Sorteio de Aniversário #1 – Pen drive de 8GB do Batman com TODAS as HQs do Batman Guide!

E chegou a minha vez de presentear vocês!
Deu trabalho escolher algo bacana porque é tanta coisa interessante e que vocês merecem… Não seria fácil escolher um presente só. Queria algo que fosse útil e interessante relacionado ao próprio Morcego.
Então decidi que seria esse pen-drive em formato de Batman!

PenDriveBatman_001 (1)
Eu tenho um desses desde o ano passado, e é nele que eu levo os arquivos do blog para editar, ler, escrever e upar. Com capacidade nominal de 8GB, esse pen drive utiliza a interface USB 2.0 e sua compatibilidade é com todos os sistemas operacionais.

Você poderá utilizá-lo no seu dia-a-dia para armazenar todos os tipos de arquivos: fotos, vídeos, imagens, documentos, músicas. Ele é feito de material emborrachado, que previne quebras em eventuais quedas e colisões. A tecnologia Plug & Play garante que você não precise instalar nenhum driver para esse dispositivo rodar: é só plugar e o pen drive começará a funcionar. As dimensões são de aproximadamente 4,0cm x 3,0 cm x 2,0cm e ele pesa 25 g.

E sabem qual é a melhor parte? Ele vem com todos, eu disse TODOS os downloads do Batman Guide até aqui! Você vai ter todas as HQs que postamos, incluindo os Especiais! Dá uma olhadinha no que te aguarda:

HQs Batman Guide

E é claro que você não vai deixar de se inscrever, né?
O formulário tá ali embaixo! Não se esquece de ler o regulamento, ok?

Continue lendo

Sorteio de Aniversário #2 – Camiseta Batman & Robin!

O Augusto, um dos autores do blog, começou aqui como um sidekick; escrevia textos de vez em quando, e cobria os períodos em que eu estava muito atribulada com as coisas cotidianas. Hoje em dia ele é meu braço direito aqui no Batman Guide. Então nada mais justo do que um presente relacionado ao Robin! Desde já eu agradeço pela disponibilidade e pela ajuda com a organização dessa semana de sorteios, por ter me aguentado planejando as coisas com 3 meses de antecedência e pela enorme boa vontade de sortear esse presente aqui!
E, amigos, que presente mais bacana.
Até eu queria ganhar: uma camiseta de Batman & Robin!

Preto

Essa camiseta é confeccionada em malha 100% algodão de excelente qualidade, e essa estampa magnífica da Dupla Dinâmica na sua fase da Era de Prata é feita em silk screen; ou seja, essa estampa tem uma textura lisa e brilhante que não vai desbotar ou rachar quando for lavada!
O ganhador vai poder escolher entre as três cores disponíveis: preto, vermelho-escuro (bordô) ou azul-escuro; poderá escolher também o tamanho dela, dentre feminino PP, P, M, G ou GG, ou masculino PP, P, M, G ou GG.

Quer ganhar essa camiseta super bacana? Dá uma lida no regulamento e se inscreve aqui embaixo!

Continue lendo

Sorteio de Aniversário #3 – Caneca do Coringa e HQ “Coringa” do Brian Azzarello!

O sorteio de hoje é tão sensacional que até eu queria participar! Mas é claro que não poderíamos esperar menos do dono do MELHOR blog de scans do Brasil, o Coringa-Files!
O Jair, que há 5 anos é o criador e administrador do Coringa-Files, foi um dos grandes responsáveis por impulsionar o então desconhecido Batman Guide ao patamar que tem hoje. Sem sombra de dúvida eu devo muito à ele! Que pessoa maravilhosa ele é. Eu tive sorte de cruzar o seu caminho <3

E como prova de sua generosidade, o sorteio de hoje é DUPLO! Ambos os itens são, como você deve imaginar, relacionados ao Coringa! Vamos ver?

Caneca do Coringa

Feita de porcelana, essa caneca é um produto oficial e licenciado da DC Comics! Com capacidade para 300 ml, ela pode ir tanto no microondas quanto no lava-louças. Vai ficar sensacional para você usar em casa, no trabalho, no escritório, com o vilão mais famoso de todos os tempos!caneca-dc-comics-coringa-1000x1000

Caneca-Porcelana-DC-Coringa-300-ML_1 Caneca-Porcelana-DC-Coringa-300-ML_2

(Atenção: recomendamos que você não use essa caneca para fins malignos como o Coringa faria, como tentar espalhar algum vírus mortal no reservatório da cidade ou bater na cabeça do Robin com ela)

Especificações técnicas:
Altura: 9,5 cm
Largura: 11 cm
Comprimento: 8,5 cm
Peso: 0,42kg

.

