ESPECIAL: Jogos do Batman

Alô, gamers que frequentam o Batman Guide!

Hoje falta exatamente UM MÊS para o lançamento do novo jogo do Batman, o Arkham Origins! Você já leu sobre ele nos nossos dois especiais aqui do Batman Guide?

▪ Arkham Origins: Preview, Galeria de Imagens e Vídeos (29/04)
▪ Arkham Origins: Novas Informações, Galeria de Imagens e Vídeos (25/08)

E para comemorar essa data, o Batman Guide traz com exclusividade para você um ESPECIAL com todos os games do Batman, desde 1986 até 2012!
Para conseguir fazer esse post foi necessária MUITA pesquisa, porque eu não pude jogar todos. Eu me esforcei ao máximo para ser clara nas minhas expressões, peço desculpas se eu tiver deixado passar algo, afinal não sou especializada em crítica de videogames. Caso haja alguma imprecisão, por favor me avisem nos comentários.
Preciso agradecer ao meu queridíssimo amigo Paul Richard pela soberba resenha feita para o game “Arkham Asylum”. E também agradeço ao Augusto, que fez com maestria os textos sobre o famoso jogo Arkham City!
Não foram considerados os jogos educacionais do Batman e os jogos lançados apenas para para plataformas portáteis.

Sem mais delongas, é hora de conhecer melhor a história do Morcegão nos games! Boa leitura!

LINE

“Batman” (1986)
“Batman: The Caped Crusader” (1990)
“Batman – The Video Game” (1990)
“Batman Returns” (1992)
“Batman: Return/Revenge of the Joker” (1992)
“The Adventures of Batman & Robin” (1994)
“Batman Forever: The Arcade Game” (1996)
“Batman & Robin” (1997)
“Batman Beyond: Return of the Joker” – (2000)
“Batman: Gotham City Racer” (2001)
“Batman: Vengeance” (2001)
“Batman: Dark Tomorrow” (2002)
“Batman: Rise of Sin Tzu” (2003)
“Batman Begins” (2005)
“Lego Batman: The Videogame” (2008)
“Batman: Arkham Asylum” (2009)
“Batman: The Brave and the Bold – The Videogame” (2010)
“Batman: Arkham City” (2011)
“Lego Batman 2: DC Super Heroes” (2012)

“Batman” (1986)

Desenvolvedora: Ocean Software
Designers: Bernie Drummond e Jon Ritman
Plataformas: Amstrad CPC, Amstrad PCW, MSX, Sinclair ZX Spectrum

CAOAO primeiro jogo do Batman foi desenvolvido em uma perspectiva isométrica 3D (leia mais sobre isso aqui) do gênero ação/aventura. A primeira versão foi considerada um dos jogos mais populares, muito bem recebido pela crítica e tornou Batman popular também nos videogames.
Com um visual monocromático em 8-bit, o roteiro se desenvolvia da seguinte forma: Robin havia sido capturado pelo Coringa e pelo Charada enquanto consertava o Batmóvel. O jogador, no papel de Batman, deveria procurar pelo garoto-prodígio ao longo do mapa, mas para isso era preciso reunir as 7 partes faltantes do bat-móvel que faltavam e estavam espalhadas por aí.

Os equipamentos eram:

  • Bat-bag, uma maleta que permitia carregar os objetos;
  • Jet Bat-boot, botas que permitiam longos pulos;
  • Batthruster, um propulsor que permitia a movimentação enquanto você caia (talvez uma espécie de precursor do Bat-claw dos jogos modernos?);
  • Low Gravity Batbelt, um cinto de utilidades que reduzia pela metade a velocidade da queda.

Itens disponíveis:

  • Extra Life, para aumenta o número de vidas;
  • Energy, que aumentava a velocidade durante determinado tempo;
  • Shields, tornava Batman invulnerável por determinado tempo;
  • Jump, que duplica a capacidade normal de pulo de Batman.

Batman foi o primeiro jogo a ter a opção de um sistema de checkpoint, como opção para jogadores que quisessem recomeçar o jogo de determinado ponto. O checkpoint era um Batsinal, custava uma do máximo de 8 vidas possíveis para o Morcego, e você podia retornar com a mesma health , itens e equipamentos.
Um remake freeware foi lançado em 2011 com o nome de Watman (clique aqui para ver), e em 2002 foi lançado um remake para for Game Boy Advance sob o nome de Gwatman.

