#57 – Um Conto de Batman: Neve (Sr. Frio)

Olá, queridos!

Hoje o Batman Guide vai esfriar. O personagem de hoje já protagonizou um dos filmes do Batman, e também foi um dos chefes do jogo “Batman – Arkham City” (numa fase que para mim foi particularmente difícil, mas esse é assunto para um post futuro).
Na HQ de hoje somos apresentados ao jovem Victor Fries, um pesquisador brilhante, que tinha uma vida quase perfeita. Mas isso não poderia durar para sempre. Uma tragédia se abate sobre ele. Vamos conhecer essa história, e acompanhar sua lamentável trajetória até se tornar o terrível Senhor Frio.
Essa minissérie saiu na coleção “Lendas dos Cavaleiros das Trevas”, e se chama “Um Conto de Batman: Neve” (Snow, roteiro de J.H. Williams III, Dan Curtis Johnson e arte de Seth Fisher, 2005)!

Line02

001Começamos com a perspectiva de Alfred sobre os hábitos noturnos de seu patrão. Algumas (raras) noites de Batman são tranquilas, e ele pode se dar ao “luxo” de dormir por 6 horas. Na maioria delas Batman está cumprindo sua missão de se dedicar à justiça em Gotham. E por todos esses anos, os instantes que precedem a chegada de Alfred à Batcaverna são de grande ansiedade para ele – por não saber o estado em que o patrão se encontraria. Ele quase sempre está lá, inteiro. Mas não hoje. Alfred o encontra ensanguentado, quase desmaiado. Nas palavras do mordomo, “todo furado” de balas. Cuida dele por essa noite e, no dia seguinte, Batman já está fazendo suas anotações costumeiras. Insiste para que o patrão descanse, ao que Bruce nega, e então Alfred ralha com ele por tentar fazer coisas demais. Ele pergunta se Alfred acha que ele está fazendo coisas além do que realmente consegue. A resposta? “A menos que o senhor tenha desenvolvido alguma habilidade nova que esteja escondendo de mim, eu suspeito que o senhor não possa estar em todo lugar ao mesmo tempo.”

002O estado em que ele chegou na noite anterior se deveu a um embate com a gangue de Pedro Scott, alguém de quem poderia ter obtido informações – se ele não tivesse fugido enquanto Batman lutava com sete homens ao mesmo tempo. Interessante observar, nesse ponto, que segundo a história Batman estava há apenas um ano e meio no “cargo”, então estamos falando de um Batman cheio de energia, obviamente ainda sem 100% das técnicas que desenvolveria com o tempo, mas ainda totalmente esperançoso com seu trabalho. Harvey Dent ainda não havia se transformado em Duas-Caras, e ele e Gordon eram a esperança de Bruce em uma limpeza total de Gotham. Não há traços do desânimo que demonstra em missões feitas anos depois.

“- Pare de se preocupar tanto, Alfred. Nós somos mais do que páreos para os problemas de Gotham.
– Supondo que os problemas permaneçam os mesmos…”

Essa frase de Alfred parece ser quase uma previsão do que vem a seguir na vida do Morcego.

003A seguir, somos levados a um casal que parece saído de comercial de margarina da televisão. Um íntegro homem, uma bela mulher, uma casa notável. Ele é Victor Fries, um pesquisador renomado, interessado em alta tecnologia e prestes a ser promovido a gerente. Apenas dois problemas surgem nesse percalço: ela está com alguns tremores no corpo, e eles ainda não tem um filho. Mas precisamos concordar que esses dois problemas tem soluções bem evidentes: o primeiro certamente deve se tratar de algum problema de saúde leve, que pode ser solucionado com alguns analgésicos, e o segundo, bem… É realmente fácil de resolver, não é?
004Uma vida perfeita. Como Fries define: “Alguns dias são bastante bons. Mas outros são ainda melhores.” O pesquisador está trabalhando em um projeto relacionado à criogenia, o estudo de temperaturas muito baixas, técnicas para sua produção e as propriedades específicas a elas associadas. Quando questionado por um dos pesquisadores se não poderia ser uma arma, Fries é categórico: ela é apenas um dissuador, algo para evitar que outros países tenham intenções bélicas. Mas essa idéia parece não ser compartilhada pelos seus superiores. Quando informado pela diretoria da empresa Neodigma de que o exército faria algum uso militar (e, portanto, perigoso) ao seu invento, Fries se opõe com veemência. Recebe um ultimato de seu chefe: ou ele continua a desenvolver o projeto, ou eles continuarão o projeto sem ele. Em meio a isso, ele recebe uma ligação: uma emergência acontecera com sua esposa.