HQ “Coringa” do Brian Azzarello

Eu já falei sobre essa HQ aqui no Batman Guide; clique aqui para relembrar. Naquela época tratava-se de uma edição esgotada, impossível de se encontrar. Logo que foi lançada já se tornou uma obra icônica do Coringa, com o roteiro impecável de Brian Azzarello e a arte magnífica de Lee Bermejo, e esse esgotamento era inadmissível.
Percebendo essa grave falha, no começo desse ano a Panini relançou essa verdadeira obra de arte, tornando-a um item indispensável para qualquer colecionador.
coringa_capa

Essa história traz uma abordagem mais “humana” ao Coringa, e inova ao mostrar quase que em sua totalidade o ponto de vista do Palhaço – e não de Batman. No dia de sua libertação do Asilo Arkham, onde estivera enclausurado devido às suas mais recentes atrocidades contra Gotham, ele percebe que perdeu o seu território no submundo do crime. E ele precisará reconquistá-lo, abatendo a todos aqueles que ousarem se colocar em seu caminho – inclusive Batman, o guardião da cidade e seu maior inimigo.

 Quer saber como concorrer a esses dois incríveis presentes? Dê uma olhada no regulamento abaixo!

Continue lendo

Sorteio de Aniversário #4 – Caderno tipo Moleskine da Batgirl!

O sorteio de hoje é um presente do queridíssimo Leandro Ernani, que tem me ajudado a cuidar da página do Batman Guide no Facebook! Ele começou como um leitor e comentarista assíduo do blog, sempre presente com seus comentários construtivos, apreciando o nosso trabalho e o nosso esforço; até que, para minha sorte, aceitou meu convite para integrar nossa equipe!

Desde então ele tem sido responsável por movimentar a página, postar novidades, interagir com os leitores, relembrar posts antigos, me dar excelentes sugestões, enfim… Foi uma grata surpresa para esse ano de 2014! Obrigada por tudo, Leandro!

Agora vamos ver o que sorteio do dia de hoje?

Essa caderneta tipo Moleskine é um produto licenciado e oficial da DC Comics!
Ela é perfeita para qualquer tipo de anotações, rabiscos, ilustrações, receitas, desenhos, colagens, seus próximos atos malignos (no caso de você ser o Coringa), idéias mirabolantes para destruir o mundo (no caso de você ser o Ra’s Al Ghul), etc., ao longo das suas 100 folhas lisas (não-pautadas).

Caderneta_Batgirl

Caderneta
Esse caderninho tem uma fita de cetim para marcar as páginas e também um elástico embutido para fechar sem amassar nada por dentro. E, claro, com essa linda capa em papelão rígido com a Batgirl no melhor estilo vintage!
Eu ganhei um desse de presente no ano passado da minha querida amiga Alice e desde então é o meu xodó, e eu levo pra todo canto 

Especificações técnicas
Material: Papel
Altura: 9,5 cm
Largura: 10 cm
Comprimento: 1,4 cm
Peso: 0,2kg

Para concorrer a essa linda caderneta, é fácil; é só seguir o regulamento abaixo!

Continue lendo

Sorteio de Aniversário #5 – HQ “Mulher-Gato: Cidade Eterna”!

Olá!
A HQ que será sorteada aqui é um oferecimento do Nihil, dono do Nihil, Fuck!, um blog de conteúdo adulto, entretenimento e humor em geral, literatura e filosofia. Ele foi o primeiro parceiro do Batman Guide e é meu amigo pessoal.
O título original dessa história é “When in Rome”, uma referência à expressão popular “When in Rome, do as the Romans do” (“em Roma, faça como os romanos”), e aqui recebeu o título de Cidade Eterna. Nomes como Jeph Loeb e Tim Sale (de “O Longo Dia das Bruxas” e “Vitória Sombria”) já nos dão a indicação de que se trata de um material que já nasceu para ser um clássico.

CAPA

Selina Kyle já cruza os céus de Gotham como Mulher-Gato há alguns anos, mas o clima sempre tão tenso da cidade está deixando a ladra cansada. Então, ela decide tirar produtivas férias e vai para a Europa, mais especificamente para Roma, tendo Edward Nigma (o Charada) como seu sidekick e ajudante pessoal. Mas como ela não consegue manter suas mãos (ou patinhas?) longe da confusão, logo acaba se envolvendo com a família mafiosa dos Falcone – que você já conheceu no Longo Dia das Bruxas. Conseguirá ela se safar mais uma vez das garras de uma cidade tomada pelo crime e dos perigos que ela oferece?

Quer ganhar essa HQ? Saiba como concorrer lendo o regulamento abaixo!

Continue lendo

Aniversário de 2 anos do Batman Guide – SEMANA DE SORTEIOS!

2Jessica2
Olá queridos!
Alguns de vocês já viram no Facebook do blog que eu estive anunciando uma surpresa por aqui, né? Então, é chegado o momento de contar para vocês a novidade que eu e os parceiros do blog viemos planejando desde janeiro!

No dia 30 de abril de 2014, o Batman Guide completa DOIS anos! O que começou como um projeto simples de uma fã incondicional do Morcego se tornou uma notável database da cronologia dos quadrinhos do Batman!
Você estava aqui no nosso primeiro aniversário? Senão, vamos dar uma recapitulada através do post do Sorteio que fiz na época: em abril de 2013, eram 57 posts, 617 comentários, 4 sorteios, 748 likes na página do Facebook, 197 seguidores doTwitter do blog.

Pois então, agora contamos com os seguintes números: 154 posts, 2.324 comentários, 7 sorteios, 5.490 likes na página do Facebook, 477 seguidores doTwitter do blog…

Quanta coisa em um ano, não acham?