“Batman: The Caped Crusader” (1990)

Desenvolvedora: Special FX Software Ltd
Designers: Jonathan Smith, Charles Davies e Keith Tinman
Plataformas: Amiga, Amstrad CPC, Atari ST, Commodore 64, MS-DOS, ZX Spectrum

CapaNesse jogo no estilo arcade, Batman enfrenta dois de seus maiores inimigos: o Penguim e o Coringa. O jogo se divide em duas partes separadas, uma para cada vilão, que podiam ser jogadas em qualquer ordem.
Batman enfrentava os inimigos com socos, chutes e seu batarangue, e também resolvia desafios que apareciam em seu caminho.
Os gráficos foram baseados no estilo dos painéis de quadrinhos. Quando você entrava em uma nova parte do mapa, a área antiga não desaparecia do nada, mas ia sendo incorporada ao background. A Your Sinclair deu a esse jogo um ranking 9/10, por seus gráficos expressivos e o sistema de divisão em duas partes. A Computer Gaming World também fez uma critica positiva a respeito dos gráficos.
Batman: the Caped Crusader foi considerado um jogo a frente do seu tempo por ser mais voltado para a resolução de puzzles para prosseguir no jogo do que na ação, em bater nos vilões e dirigir o Batmóvel cheio de luzes coloridas.
Foi considerado um jogo complexo, porque em nenhum lugar se explicava o que você tinha que fazer – ao contrário da maioria dos jogos dos anos 80, em que as instruções vinham junto com o manual do jogo. O jogador não tinha uma pista do que iria enfrentar, e precisava ir na base da tentativa-e-erro.

“Batman – The Video Game” (1990)

Desenvolvedora: Ocean Software
Plataformas: Amiga, Amstrad CPC,Apple II, Atari ST,Commodore 64, MS-DOS,ZX Spectrum

CapaEsse jogo foi baseado no filme de 1989 de Batman. Consistia em 5 estágios baseados nos evento diretamente do filme. Cada estágio tinha um tempo limite e um medidor de energia, que era o rosto do Batman se transformando em rosto do Coringa conforme ia perdendo vida.
O primeiro estágio era Batman navegando pelo Axis Chemical Plant para enfrentar Jack Napier, no incidente em que ele se tornou o Coringa (!) Nesse nível, o jogo oferecia a opção de utilizar o Batarangue para se defender dos inimigos, acessar plataformas e pular vãos.
No segundo nível, Batman usava o Batmóvel para destruir pontos de tráfico e evitar a polícia. No terceiro nível, tinhamos um puzzle em que Batman precisava decifrar os componentes do Smilex, a toxina mortal que Coringa havia vendido na cidade. O quarto nível se passava numa Parada promovida por Coringa, e ele precisava usar os batarangues para cortar balões cheios de gás venenoso que sobrevoava a cidade, sem estourar os balões. E o nível final era uma continuação do primeiro nível, em que Batman encontrava Coringa no topo da Catedral de Gotham para o confronto final. A maioria dos elementos foi criada somente para o jogo.

Algumas das armas utilizadas:

  • Fisticuffs – a arma principal de Batman, o soco, que era um dos ataques mais úteis. Não gastava munição, e destruía a maioria dos inimigos com poucos golpes;
  • Batarang – Consumia uma unidade de munição por lançamento, mas podia acertar vários inimigos de uma vez. Utilizada para quando Batman estava longe demais para acertar os inimigos com um soco;
  • Spear Gun – Um lança-dados que consumia duas unidades de munição, e podia atingir um inimigo através de todo o cenário;
  • Dirk – Um ataque de três discos, útil contra inimigos que estavam num andar abaixo. Consumiam três unidades de munição.

Power-ups:

  • Bonus Item – Dava ao Batman 1000 pontos;
  • Pellet Item – Concedia 10 unidades de munição.

“Batman Returns” (1992)

Desenvolvedora: NES, SNES,Mega Drive/Genesis,Mega-CD, Master System,Game Gear, Lynx, Amiga,PC
Designers: Dentons (Amiga) / Spirit of Discovery (PC) / Aspect Co., Ltd. (Game Gear, Sega Master System) / Acme Interactive / Malibu Interactive (Mega Drive/Genesis, Mega-CD/Sega CD) / Atari (Lynx) / Konami (NES, SNES)
Plataformas: NES, SNES,Mega Drive/Genesis,Mega-CD, Master System,Game Gear, Lynx, Amiga,PC

