#28 – Arlequina

“Meu amor pelo Coringa era mais forte do que as paredes do sanatório.”

Olá!

Em primeiro lugar, tenho que me desculpar com vocês pela demora em produzir esse post. Quem acompanha o Batman Guide há um tempinho sabe que costumo postar às quartas e sábados, mas essa semana atrasei bastante! Tive alguns probleminhas pessoais que me deixaram sem tempo para escrever, então espero que aceitem minhas desculpas 🙂

Continuando com nossos vilões, hoje trarei uma vilã que me deixa boba toda vez que aparece. O motivo? Ela é muito sem noção! Mas isso é meio óbvio, vindo de uma mulher que é apaixonada pelo Coringa. Quero dizer: “Apaixonada” é pouco. Ela é obcecada!

Jogue-se no universo incompreensível da louca e fatal Arlequina (Batman: Harley Quinn, roteiro de Paul Dini e arte de Yvel Guichet, outubro de 1999)!

Gotham City está mais perdida que nunca. Depois de um terremoto que destrói várias construções, Hera Venenosa é obrigada por Batman a trabalhar para alimentar pessoas perdidas e famintas.
No meio dos destroços, encontra uma moça loira chamada Harleen Quinzel. E ela começa a contar sua história.

Ela era uma psicóloga que fazia seu primeiro ano de residência no Asilo Arkham, quando conheceu Coringa, e se apaixonou perdidamente por esse misto de loucura  e (para ela) charme. Não obstante, ainda facilitava suas fugas do sanatório. Quando descoberta, foi demitida e internada no próprio asilo. Mas na primeira oportunidade de fugir, foi atrás do homem que amava – parando numa loja de fantasias para se embelezar e adotar uma personalidade única, como é única a personalidade de Coringa. Ou para seu “pudinzinho” , como ela o chama.
E então surge a Arlequina, que começa sua jornada atrás do maior vilão de Batman.
Entretanto, ele não é uma pessoa acostumada à sentimentos doces. Ele engana Arlequina, pois a moça mais atrapalha do que ajuda e consegue ser inconveniente em muitas ocasiões.

Ela é inteligente, mas é doida, sem-noção, insana, divertida. Mas se enganada também pode ser muito vingativa, falsa e manipuladora, e qualquer um que ousar entrar em seu caminho…

Essa HQ traz a história dessa personagem e mostra seu relacionamento com o Coringa, com uma arte que tende bastante para o cartoon, em detrimento da capa ultra realista (desenhada por ninguém menos que o genial Alex Ross). Além disso, explora sua raiva por Batman – ela acredita que o Homem-Morcego “atrapalhe” seu relacionamento amoroso, pois Coringa se interessa mais por derrotar Batman do que por ela. É possível perceber isso nesse trecho de uma outra HQ dedicada à ela, chamada “Louco Amor”:

Página 19 da HQ “Louco Amor” (Batman Adventures: Mad Love, roteiro de Paul Dini e arte de Bruce Timm & Glen Murakami, fevereiro de 1994)

Essa HQ é bem divertida e leve, mas ao mesmo tempo a presença da Arlequina torna a história ácida e instigante. Não deixe de ler! 😉

Continuar lendo

Anúncios