E para expressar minha gratidão diante desse retorno tão expressivo, preparamos essa surpresa magnífica para vocês, que, já de antemão adianto, não teria sido possível sem os caros amigos Augusto, Leandro, Nihil e Jair!

E que surpresa é essa?

Uma semana inteira de sorteios!
Sim, você leu certo… Serão 5 dias de sorteios aqui no Batman Guide!

A cada dia, vamos sortear um item diferente! E cada um desses itens representará um dos principais personagens relacionados ao universo Batman! Não é magnífico? Você tem 5 chances de ganhar e receber um maravilhoso presente do Morcego direto na sua casa!

Vocês felizes com os sorteios do Batman Guide

Então, daqui pra frente fiquem bem espertos… Daqui a alguns dias abriremos as inscrições para o primeiro sorteio!

Até mais e boa sorte!

TODOS os links consertados!

1

Há tempos o Mediafire andava dando sinais de decrepitude; apagando pastas, bloqueando links com alto número de acessos, limitando downloads… Ao perceber isso, desde maio do ano passado comecei a usar o 4shared e o MEGA nos posts. Mas faltava uma coisa essencial: migrar TODOS os links de downloads antigos para os novos servidores.
Como alguns de vocês devem imaginar, isso não foi uma tarefa fácil. Implicaria em gerar mais de 50 novos links em DOIS servidores, alguns downloads com mais de uma HQ – e alguns com mais de 1 GB de tamanho – em uma conexão doméstica. Depois, fazer a substituição manual dos links, post por post, no 4shared e no MEGA, conferir, dar baixa numa planilha…


É a boa notícia é que eu fiz isso!
Todos os links para download agora estão hospedados tanto no 4shared quanto no MEGA, e você pode escolher onde prefere fazer download :D


Isso não quer dizer que nada possa sair do ar de uma hora pra outra. Falhas podem acontecer, posso ter deixado algo passar na revisão.
Nesse caso, conto com a boa vontade de vocês para me avisar quando um link estiver fora do ar, deixando um comentário aqui no blog, e aguardando até que eu tenha tempo hábil para upá-lo de novo – principalmente se for um arquivo grande.

E, por favor, sejam gentis nos comentários. Recebi alguns pedidos de troca de links um tanto quanto grosseiros e bem diretos… Lembrem-se que esse é um site que faço com carinho e MUITA dedicação de forma totalmente voluntária, então sejam bonzinhos para que as coisas sejam sempre cordiais, ok?

Então é isso! Espero que vocês gostem!
Obrigada por acessarem o Batman Guide e divirtam-se! E fiquem espertos porque em breve tem uma surpresa aqui no blog, algo que vocês nunca viram antes!

O 4shared tem restrição para upload de arquivos com mais de 200 MB.
Arquivos maiores que esse estarão disponíveis somente no MEGA.

Eu

Eu depois de terminar de consertar todos os links do Batman Guide

#95 – Batman: Espelho Sombrio


“Lembro que uma vez perguntei ao meu pai o PORQUÊ. O que tornava Gotham tão especial? E o meu pai olhou pra mim e disse: ‘Alguns lugares tem uma fome em si, filho. E ou você os alimenta com o que querem… Ou você fica longe, muito longe deles.’”


OIá!
A história de hoje foi publicada inteira pela Panini em duas edições de “Sombra do Batman” (#18 e #19). No original, foi um dos últimos da série Detective Comics antes do reboot, tendo saido nas edições #871 a #873. É uma história importante porque nos mostra até onde vai a loucura, mas não vinda dos fundos do asilo Arkham, e sim a loucura dos cidadãos normais, dos homens de terno e gravata que gerem a cidade, das senhoras que organizam as bibliotecas, dos professores, médicos e pessoas influentes de Gotham. E também porque nos introduz um personagem que aparecerá logo que começarmos a falar do reboot.

Senhoras e senhores, fiquem com “Espelhos Sombrios” (The Black Mirror, roteiro de Scott Snyder e arte de Jock, janeiro a março de 2011).

001A história começa com uma cena comum em filmes e livros americanos: um garotinho apanhando dos moleques mais velhos no vestiário de um colégio. Aliás, nunca vi nada nesses banheiros que não fosse gente apanhando, desconfio que essa seja a real finalidade deles. Enquanto isso, uma voz está contando sobre os procedimentos de sua família circense quando saiam para turnês e apresentações: eles marcavam as cidades que visitariam com alfinetes coloridos. Um alfinete azul significa uma apresentação mais modesta, sem grandes truques. Um alfinete vermelho significava arriscar mais, fazer shows maiores. Gotham estava marcada com um alfinete preto. Deveria ser um show sem limites. Sem redes de proteção, sem cabos, ir até o fim para entreter a cidade. Porque ela pedia por isso. Bem, o molequinho do começo da história arranjou um jeito bem sangrento de se defender dos vilões da escola.

