#56 – Mr. Zsasz: Vítimas

Olá!
O vilão de hoje já apareceu por aqui algumas vezes. Ele também apareceu no jogo “Batman: Arkham City”, em missões paralelas pela cidade. Mas a HQ de hoje vai ser só sobre ele. Um homem insano, cruel, frio, que usa uma faca para matar – e que na maioria das vezes mata sem motivação nenhuma, puramente pela sua sede de sangue. Não segue um padrão. Apenas mata. E com um detalhe sórdido: para cada vítima que faz, deixa um corte na sua própria pele.
A HQ de hoje se chama “Vítimas”, e foi publicada em duas partes na Detective Comics – números #815 e #816.

Line2

001Começamos a HQ com uma cena muito forte. Um dos únicos amigos de Batman relata o que sentiu no momento em que estava sendo esfaqueado por um homem careca, de terno e gravata. E então somos levados para os acontecimentos de dois dias atrás.
O cenário é o asilo Arkham. Há um homem sendo levado pelos guardas. Mas o apetrecho utilizado para levá-lo nos mostra que não se trata de um prisioneiro “comum” (guardadas as devidas proporções para o termo “comum”, já que estamos falando do Asilo Arkham): ele é guiado por uma coleira com barras para mantê-lo afastado dos guardas. Entretanto, aproveitando de um pequeno momento de distração dos guardas, a caneta de uma psicóloga caindo no chão, ele consegue dominar e matar todos eles com as próprias barras de ferro. Uma cena forte. Zsasz não usa de artifícios lúdicos, enigmáticos ou simbólicos para cometer seus crimes; ele apenas mata, por puro prazer, e sem prelúdios. Talvez seja o momento de falarmos um pouco mais sobre a história desse personagem.

002A história dele está numa HQ que saiu na série mensal da Abril, mas como não consegui achá-la digitalizada, vou contá-las para vocês. (Se alguém achá-la, por favor, me avise; é a Batman 5ª série #10, de 1997). Mr. Zsasz era um homem de 25 anos que, como poucos jovens prodígio, já estava realizado. Era gerente de sua própria multinacional e mantinha uma grande fortuna em seu nome, que, somada àquilo que sua família também rica já possuia, fazia dele um homem de status. Mas uma tragédia se abate sobre seus pais: eles morrem num terrível acidente de barco. Zsasz não sabe como lidar com isso. Ele acaba se viciando em jogos de aposta ao redor do mundo, e assim, lentamente, vai perdendo todo o império financeiro que possuíra. Ao mesmo tempo, uma depressão profunda se abate sobre ele. Acaba perdendo o pouco que tinha para Pinguim. Esse cenário de profundo vazio existencial, somado ao fato de que ele não conseguia enxergar nenhuma motivação para prosseguir com sua vida, ele opta pelo suicídio.
Mas devemos lembrar que ele está em Gotham, não é? E quando ele está prestes a se jogar de um prédio, um mendigo tenta assaltá-lo com uma faca. Ao conseguir dominar o sem-teto e pegar a faca dele, ele enxerga uma nova possibilidade para sua vida: dar sentido a ela através da morte. Ele esfaqueia o homem, como forma de libertá-lo de uma existência inútil, uma existência de zumbi. E para cada vítima, decide fazer um corte no corpo.

003Voltando para “Vítimas”, Batman comparece ao Asilo Arkham para checar as evidências do crime cometido por Zsasz, que conseguiu fugir. E, como não poderia deixar de ser, a Polícia de Gotham está tratando Batman como um inimigo novamente – sem perceber que, desde o início, Batman é imprescindível para a segurança da cidade. Ele coleta algumas evidências e vai para casa com certa urgência, já que seu fiel escudeiro Alfred o lembrara de um evento de caridade na mansão Wayne, ao qual ele já havia prometido comparecer.
Então, novamente, temos um pulo no tempo e estamos vendo Bruce dando os primeiros socorros ao seu amigo que foi esfaqueado… Alfred. Mas o ferimento é grave, e a vida do mordomo corre risco a cada segundo que ele passa longe do hospital. Bruce não tem dúvidas: coloca Alfred num carro adapto com nitroglicerina e o leva rapidamente para o centro da cidade. Nessa parte temos um trecho que nos dá uma pequena demonstração do humor sempre inteligente e ácido de Alfred:
N00

005Após deixar o mordomo sob cuidados médicos, Bruce vai ter uma conversa com o comissário da cidade (que nesse momento não é Gordon). O Departamento Policial de Gotham está divulgando a informação de que Alfred está morto, com medo da possível retaliação de Zsasz quando descobrisse que uma de suas mortes não havia sido efetivamente concretizada. O mordomo está seguro… Ou não. Afinal, Zsasz está solto e a Polícia de Gotham também está atrás de Batman. Bruce Wayne decide agir e convocar uma coletiva de imprensa onde afirma: Alfred Pennyworth está vivo. A informação cai diretamente nos ouvidos de Zsasz que, como era de se esperar, decide que precisa concluir o que começou.

A Polícia não entende o objetivo de Bruce com essa divulgação, mas de fato fica muito feliz com ela – porque sabe que, quando Zsasz der as caras, Batman também dará, e ela poderá prender os dois de uma só vez. Estão todos a postos ao redor do hospital onde Alfred está internado. Os policiais recebem a seguinte orientação: quando virem Zsasz, o sinal dado será “Código Preto”; quando virem Batman, “Código Vermelho”.
Zsasz aparece, e domina um policial. Batman também aparece. E captura Zsasz antes que o policial seja morto.

Code

004O Morcego leva Zsasz para um prédio alto, onde começam uma daquelas memoráveis conversas entre Batman e alguém que adoraria destroçá-lo com as próprias mãos. Questiona o fato de Zsasz ter conseguido entrar na festa de caridade promovida por ele; o vilão simplesmente matou um dos convidados da festa e roubou seu convite. Como eu disse quando contei sua história, chegando lá ele vê um monte de “zumbis” cuja existência não tem significado, e decide dar a eles um rumo. Batman caçoa do fato de que Zsasz não conseguira matar um simples e indefeso velhote. Furioso, o vilão parte para cima de Batman, que o manda pela janela, diretamente para o meio do trânsito caótico de Gotham.
#02

Continuar lendo

Anúncios