eu orgulhosamente apresento o resultado desse esforço para vocês 🙂

Decifre agora a HQ “Charada: Perguntas Multiplicam o Mistério” (Questions Multiply the Mystery, roteiro de Chuck Dixon e arte de Kieron Dwyer, 1995)

Line

001Charada está sendo interrogado por alguém que quer saber sua história. A história de sua genialidade, seus crimes e aventuras. Então ele remonta a seus tempos de infância, quando era apenas Edward, um menino que gostava de perguntar. Mas os adultos de sua vida não tinham paciência para explica suas perguntas tão específicas – como boa parte dos adultos não tem. Então, Edward Nigma decide que é tempo de descobrir sozinho o funcionamento das coisas que o intrigavam. Como ele mesmo diz:

“Os adultos não tinham a resposta. Ou talvez eles a tenham esquecido. Estava decido a ser alguém com todas as respostas… Mesmo que tivesse que inventar as perguntas.”

002Seu primeiro desafio chegou na sexta-série, com um quebra-cabeças proposto pela professora, que valeria um prêmio para quem resolvesse mais rápido. E além do prêmio, imagine o reconhecimento… A glória… Os amigos… Mas os pais o detestavam. No colégio, ele era um aluno invisível, medíocre, que passava despercebido até pelos bulliers, sem nenhum dom intelectual notável. A professora não quis contar para Eddie a temática do quebra-cabeças. Não tinha chance nenhuma de resolver esse quebra-cabeças. A não ser que…

“Havia um único jeito de ser melhor que os outros. E foi aí que descobri minha verdadeira vocação… Trapacear.”

003Invade a escola à noite e treina múltiplas vezes a resolução do quebra-cabeça, até conseguir montá-lo em cinco minutos. Até resolvê-lo 6 vezes seguidas em menos de um minuto. Obviamente, ele venceu. E aí sua vida mudou radicalmente porque ele se tornou a nova celebridade do colégio, certo? Errado. A glória durou uma semana, e depois disso tudo voltou a ser o que era antes. Com uma pequena diferença: ele passou a ser notado pelos valentões.
Mas nem tudo estava perdido para Charada. Como presente por ter desvendado o quebra-cabeças primeiro que todo mundo, ele ganhou um livro sobre Enigmas e Truques em geral. E esse livro abriu uma janela para ele, uma janela para um mundo novo, onde ele realmente se encontrou: o mundo dos truques, das charadas, das mágicas de Houdini. Ele se empenhou nisso muito mais do que jamais tinha se empenhado na escola.

008

Mas a escola acabou, e o brilhante Edward Nigma teve que se render ao triste mundo do trabalho comum, sem atrativos. Virar um escravo do trabalho. O verdadeiro inferno. Um trabalho puramente burocrático. Um dia, vê uma pessoa de seu emprego abrindo um cofre cheio de dinheiro, e à noite decide roubá-lo; mas… Qual a emoção nisso? Apenas roubar, lucrar, sem nenhum respeito às antigas artes dos enigmas e trapaças? Não. Era necessário criar um estilo próprio…

005Envia uma carta enigmática para a polícia, mas ninguém se importa com suas charadas. Segundo ele, sua genialidade não fora apreciada. Então, envia uma bomba para a Sessão de Roubos do Departamento de Polícia com as pistas para o próximo roubo. Ou seja, Gordon terá problemas. Os policias conseguem desvendar as pistas, mas não chegam a tempo. Porque são meros humanos. Mas Batman entra em ação – e Charada deixa suas impressões sobre o Cavaleiro das Trevas.

“Eu tinha lido sobre ele nos jornais. Achei que era uma lenda urbana, uma história para assustar crianças. Como os jacarés no esgoto ou a loira do banheiro. Mas ele era real… Muito real.”

006Apesar de apanhar como um condenado de Batman, Charada consegue escapar dessa vez. Mas ele nem sente as dores físicas. Está emocionado por ter encontrado um inimigo à sua altura, um adversário valoroso, alguém contra quem dá gosto tramar grandes enigmas. Contudo, é seria muito difícil capturar Batman sozinho; ele começa a procurar parceiros para suas empreitadas. Mas para Charada, os pseudo-farsantes e ladrõezinhos comuns não conseguem entender que um crime é uma obra de arte, e merecem ser tratados como tal. Elementos criminosos eram incapazes, intelectual e artisticamente.
007Sem conseguir um companheiro para seus crimes, ele continua praticando roubos comuns, vulgares, sem nenhuma emoção. Até que um dia é… Assaltado. Por duas moças selvagens, mas eficazes. E as convence a trabalharem com ele. Interrogação e Dúvida são os codinomes das moças.
E agora que ele tem uma ajuda real, é hora de bolar um plano definitivo contra Batman, seu adversário derradeiro.

Continuar lendo