002Como você já deve ter imaginado, o relato do menino circense vinha de Dick Grayson, olhando languidamente pela janela da Mansão Wayne. Ele reclama para Alfred que desde que Bruce voltou ele não se sente muito à vontade na Mansão. Alfred até se oferece para deixar o lugar mais com a cara dele, e acredito que isso envolveria pendurar alguns pôsteres de ruivas pela casa, mas ele se recusa. Porque as coisas que possui não encheriam uma parede da casa; ele não é, exatamente, o apego em pessoa.
O Comissário Gordon virá até o laboratório criminal e forense dentro da mansão para investigar um caso; oferecer o laboratório foi uma medida pensada por Tim como contrapartida para que a criação da Corporação Batman não ofendesse ao Departamento de Polícia de Gotham. Gordon veio investigar uma evidência do incidente ocorrido numa escola – o incidente com o menino que contei no começo do texto. Ele não confia no laboratório de análise da polícia porque algumas evidências tem sumido de lá, roubadas por alguém, possivelmente um policial em turno.
003A “transformação” pela qual o garoto passou foi causada por um hormônio mutagênico, um composto que lembra o que causou as mutações a Waylon Jones – o Crocodilo. O garoto que foi exposto a esse composto está em em coma induzido o hospital de Gotham. A família do pequeno é composta de um pai rico que não quer saber dele, uma mãe louca e de um mordomo que cuida dele como pai – a quem Dick vai fazer uma pequena visita, na pele do Morcego. Bom, o mordomo também não dura muito, assim como a mãe louca. Menos de 20 páginas e 3 pessoas mortas, essa edição promete.
Mas a mãe do menino não estava louca à toa. Tem um dedo nisso tudo, e é o dedo esquizofrênico de Jarvis Tetch, o Chapeleiro Louco, que esteve controlando a senhora à distância. Eles descobrem isso por um chip implantado no pescoço dessa senhora – mas esse chip, essa evidência, também sumiu da central de polícia de Gotham.
004Repare, nesse ponto da leitura, que o aparecimento de aves é uma frequente. Algumas páginas atrás tinhamos um casal de urubus, aqui tem uma outra ave que desconheço, o comissário vai fazer uma metáfora sobre um casal e os chama de “casal de pombinhos”. Em algum momento da HQ, um aviário controlado eletronicamente será aberto por um importante personagem.
Batman decide chegar na casa de Cullen Buck, um policial de Gotham. É no turno dele que andam sumindo as evidências policiais dos últimos casos de Gotham. Lá encontra um arsenal de armas em desacordo com o salário de um policial comum. Aliás, falando em arsenal, Batman anda com uns gadgets excelentes nos últimos quadrinhos; aqui, ele dispara um bat-taser acoplado à ponta do dedo! (Enquanto dá um sorrisinho maroto que me faria dormir um mês debaixo da minha cama em posição fetal, chamando pela minha mãe).

Taser

005Bom, exatamente por esse nível de intimidação é que o policial abre o jogo sobre quem está por trás dos últimos sumiços de evidências policiais em Gotham: um homem chamado apenas de “O mercador”, que comanda um lugar chamado Casa dos Espelhos, em que leiloa itens roubados relacionados aos mais notórios vilões da cidade. Bem, ele não tem tempo de falar muito: uma espécie de árvore venenosa brota de DENTRO dele, matando-o na frente do morcego.

Bom, é hora de ir atrás desse “Mercador”. E é bom ele se cuidar, porque quando o Morcego cola na sua, o mínimo que te acontece é você perder todo o trabalho que o dentista teve com você durante anos.

Continue lendo

#94 – O Cavaleiro das Trevas: Aurora Dourada

“Gotham sob a chuva. Sempre me faz pensar em meus pais. É como uma batida contínua no coração. É o momento em que você perde todas as coisas que não poderá ter de volta. Faz você valorizar a aurora dourada”.

Este era um post que eu estava esperando a hora de fazer. A saga “Golden Dawn” foi o arco de estréia do novo título da DC no início de 2012, chamado “The Dark Knight”. O título veio praticamente junto com o retorno de Bruce Wayne às histórias.
(Vocês podem conferir detalhes sobre todo o processo que Bruce Wayne sofreu lendo os posts “Crise Final”, “Descanse Em Paz”, “Descanse em Paz: O Capítulo Perdido”, “Últimos Sacramentos”, “O Tempo e o Batman”, “Estrada para Casa” e finalmente “Corporação Batman”, entre outros aqui postados).
A proposta da série “The Dark Knight” é o Batman sozinho. Vocês raramente (muito raramente MESMO) vão ver o Asa Noturna, ou Robin, ou Capuz Vermelho. No máximo o Alfred, porém dificilmente algum outro aliado. O foco é quase absolutamente o morcego SEM a Bat-família.
Essa é a primeira saga dessa série que já está circulando há anos, infelizmente numa decadência de artistas, mas em todo caso, ainda um título original.
Golden Dawn pra vocês, traduzido pela Panini como Aurora Dourada.

