#15 – Batman: Equilíbrio & Batwoman #00

Olá!
Essa postagem demorou um pouco porque estive pensando em qual HQ postar, em nossa sequência “parceiros do Batman”. E decidi fazer algo diferente: postar duas HQs diferentes hoje.
Trataremos de dois personagens importantes. O primeiro você já conhece de outros carnavais em Gotham City: o mordomo que cuida de Bruce Wayne com zelo desde que ele perdeu seus pais, Alfred Pennyworth. E na segunda, falaremos de Kate Kane, a Batwoman – que utiliza métodos com os quais Batman não concorda plenamente.

#1 – Batman: Equilíbrio
(Batman: Legends of the Dark Knight Vol 1 #118 – “Balance”, junho de 1999, roteiro de Greg Rucka e arte de Jason Pearson)

Nessa HQ, temos Alfred narrando um “conto” a algumas crianças – e é um conto que ele mesmo protagoniza. O que ele conta às crianças é a de um fiel escudeiro esperando pelo retorno de seu nobre cavaleiro. Mas essa história é uma metáfora para o momento em que Batman e Robin precisam fazer uma longa viagem de três meses e deixam Gotham aos cuidados de Alfred – o mordomo fiel aos pais de Bruce e que continua seu trabalho na casa ao longo dos anos, observando o crescimento de um homem empenhado em fazer justiça. Nesse período de três meses, o mordomo se empenha em reunir informações úteis, gerar entretenimento para as pessoas e cuidar da população desamparada que Batman precisou deixar para trás. E isso inclui distrair pessoas com suas habilidades teatrais, salvar bebês e liberar um grupo de pessoas que estava sendo escravizada.
Essa edição se chama justamente “Equilíbrio” porque nela podemos perceber a relação existente entre Alfred e Batman: a de cavaleiro e seu fiel escudeiro, que nunca o abandona, seja para curar as feridas provocadas por estilhaços ou por dar-lhe uma bronca porque não anda dormindo o suficiente. Eles se equilibram e contrapõe o que falta um no outro.

No fim da HQ, temos o retorno oportuno de Batman, na hora certíssima para evitar que alguma coisa muito ruim acontecesse a Alfred. E percebemos que o Cavaleiro das Trevas não conseguiria proteger os cidadãos de Gotham sem seu fiel ajudante, um velhinho com metade do seu tamanho, mas com bravura o suficiente para dois batalhões.

#2 – Batwoman #00
(Batwoman #00, roteiro de Haden Blackman e arte de J. H. Williams III, 2010)

Kate Kane é uma socialite demitida do serviço militar por ser lésbica. Em um encontro casual, depara-se com Batman – e encontra uma nova vocação na vida, ser a Batwoman.
A HQ de hoje faz parte dos Novos 52 (acalme-se, vai ter um post explicativo sobre isso em breve), e ela apresenta a personagem sem um roteiro muito aprofundando: temos Bruce Wayne se fantasiando de várias formas diferentes para descobrir se Kate Kane é, de fato, a Batwoman. Mas essa suposta simplicidade de roteiro não é um ponto fraco na obra: você vai descobrir a arte de J. H. Williams III, que é uma das coisas mais sensacionais que estes meus olhos míopes tiveram o prazer de ver.

Apesar de eu tê-la incluído no hall de “parceiros do Batman”, não é exatamente assim que funciona porque, para Batwoman, ele não passa de uma inspiração. Ele não é uma obsessão, não é um amor platônico, um tutor, um inimigo mortal com quem disputa ou seu escudeiro; tampouco ela foi treinada por ele, ou recebe algum tipo de apoio. Ela é uma mulher forte, independente, disposta a praticar a justiça & combater o crime da forma que ela mesmo crê ser certa, com financiamento próprio.  Isso, claro, não implica que ela seja perfeita: Batman vai descobrindo seus erros, alguns pontos a serem melhorados nela.

Em resumo, essa HQ vai introduzir essa personagem de uma maneira forte e incisiva, e você via descobrir melhor quem é essa ruiva forte que empenha seus dias em proteger Gotham City da maneira que sabe e que acredita ser justa.

Baixe as duas HQs, são curtas – você vai ler bem rápido e ainda vai se surpreender com a arte de Batwoman.

Continuar lendo

Anúncios