Segundo banco de Gotham. Um maluco está mantendo alguns reféns dentro do banco, já efetuou alguns disparos, quer matar as pessoas de lá. Como é hábito de sua profissão, Gordon prossegue com as negociações. Batman, nem tão paciente, invade o local, deixa ao atirador desacordado e torce sua arma. Gordon não gosta nem um pouco disso: essa não é a tática certa, e avisa isso a ele. Batman ignora e diz que precisa das fichas relativas à gangue de Scott. E Gordon fica tão nervoso que literalmente solta fumaça pelos ouvidos.

Gordon

005Voltamos ao casal Fries. Nora, a adorável esposa, é diagnosticada com a doença chamada “Coréia de Huntington” (ou doença de Huntington). Vamos checar o que a ABH – Associação Brasil Huntington pode nos dizer sobre essa doença.

“A Doença de Huntington (DH) é uma desordem hereditária do cérebro que afeta pessoas de todas as raças em todo mundo. […] Originada da palavra grega para “dança”, coréia se refere aos movimentos involuntários que estão entre os sintomas comuns da DH. […] A DH é uma doença degenerativa cujos sintomas são causados pela perda marcante de células em uma parte do cérebro denominada gânglios da base. Este dano afeta a capacidade cognitiva (pensamento, julgamento, memória), movimentos e equilíbrio emocional.”

É uma doença bastante grave. Os médicos oferecem ajuda e terapia para Fries, mas ele recusa, raivosamente. Ele quer resolver sozinho.
De volta ao Morcego, ele está conversando com Harvey Dent sobre o caso de Scott. Dent também reprime o “show” que Batman dera no banco no dia anterior, e o fato de ter arrombado sua sala para ler a ficha de Dent. Como Batman mesmo diz, ele e Gordon estão amarrados demais à burocracias e detalhes processuais. Ele precisa de companheiros novos para trabalhar.

E então nos deparamos com um cenário BEM estranho: Batman realizando entrevistas de emprego para encontrar um novo companheiro. Olha só, daria para fundar uma “Wayne Agência de Empregos”, o slogan seria “Não garantimos sua sobrevivência, mas pagamos bem”. São 5 candidatos:

1. Gerald Van Daalen, um ex-boina verde (membro da Força Especial do Exército Americano, a organização especializada do arsenal militar dos Estados Unidos) expulso por ter sido um bode expiatório de um escândalo num escalão superior ao dele;
2. Amy Ross, uma analista forense do FBI à procura de um trabalho com adrenalina e aventura;
3. David Ruben, expert em eletrônicos, mas sem qualquer vida social;
4. Mira Charan, autora de livros revolucionários sobre psicologia do comportamento criminoso que não foram bem aceitos pela comunidade acadêmica, e que teve que se limitar a escrever livros populares;
5. Luiz Diaz, um ex-presidiário que não consegue encontrar emprego e que não é bom em nada além de ser criminoso. (Nesse momento dá pra ficar curioso sobre o que Batman quer contratanto o homem para ser um batedor).

006

Um público bastante diversificado, é verdade. Mas segundo Batman: “Eu darei a eles o que querem, e eles… Eles me darão o que eu quero.” E se o Morcego disse, quem sou eu para contestar.
Na primeira teleconferência das pessoas convocadas com Batman, fica claro o aproveitamento que o Morcego fez das habilidades de cada uma das pessoas recrutadas, e podemos entender para que o perfil de cada um será útil.
Diaz irá procurar evidências do tema pesquisado. A doutora Charan será a investigadora profissional, e traçará o perfil psicológico/motivacional daqueles que perseguirão. A srta. Ross ajudará nas pesquisas e nas análises forenses (com um laboratório patrocinado por Wayne). Ruben trabalhará na vigilância e para providenciar as ferramentas tecnológicas avançadas à equipe. Van Daalen proverá apoio durante as operações e agirá quando necessário. A recomendação é de que nenhum deles faça uso de armas de fogo, muito menos matem alguém. Eles deverão comparecer às teleconferências periódicas e seguir estreitamente um relatório que Bruce preparou contendo as expectativas que tem para cada um deles. Todos começam a trabalhar com afinco. Batman está atrás de Peter Scott. A equipe de investigação descobre que o criminoso está tentando comprar algo, intermediando algum tipo de negócio. Eles conseguem identificar lugar e local em que essa compra será feita. É hora de agir.

Continuar lendo

Anúncios