LINE

O artista principal é o David Finch, tanto no roteiro quanto nos rabiscos. A arte do sujeito é uma peça de luxo, quem dera ele estar desenhando tudo da série principal do morcego desde que o reboot começou. Sim, estou mesmo dizendo que nem o Greg Capullo com 5 clones dele próprio ajudando dão conta de fazer a arte do Finch.
E quem dera ainda ser o desenhista da Dark Knight atualmente. Essa série já mudou de desenhista 2 vezes até o presente momento, ao sair o Finch, entrou o Ethan Van Sciver, e após ele o Zsimon Kudranski. Nem juntando os dois faz um David Finch, mas enfim.
Acredito que de uns anos pra cá, se eu tivesse que citar três nomes que realmente AGRADARAM desenhando Batman, David Finch está entre eles. E considerando a DC atualmente, com os desenhistas que lá estão, arrisco a dizer que David Finch foi O desenhista do Batman atualmente. Melhor versão, na minha opinião.
Vocês que estão acompanhando e são detalhistas devem ter reparado que, quando o Bruce voltou, tinhamos dois Batman com o uniforme praticamente igual. As diferenças eram mínimas pros desatentos. O cinto de utilidades do Grayson era mais fino e tinha a “fivela” com formado de morcego, e as luvas do uniforme dele tinham aparencia de braceletes, com uma visivel divisão horizontal no meio do antebraço. Enquanto o uniforme do Bruce era o de sempre.
Mas com o inicio da Batman Inc., Bruce mudou de uniforme. O uniforme novo é algo bem próximo do que temos nos Novos 52. A cueca por cima da calça se foi, e como eu custei a acostumar com isso. Pra mim foi simples questão de costume, mas cheguei a ver comentários aí mundo a fora que diziam coisas como “dá a impressão que o cara tá sem roupa”.
Ok, fora a cueca, outra visivel mudança foi o simbolo no peito. Essa eu custei tanto a acostumar que eu REALMENTE não acostumei, e até hoje tô feliz de terem tirado isso pros Novos 52. O simbolo do Morcego preto estampado na blusa cinza adotado lá pelos anos 70, mudou pra uma versão moderna da velha elipse amarela. Isso ai, ao invés dos caras olharem um avião e pensarem em andar PRA FRENTE criando uma nave, não, eles olham o avião e colocam um par de turbinas num pterodáctilo. Uma vergonha, mas é opinião minha, claro.
Já expliquei meu ponto diversas e diversas vezes quanto a elipse amarela. Representa a fase abobalhada do Batman, a tal época em que os vilões só faziam armadilhas, toda exclamação do Robin começava com “Santa” e todos os golpes tinham onomatopéias tipo “SOC”, “POW” e “TUM”. Essa época ridícula até hoje parece estar tatuada na mente de metade do planeta.
Já não bastou trazerem de volta a elipse, ainda fizeram ela iluminada com algum tipo de energia. Tenho duas teorias, ou quiseram imitar a bateria Ark do Homem de Ferro, ou arrancaram o Batsinal do telhado do Departamento de Policia e puseram no peito do Bruce.
Tudo bem, a história do símbolo e da Incorporated mostra que a intenção dele foi justamente sair das sombras e transformar “Batman” em uma companhia de proteção do mundo. Privatizando a paz, como o Tony Stark, novamente. O Morrison é um sujeito genial, já comentei, né? Não? Deve ser porque nunca fiz isso.
Bom, eis o novo uniforme do Batman (uniforme este que também está presente no jogo “Arkham City” nas skins alternativas). O morcego retornou com tudo, e com tudo novo. Vamos então ao enredo/narrativa da obra. Farei as observações mais pertinentes sobre a arte ao longo do texto.
001A história começa no passado, na infancia de Bruce Wayne. Primeira linha de pensamento do Batman no primeiro quadro: “Dawn Golden”. Na segunda linha já fica explicado que trata-se de uma menina (que diabos a DC tem com ruivas…) que Bruce conheceu em sua infância. Aparentemente a menina é filha de outra familia da alta sociedade de Gotham.
Podemos ver Thomas Wayne mandando Bruce brincar com a menina no meio de um dos salões da Mansão Wayne enquanto ele próprio conversa com um homem chamado Aleister, provavelmente pai de Dawn. Bruce não gosta da tal garota.
Logo depois, os dois vão brincar do lado de fora da mansão. Que bela paisagem, a mansão ao fundo, as árvores, campo, rio… Quase um Eden. David Finch já começa a detonar com a concorrência só em desenhar a água do rio. Quem quiser conferir, olhe ali na parte mais a direita do rio, tem o reflexo marrom de uma árvore na água, imagem perfeitamente distorcida pelo movimento da água. Esse quadro foi um presente.
Bruce está com uma pipa que seus pais trouxeram de uma viagem, ele entrega pra Dawn brincar um pouco, e logo nos primeiros momentos ela solta a linha e deixa a pipa ir embora. Bruce revoltado (e ainda sem noção de que é um ricasso e que uma pipa não custa nem meio dólar) corre atrás de Dawn furioso, e ao tentar pegá-la, acaba tomando uma volta da menina, que o domina contra o chão.
Nesse momento ele notou que a menina não era “tão má” assim. Geralmente é o que acontece com qualquer homem quando uma ruiva bonita o joga no chão e monta nele. O flashback encerra por aí e então chegamos ao presente, mais exatamente no departamento de policia, onde temos Gordon e sua equipe. Descobrimos nessa parte que Dawn desapareceu e que não há pistas de onde está, nem de quem sequestrou.
002Cena seguinte, algum beco de Gotham em uma noite chuvosa (quase nunca viram isso, né?), mais especificamente uma porta em especial. O cenário está completo. A parede de tijolos que está feita de traços pretos na área iluminada e de branco na área sombria, os canos com sujeira e ferrugem, pixações, lixo, relógio de luz… Bem pensado nos mínimos detalhes.
As linhas de pensamento do Batman indicam que ele está na chuva, do lado de fora, esperando alguém que está lá dentro. Alguém que ele poderia ir buscar lá, mas que seria deveras mais dificil, pois pegar o cara sozinho do lado de fora já seria complicado o suficiente.
Quando o Batman afirma uma coisa dessas, de certo ele se refere a um meta-humano ou monstro, e não foi diferente dessa vez. Um grande homem de chapéu e casaco atira outro porta afora todo arrebentado, o grandão trata-se de Waylon Jones, o Crocodilo.
O rosto dele está um pouco diferente do usual, sem o “focinho”, crânio com formato muito mais humano, apesar da aparência muito mais próxima da de um réptil. Temos alguns bons detalhes no quadro do rosto do Croc se revelando. Olhem os dentes, dá quase pra imaginar a textura só de ver os baixo relevos, curvas e sombras empregadas.
003Croc sai no meio da chuva, e finalmente a imagem de Batman surge. Em meio a chuva (e que chuva bem feita, até com água escorrendo pelos canos), a única coisa iluminada é o novo logotipo do morcego no peito. Croc está usando uma versão genérica da “Veneno”, a droga que o Bane usa pra ficar mais louco que strogonoff de basalto (salve o Anônimo), ou seja, está mais forte que nunca. Nos jogos da série Arkham (Asylum e City) a venom tem nome de “titan”. Não façam confusão.
Batman está determinado a descobrir onde Dawn está. O morcego desce igual um zero (avião que os japoneses usavam na segunda guerra) kamikaze e entrou de pé esquerdo na lata feia do Croc. O oponente estava mais forte e veloz do que o esperado, podendo assim ainda atacar com sucesso o Batman.
004Quase que o morcego leva a pior, contou com a sorte pra tombar o Croc. Um interrogatório rápido e ele descobre que Croc realmente encontrou a Dawn, e a vendeu pra um tal de Lars. Ao encontrar Gordon, Batman descobre que o tal Lars já estava boiando no rio antes dele conseguir a informação.
Finch deu uma caprichada na bat-caverna. Ficou um trabalho de primeira, uma página dupla onde couberam todos os principais elementos. A carta do Coringa, as vitrines com uniformes de morcego e o uniforme do Jason, o batmovel, o batcomputador, o T-rex, a moeda gigante… Impressionante a disposição que o cara tem de desenhar.