BatmanReturnsCoverartO jogo foi uma versão de videogame para várias plataformas baseada no filme de mesmo nome. A versão para o Sega (Sega Mega Drive/Genesis, Sega Mega-CD, Sega Master System e Sega Game Gear) foi publicada pela própria Sega, enquando as versões do NES e do Super NES foram desenvolvidas e publicadas pela Konami. A versão para PC foi publicada pela Konami e desenvolvida pela Spirit of Discovery. A versão para Amiga foi desenvolvida pela Denton Designs e publicada pela Konami e, por fim, a versão para Atari Lynx version foi publicada pela própria Atari.
A versão de SNES lançada em 93 e era basicamente um jogo de luta em que você precisava ir em direção à direita do mapa (beat’em’up e side-scrolling), que era muito popular na época. Os cenários contemplavam 7 cenas do filme “Batman Returns”. Vários membros do “Red Triangle Circus Gang” atacavam Batman durante o jogo, e ele se defendia com as armas que tinha disponíveis. Havia cenários em 2D e em 3D, e cada fase terminava com um chefe, que precisava de um pouco mais de esforço para ser vencido.
O quinto nível consistia em Batman dirigindo o Batmóvel para perseguir uma gangue num van fortemente armada, e o Batmóvel usava uma arma poderosa para atirar. As críticas ao jogo foram positivas, a despeito de alguns comentários sobre sua falta de originalidade. Os gráficos, sons e controles foram o motivo dos elogios. Na versão do NES, o jogador só tinha uma barra de vida, que podia ser expandida através de itens encontrados no cenário. Havia um sistema de save com senha. A versão de Mega Drive/Genesis eram mais ou menos idênticas, mas a edição do CD também continha um CD de áudio com animações da arte do jogo, e alguns níveis de corrida em 3D. A versão para Atari Lynx era em 2D, com alguns dos melhores gráficos para Atari já disponíveis. Esse jogo foi conhecido por ser um dos mais difíceis até então. A versão para PC, publicada pela Konami, era considerada um jogo de aventura porque também misturava elementos de estratégia e RPG.
A versão para Amiga foi controversa porque trazia um bom número de bugs, e era praticamente impossível de jogar.

“Batman: Return/Revenge of the Joker” (1992)

Desenvolvedora: Sunsoft / Ringler Studios (Genesis)
Designers: Naoki Kodaka, Nobuyuki Hara, Shinichi Seya (NES) / Tommy Tallarico (Mega Drive) / David Whittaker (SNES)
Plataformas: NES, Game Boy,Sega Mega Drive/Genesis

600full-batman--revenge-of-the-joker-cover“Return” é o título para NES e Game Boy, enquando “Revenge” é o título para Sega/Genesis. O roteiro começa com Coringa escapando do Asilo Arkham, e tentando deixar Gotham no caos. O modo de jogo é basicamente scrolling lateral com várias técnicas de pulo, defender-se de inimigos e chefes e impedir que Gotham seja tomada pelo Coringa.
Os gadgets de Batman são um cinto de utilidades que o permite coletar ícones ao longo dos estágios. Ele é armado com vários tipos de batarangues e projéteis (exceto na versão de Game Boy, que possuía apenas um batarangue). Era possível fazer power-ups das armas em caixas ao longo dos níveis, e também coletar energias. Os chefes possuíam uma inovação em relação aos jogos anteriores: ao invés de Batman perder energia por um sistema de “barras”, energia ia diminuindo por pontos, aumentando a variação possível danos ao levar golpes dos chefes.
Os níveis eram compostos de uma fase na neve, um trem em movimento, uma base militar, torres de observação… Dois níveis específicos requeriam que você corresse e evitasse explosões ao longo dos carros que pegavam fogo nos níveis. Batman também precisava usar um jetpack em algumas missões.
A versão para console possui um ponto de save com senha, para voltar ao ponto em que se parou no jogo; e na versão para Game Boy era possível selecionar um nível no começo do jogo.

“The Adventures of Batman & Robin” (1994)

Desenvolvedora: Konami (SNES), Clockwork Tortoise (Mega Drive/Genesis e Mega-CD/Sega CD), Novotrade (Game Gear)
Designers: Jesper Kyd (Mega Drive/Genesis)
Plataformas: Super NES,Mega Drive/Genesis,Mega-CD/Sega CD,Game Gear

Adventures_of_Batman_and_Robin_SNESNesse jogo, boa parte dos vilões de Batman aparece: Coringa, Hera Venenosa, Pinguim, Mulher-Gato, Duas-Caras, Espantalho, Charada, Cara-de-Barro, Arlequina e Homem-Morcego. Alguns personagens aparecem para dar um suporte ao Morcego: Alfred, o Comissário Gordon e Bárbara Gordon.
O jogo consiste em um jogo de corrida e tiro onde Batman e Robin precisam parar o Senhor Frio, que planeja congelar Gotham. Para impedir que a Dupla Dinâmica o encontre facilmente, Frio liberta Coringa, Duas-Caras e o Chapeleiro Maluco do Arkham, cada um com sua fase: Coringa rouba diamantes de Gotham, Duas-Caras planeja invadir Gotham de avião e o Chapeleiro Louco está criando um exército de robôs para atacar a cidade.
É possível duas pessoas jogarem simultaneamente; um com Batman e um com Robin. Os dois personagens são equiparados em poder de fogo, usam batarangue, maças ou shurikens para longos ataques. Existem quatro níveis que consistem em diversos estágios. Em alguns níveis é possível controlar aviões também.
Foi considerado um jogo difícil de se completar, mas um portfólio interessante dos feitos visuais e sonoros que o Mega Drive e o Genesis possuíam até então.

Continuar lendo

Anúncios