Batcaverna

Clique para aumentar.

O tal Lars que morreu era ligado a um clube, e o homem morcego vai até lá pra ver se descobria algo mais. Entrou no lugar, arrombou o cofre e dentro encontrou um antigo cordão de Dawn. Porém nem tudo é boa notícia, ele foi surpreendido por capangas do Pinguim e o próprio Pinguim em pessoa, e do lado de fora, ele perdeu o comando do Batmóvel. Que roubada, hein?
005Nada disso, nós apreciamos um novo equipamento do morcego (equipamento cujo nome desconheço). A princípio achei que ele tivesse disparado a bat-corda, mas o lance ricocheteia pelas paredes/teto/chão, fazendo uma enorme rede pela sala, e quando alguém encosta, a rede fecha e amarra todo mundo. Deveras útil.
Batman partiu atrás do Pinguim pelas escadarias. Adivinham quem é mais rápido? Pois é. Batman jogou as boleadeiras de morcego nas pernas do Pinguim só por jogar, óbvio que o alcançaria. Começam as perguntas sobre Dawn. O primeiro quadro é lindo, o Batman está desenhado como deveria ser desenhado sempre.
O interrogatório começa ali nas escadas, Batman perde o controle temendo por Dawn, quebrou braços e pernas do Pinguim, Alfred pela câmera do capuz fica assustado com a violência do morcego, mas o Croc aparece do nada e acaba com a “1035º Festival da Ortopedia” promovida pelo filantropo Bruce Wayne. E a mesa virou feio, Croc enfiou o Batman na parede de um jeito que eu ou você voltaríamos com 90% da alma no mundo dos mortos.

Legs
007O Batmóvel foi levado embora, mas ao contrário do que parecia talvez ser uma ação conjunta de alguém com o Pinguim, na verdade era uma garota. Ela entrou no carro se vazou da cena. Vemos também que Croc está trabalhando pro Pinguim.
Temos um bico do Etrigan, o Cavaleiro Demônio na história, qual papel ele tomará na trama? Veremos.
Batman acorda amarrado numa cadeira cheia de bombas em volta, ligadas aos batimentos cardíacos do morcego. Os poucos segundos que teve após despertar ele usou para lembrar o que aconteceu a ele, e logo leva outra porrada do Croc. Pinguim faz uma vídeo-conferência direto de seu leito de hospital, mostrando uma imagem de Dawn Golden (que nós não vemos). Se o batimento aumentar demais, já era, explode tudo.

Continue lendo

#93 – Batman: O Observador

Hoje trazemos a vocês o arco “Eye of the Beholder”, lançado em 2011, e traduzido como “O Observador”. Trata-se de mais uma saga da série principal, sequência direta da “Vida Após a Morte”, porém com uma novidade de suma importância: Bruce Wayne está de volta.
É, o morcego velho não estava morto, estava no passado e voltou. Vocês já viram qual foi o (ridículo) processo na “Estrada para Casa” e sagas do gênero trazidas a vocês aqui pela Jéssica. Foi uma confusão do caramba, até pra uma história em quadrinhos onde há pessoas com superpoderes, o ocorrido foi um tanto forçado.
Mas não estou aqui pra debater isso (não agora). Estamos aqui para a saga “Eye of the Beholder”. Quem vê apenas a primeira revista da saga vai a loucura já fica na expectativa de mais uma saga inteira comandada pelo desenhista/roteirista Tony Daniel, mas infelizmente não foi como a coisa procedeu.
Tony Daniel foi roteirista e desenhista de todas as revistas que compõe o arco, e algumas revistas tiveram um toque de bom gosto do Sandu Florea, sendo que oficialmente isso foi obra do Ian Hannin. Obviamente eu preferia que todas fossem do Sandu Florea, mas já que as do Ian estão ali e não podemos fazer nada quanto a isso, aproveitemos para ver a diferença do trabalho de um e de outro. As cores do Sandu são mais vivas e acompanham a profundidade do traço do desenhista, as do outro… São só cores.
Bom, sem mais delongas, estoque de colírio em mãos, vamos a “O Observador”.

Batman_Dick_Grayson_0011

001De início, vale lembrar que há uma “hierarquia” de roteiristas. Na época de lançamento dessas revistas, o roteirista cabeça que ditava como as coisas iam correr nas histórias do Batman (em todas relacionadas, não só na mensal) era o Grant Morrison, o mesmo sujeito que estava por trás da “Crise Final” onde o Morcego recebeu a Sanção Ômega do Darkseid. Na revista mensal e o roteirista “oficial” é o Tony Daniel.
Quando digo “hierarquia” não quero dizer que o Morrison chega pro Tony e diz “Olha… muda essa linha, não gostei”. Não, nada disso. É que o Morrison ditava os principais eventos, tipo o retorno do Bruce. Logo, o Tony não podia fazer o roteiro da saga principal dizendo que o Bruce tava morto, ou fingindo que ele não voltou. Ele podia fazer o que bem entendesse, desde que levasse em consideração tudo que o Morrison anunciava antes, como por exemplo o retorno do Bruce. Não dá pra fugir desses fatos.
Ok, isto posto vamos ao roteiro do Tony Daniel. Assim como em todas sagas escritas por ele, ressalto: Ele sempre traz algo das antigas, e nessa não foi diferente.
O início da história é em algum lugar afastado do centro de Gotham, um casarão, onde um camarada barbudo faz uma ligação traiçoeira sob pressão de um assassino. O barbudo morre do mesmo jeito. A assinatura do matador começa com Henry. Seria Henry Ducard? Mistério.
002A seguir temos uma bela sequência de quadros, da dupla dinâmina na noite de Gotham, um cenário com tom amarelado, daquelas luzes amarelas de inverno (não necessariamente é inverno lá, só quis exemplificar as luzes) e céu vermelho com uma grande lua ao fundo. Uma combinação não muito usual de cores para retratar uma noite na cidade.
Temos Dick Grayson e Damian Wayne em uma perseguição. O alvo? Kitrina Falcone, a nova Moça Gato (Catgirl). E quem tá junto na festa? O Ceifador. Pra quem não lembra dele, o sujeito fez seu retorno a vida (e aos quadros) na saga “Vida Após a Morte”, e não tivemos mais notícias desde que o Grayson o deixou pra detonar Hugo Strange e Dr. Morte na base do Máscara Negra II (Jeremiah Arkham).
003Agora temos a turma toda reunida novamente. Kitrina estava perseguindo o Ceifador por 3 noites querendo a recompensa que há pelo zumbi. O cara não curtiu e partiu pra foice em cima da garota. Como bons estrategistas, Grayson e Damian tentam matar dois coelhos com uma única “caixa d’água”, salvar Kitrina e pegar o Ceifador.
Em uma sequência de golpes que começou com “um movimento estilo Bruce” e terminou com “encerramento estilo Grayson”, Batman consegue derrubar o Ceifador. Eles procuram pela Kitrina, mas a pequena felina já tinha desaparecido. Em seu lugar quem aparece? O Batman. Não o Grayson, outro Batman, o original. Bruce Wayne. “É hora de conversarmos”. Parece um pai pronto pra dar um sermão nos filhos.
Bruce já está com seu novo uniforme, que ainda sofrerá algumas mudanças até o uniforme atual. Este uniforme é conhecido como “Incorporated”, vocês já devem estar por dentro do assunto graças ao post anterior a este (Corporação Batman: Leviatã Ataca!). Bom, os dois morcegos se afastam do local inicial do encontro e no novo ponto de encontro então conversam sobre Kitrina.
É um quadro que fica gravado na minha mente como uma cicatriz, os dois Batmen olhando fixos um pro outro, numa distância curtíssima, ambos de cara feia (seguindo a regra de SER Batman). Se eu sou um criminoso vagando pelos telhados e de repente dou de cara com dois Batmen se encarando com cara de nervosos eu já ia andando sozinho pro hospital, torcendo pra chegar lá só precisando de calmantes, e não de talas e pontos.

Batmen
Um Batman visivelmente maior que o outro, ponto novamente pro Daniel ao retratá-los de forma tão diferente e plausível, pois dá pra identificar ambos só de olhar pro rosto, que teoricamente são iguais (capuz preto com a boca descoberta). Grayson tenta dar explicações sobre o que pretendia fazer quanto a Kitrina, dizendo que ia falar com Selina, e Bruce é bem direto: “Selina não manda em Gotham. Você manda. Enquanto eu estou fora”.
Realmente, o Grayson tem um método mais “conversa”. Ele meio que argumenta com a Selina para conseguir o que quer, coisa que o Bruce não faz com ninguém. Com o Grayson é “Tira a Kitrina da rua, isso não dá certo, blablabla… “ com o Batman original é “Kitrina. Rua. Nunca mais. Se não eu entro. Dai fudeu meio mundo”.
O cenário ao fundo é magnífico, estilo aquela famosa capa que o Tony Daniel fez pra uma história lá dos tempos do Ra’s Al Ghul, cheio de janelas, pontes, caixas d’água, chaminés… o cara nasceu pra isso.
Batman (Bruce) dá o ultimato, e Batman (Richard) diz que vai resolver. Fora dali, o sujeito que foi “enganado por telefone” pelo barbudo no inicio da história, vai nas indicações falsas e acaba disparando uma armadilha, uma bomba. Não temos confirmações nesse quadro, o que parece inicialmente é que o cara deve ter morrido.
Na parte diurna da história, Dick Grayson e Lucius Fox participam de uma reunião em nome da Wayne Enterprises. Dick está fazendo papel completo de Bruce. Diversas vezes em histórias antigas temos Bruce fazendo coisas do gênero. Dá pra ver na cara deles e nas palavras um “Anda com essa porcaria, eu tenho que trazer justiça para a noite daqui a pouco”. Dificilmente vemos Grayson na frente das empresas Wayne. Ele não é do tipo “empresário”. A proposta da empresa chinesa fala de restaurar o Beco do Crime.
A noite dá as caras novamente, Selina está em alguma festa luxuosa passando a perna em algum velho rico qualquer, e Grayson aparece lá a paisana para conversar com a Mulher-Gato sobre sua filhote. Depois da chamada do Bruce, o assunto ganhou prioridade, né.
004Mais uma vez temos a guerra entre olhos azuis e verdes, assim como na Torre Wayne quando Dick queria que Selina arrumasse informações sobre o Máscara Negra com a Hera Venenosa, dessa vez Grayson quer saber onde está Kitrina, mas Selina também não sabe. Pelo visto a menina tem um instinto bem traira.
Ressaltando a arte deste encontro entre Dick e Selina… O vestido dela está com um colorido de rosa suave, porém com brilho, como se tivesse luz própria. Sei que o comentário foi meio Edney Silvestre, mas lembrando que isso não é uma foto e sim um desenho, só podemos chamar de obra de arte. E o Dick está quase como uma versão mais nova do Bruce, assim como Selina disse na Torre Wayne na outra história.
005Depois que Selina deu pra trás com as informações sobre Kitrina, Dick se vai e a Kitrina se revela na cena, revelando a nós então que a Selina está acobertando a garota. Dick vai para as ruas, e novamente dá de cara com uma mulher que se revela perigosa, Sasha Lo, a tal negociante chinesa que quer o Beco do Crime. Ela oferece 10 milhões de bônus ao Grayson separadamente se ele convencer o Bruce a vender as tal propriedades, que também estão sendo compradas por um valor altíssimo, muito além do que valem. Qual interesse ela tem nisso? Só o filantropismo que afirmou? O mundo não é belo assim.
Alguém tenta dar uma flechada em Grayson, Sasha segura a flecha no ar e bate em perseguição do assassino. Grayson não ia deixar barato assim. Acelerou a pé debaixo da chuva em Gotham e usando escadas de incêndio partiu pros telhados. Ele acionou o Alfred para enviar um uniforme, e assim acontece, Grayson põe o manto do Morcego e parte pra conferir qual é a real história.

006
007A tal Sasha Lo também mudou de roupa no caminho, virou uma gueixa/ninja/pavão do inferno e pegou o tal arqueiro que tentou matá-la. Ou achou ter pego, era um truque, o real arqueiro ia matá-la, mas dessa vez é Batman (Dick) que a salva. Uma vez com o inimigo derrubado, começam as apresentações. A “Pavão” se apresenta e diz que o assunto não é do interesse do Batman, e ele em uma tacada bem “Bruce” diz “Esta é minha cidade. Tudo me interessa”.

Continue lendo